quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Alimentos Inflamatórios

Nutrição Funcional

Alimentos e Inflamação.

Entrevista: Dr. Thomas O'Bryan

Por: Renata Alves
1- Quais são os malefícios que podem ocorrer com a ingestão de glúten?
Quando uma pessoa possui sensibilidade ao glúten, o seu consumo poderá iniciar uma cascata inflamatória e desencadear permeabilidade intestinal. Estudos mostram que não são somente 100% das pessoas que são sensíveis ao glúten que apresentam permeabilidade intestinal; 35-70% dos seus parentes de primeiro grau também tem permeabilidade intestinal (e não possuem sintomas associados com sensibilidade alimentar)! As conseqüências sistêmicas da permeabilidade intestinal são dependentes da genética e dos antecedentes (o que lhes aconteceu no passado). Assim, para uma pessoa sensível ao glúten, as manifestações podem ocorrer no cérebro (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, dores de cabeça, autismo, convulsões...). E para a próxima pessoa pode se manifestar com a moderada elevação das enzimas hepáticas (que pode progredir até uma hepatite auto-imune). Ou uma disfunção intestinal que pode levar às doenças inflamatórias intestinais. Ou desordens reprodutivas que podem levar abortos espontâneos, nascimentos prematuros.
2 – Quais são os sintomas extra-intestinais que uma pessoa com doença celíaca pode apresentar?
Não há um único sistema corporal que está protegido contra o ataque que a cascata inflamatória pode provocar com a sensibilidade ao glúten. Quanto ao local que ocorrerá o problema, depende apenas da genética e dos antecedentes do paciente. Se você puxar uma corrente, ela sempre arrebentará do lado mais fraco. Onde está o ponto mais fraco no corpo de um paciente? 


Está nos rins? Então, este paciente poderá desenvolver nefrites. 


Se no cérebro, o paciente poderá ter disfunções cognitivas, depressão, ansiedade, anorexia nervosa, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, epilepsia... 


Está no fígado? Então, as desordens que este paciente poderá desenvolver são hepatite auto-imune, aumento das transaminases, cirrose criptogênica, esteatose hepática não-alcóolica, carcinoma hepatocelular.


Está nos músculos? = miopatias inflamatórias, miosite de corpos de inclusão esporádica...


Se nos ossos, o paciente pode apresentar, por exemplo, osteopenia e osteoporose.


Não há um único sistema corporal que está isento de um ataque a partir da cascata inflamatória provocada pela sensibilidade ao glúten.
3 – Na prática clínica, qual foi o caso mais inusitado do impacto do glúten sobre a saúde?
Revertendo a doença de Alzheimer, em que o paciente foi liberado da unidade de Alzheimer para conviver de novo independentemente com seus familiares
4- Quais são os principais alimentos que podem causar inflamação e dor?
Para síndromes dolorosas? Alimentos contendo glúten (trigo, espelta, aveia, centeio, cevada, malte), lacticínios, alimentos com adição de açúcar e cafeína. Alguns resultados são altamente satisfatórios dentro de um curto espaço de tempo apenas eliminando estes alimentos da dieta. E certificando-se de manter os níveis de açúcar sanguíneos estáveis; alimentando-se 5 vezes ao dia.
5 – Quais são os sintomas da inflamação oculta?
Sempre que um programa multiprofissional não está trabalhando com um paciente da maneira adequada, ou sempre que um paciente está realmente tentando adquirir hábitos saudáveis de estilo de vida e não consegue os resultados desejáveis; isso muitas vezes desencadeia uma cascata inflamatória no corpo, agindo como uma barreira para a saúde que está sendo alimentada por uma sensibilidade alimentar.
6- Quais são os alimentos e nutrientes mais anti-inflamatórios?
Muitas pessoas desejam saber qual é o melhor alimento. Será o açaí? A fruta de goji? O suco de noni? Embora haja alimentos com altas concentrações de alto ORAC (Capacidade de Absorção do Radical Oxigênio), o maior influente neste cenário são os hábitos alimentares como um geral e o estilo de vida.


É preferível ter alimentos de nível ORAC médio (legumes e hortaliças) como base da sua dieta, do que tomar suco de açaí e depois comer cookies, muffins, sorvete... Frutas e legumes, de preferência orgânicos, em geral são a base das escolhas alimentares para benefícios anti-inflamatórios. Nós sempre recomendamos para um adulto, um quilo de vegetais (e algumas frutas) por dia. SEMPRE de diferentes cores, pois cada cor é proveniente de diferentes famílias de polifenóis, anti-oxidantes, carotenóides, ... Eu particularmente como uma xícara de mirtílio todos os dias (se possível). Os benefícios à saúde ocorrem com a ingestão de berries, brócolis, cenoura, etc. 
7- Quais são os alimentos que podem desencadear doenças auto-imunes?
Como regra geral, costumo aconselhar a comer os alimentos feitos por Deus, não pelo homem. Quanto mais processado é o alimento, mais elementos estranhos entram em contato com o organismo e mais propenso estará para estimular uma resposta imune a partir do nosso sempre vigilante GALT (Tecido Linfóide associado ao Intestino). 


Meu amigo e mentor Dr. Jeffrey Bland costuma dizer ‘retire os brancos da dieta’ (farinha branca, açúcar branco, arroz branco, etc). Alimentos cozidos estimulam uma resposta imune comparada ao mesmo alimento consumido cru, como por exemplo, legumes cozidos, carnes cozidas,... Não estou defendendo uma dieta de alimentos crus, embora haja uma boa evidência sobre o seu valor.O que eu defendo é saber ouvir a sabedoria do corpo. 


Comer alimentos cozidos produz AGE’s (produtos finais da glicação avançada) que ativam Nf-kappa B (o principal amplificador da inflamação corporal). É importante ensinar nossos pacientes para se certificar todos os dias de que boa parte da sua dieta é crua (saladas, legumes, frutas, etc). 
8- Deixe uma mensagem para os nutricionistas brasileiros.
Um dos meus mentores, o Dr. George Goodheart, dizia-nos por diversas vezes: ‘ A linguagem do corpo nunca mente’. Fico grato de que aqui no Brasil, muitos falam ou lêem em Inglês como uma segunda língua após o português.

Isto permite que eu me comunique com vocês. Quantos lêem ou falam a linguagem do corpo? Nós precisamos aprender esta linguagem. Por que nosso corpo ativa Nf-kappa B quando comemos alimentos cozidos? Eu não sei a resposta para isso. Mas se nós apenas ouvirmos e começarmos a incluir mais da sabedoria do corpo em nossas vidas, poderemos olhar cada paciente nos olhos quando eles estão com medo, nós podemos olhar para os olhos deles com amor, compaixão e um saber que vem experimentando os benefícios para nós e dizer para eles ‘Não, não. Isto realmente funciona.’ É uma honra para mim poder entrar em contato com os nutricionistas brasileios. 

Vocês estão nas linhas de fronte na batalha pela saúde dos pacientes. Vocês andam junto com eles todos os dias através do campo minado que vivem enquanto tentam seguir as suas recomendações e as recomendações de seus médicos. Muito obrigado pela oportunidade.