Congresso de nutrição COINE 2013

Não percam esta maravilha!!!Oportunidade fantástica!



CONVIDADOS INTERNACIONAIS
DR. ALESSIO FASANO, EUA
   1) Professor of Pediatrics, Department of Pediatrics, Pediatric Gastroenterology and Nutrition,        
       University of Maryland, School of Medicine.
   2) Professor of Physiology, Department of Physiology, Univ. of Maryland, School of Medicine.
        Director, Center for Celiac Research, University of Maryland, School of Medicine.
   3) Professor of Medicine, Department of Medicine, University of Maryland, School of Medicine.


SRA. ALICIA I. DE GRECO, Argentina
  1) Técnica en PNL.
  2) Técnica em Relaciones Humanas.
  3) Directora del Departamento de Control de Alimentos Sin Gluten de Acela.
  4) Directora ejecutiva de la "EXPOACELA", Primera  Exposición en el Mundo de Alimento Sin                       Gluten
                                        5) Directora General de La "CAMINATA Y MARATÓN DE ACELA" por una alimentación sana.
                                        6) Madrina de La Fundación de Celíacos de Venezuela.
                                       7) Consejera consultiva de Discapacidad.


DR. PEDRO BASTOS, Portugal
  1) Doutorando em Nutrição na Faculdade de Farmácia da Universidade Complutense (Espanha).
  2) Mestre em Nutrição Humana (UIB/UGR, Espanha).
  3) Pós-graduado em Nutrição Clínica (ISCSEM, Portugal.





CONVIDADOS NACIONAIS


PROFª DRA ANA PAULA PUJOL, SC
  1) Nutricionista
  2) Coordenadora da Pós Graduação em Nutrição Aplicada à Estética do IAPP/Faculdade                                 Inspirar
  3) Presidente da Associação Brasileira de Nutrição Estética (ABNES)
  4) Autora do livro “Nutrição Aplicada à Estética”, Editora Rúbio e “Manual de Nutricosméticos”,                    Editora IEPN 
  5) Co-autora do livro “Nutrição Estética”, Editora Atheneu.


DRA ANA VLÁDIA , MG
  1) Profa. Depto. Nutrição - UFV (MG)
  2) Graduação em Nutrição - Universidade Estadual do Ceará (UECE)
  3) Mestrado e Doutorado em Ciências dos Alimentos pela Universidade de São Paulo (USP)
  4) Pesquisadora na área de alimentos e Dietética
  5) Coordenadora do Projeto de extensão Pró-celíaco/DNS/UFV.
  



SRA. CLAUDIA MARCELINO, RJ
  1) Banqueteira auto didata.
  2) Autora do livro "Autismo esperança pela nutrição"
  3) Criadora do blog "Cozinha sem glúten e sem leite".
  4) Mãe de Maurício, com 21 anos, que tem autismo, iniciando aos 16 anos uma dieta isenta                       de  glúten e caseína para ajudá-lo no impacto da síndrome.




DRA. DENISE CARREIRO, SP
  1) Formada em Nutrição pela Faculdade de Saúde Pública da  USP em 1982.
  2) Pós-Graduada em Nutrição Clínica Funcional.
  3) Docente do  Curso de Pós-Graduação em  Nutrição  Clínica  Funcional  do  Centro
      Valéria Paschoal.
                                    4) Coordenadora do Curso de Pós Graduação em Nutrição, “Sistema Digestório e Imunologia  
                                         sob a ótica da Nutrição”, da NECPAR - Maringá/ Paraná
                                    5) Atendimento nutricional em consultório próprio desde 1991.



DRA DIALINA DA CONCEIÇÃO MARTINS MACHADO, RJ
  1) Médica Gastroenterologista - HUPE e Hosp. da Polícia Militar de Niterói, RJ.
  2) Mestrado em Gastroenterologia, UERJ, RJ
  3) Especialização – Endoscopia Oncológica - INCA, RJ
  4) Título de especialista - SOBED
                                               5) Residência em Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva - HUPE-UERJ

                                    

ELEN NOGUEIRA LIMA COUTINHO, RJ   
   1) Psicóloga Clínica;
   2) Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-RJ ;
   3) Pós-graduada pela Santa Casa de Misericórdia do RJ em Saúde Mental na Infância e 
       Adolescência; especialização em Terapia de Família; 
   4) Professora do Curso de Especialização em Transtornos Alimentares da CCEPUC-RJ;
                                      5) Pesquisadora, desenvolvedora e coordenadora dos produtos Arte Sem Glúten.



ESTER CÂNDIDO BENATTI, RJ

1) Vice-presidente da ACELBRA-RJ - Gestão 2012/2014.
2) Desenvolve trabalho voluntário de orientação e acolhimento no Facebook do grupo Viva                     Sem Glúten.
3) Participou da criação do Grupo Rio Sem Glúten em 2004 que se transformou em ACELBRA                 RJ em 2005.




FERNANDA LACOMBE,RJ
  1) Professora de português no Centro de Estudos e Apoio Escolar Florescer.









DRA FERNANDA SERPA, RJ
    1) Nutricionista,
    2) Diretora e Docente da Empresa Nutconsult,

    3) Pós graduada em Nutrição Clínica Funcional - VP Consultoria Nutricional,

    4) Pós graduada em Fitoterapia Funcional - VP Consultoria Nutricional,
    5) Título de residência em Clínica Médica pela UERJ/HUPE,

                                            6) Mestre em Clínica Médica – IPPMG/UFRJ.


   
DRA JULIANA CRUCINSKY, RJ
    1) Graduada em Nutrição pela UERJ,
    2) Pós Graduação: Nutrição Clínica e Funcional (VP Consultoria/ Universidade Cruzeiro do Sul),                     Nutrição Esportiva (Universidade Gama Filho), Gestão da Saúde e Administração    Hospitalar (Universidade Estácio de Sá) e Terapia Nutricional Enteral e Parenteral (Santa Casa   de                Misericórdia do Rio de Janeiro),
   3) Atua nas áreas de Nutrição Clínica, Funcional, Esportiva e Vegetariana,
   4) Nutricionista do Hospital Estadual Carlos Chagas,
                                           5) Membro participativo e consultora técnica da Acelbra-RJ,
                                           6) Consultora técnica do site www.semlactose.com


DRA LORETE MARIA DA SILVA KOTZE, PR
     1) Fellow do american College of Gastroenterology,
     2) Profa. Doutora do Curso de Medicina e da Pós-Graduaçãoi em Ciências da Saúde da                        PUC-PR,
     3) Títulos de Espercialista em Gastroenterologia, Gastroenterologia Pediátrica e Clínica                  Médica,.
     4) Membro Titular da Academia Paranaense de Medicina,
    5) Editora e Autora de várias livros de Gastroenterologia e de receitas sem glúten,
                                             6) Possui inúmeras publicações nacionais e internacionais sobre intolerância ao glúten.



DR. LUIZ JOAO ABRAHÃO JUNIOR, RJ 
    1) Médico do Serviço de Gastroenterologia do HUCFF - UFRJ,
    2) Doutor em Medicina pela UFRJ e University of California San Diego,
    3) Membro Titular da Federação Brasileira de Gastroenterologia,
    4) Membro Titular da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva,
                                     5) Member of the American Society for Gastrointestinal Endoscopy.




LUIZA LACOMBE, RJ
   1) Estudante de cinema na PUC-Rio
   2) Repórter no jornal da PUC.









DRA MARIA ELIZABETH AYOUB, RJ
  1) Médica Clínica, Especialista em Ginecologia, Obstetrícia, Nutrologia e Terapia Biomolecular,

   2) Docente do curso de Pós Graduação em Gastroenterologia do IBMR, RJ,

   3) Docente da VP Consultoria Nutricional / Divisão de Ensino e Pesquisa,

   4) Docente dos cursos de Pós Graduação na Soc. Bras. para Estudo do Envelhecimento
       ( SOBRAE),
                                      5) Membro da Internacional Hormone Society.


DR MILTON MINORU TAKEUTI, SP
  1) Médico Otorrinolaringologista
  2) Speaker da International Society of Homotoxicology and Homeopathy
  3) Secretário da Associação Brasileira de Homeopatia e homotoxicologia 
  
  





DR,  PAULO OLDANI FELIX, RJ
  1)  Especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de dermatologia/AMB.
  2)  Dermatologista do hospital Federal dos Servidores do Estado.
  3)  Médico responsável pelo ambulatório de psoríase do hospital federal dos servidores do              estado.
  4)  Dermatologista da pos-graduação do hospital Naval Marcilio Dias.





RAQUEL CÂNDIDO BENATTI, RJ

1) Secretária Executiva da FENACELBRA de 2006 a 2012.
2) 1ª Presidente da ACELBRA-RJ, 2005/2010.
3) Responsável pela organização, editoração e publicação de diversos livros digitais no site da ACELBRA-RJ.
4) Participou da elaboração do "Guia Orientador para Celíacos" publicado pelo Ministério da             Justiça em parceria com a FENACELBRA
                                            5) Desenvolve trabalho voluntário de orientação e acolhimento de celíacos em redes sociais              desde 2003.


  
DR ROBERTO MARCÍLIO, RJ
  1) Doutorando em “Tecnologia de Alimentos” - UNICAMP
  2) Mestre em “Alimentos & Nutrição” – UNICAMP
  3) Aperfeiçoamento em “Bioquímica Nutricional e de Alimentos” – UFRJ 
  4) Docente da UNIP-SP 
                                    5) Docente convidado da Pós graduação em Nutrição Clínica Funcional da Universidade Estácio                                                              de Sá / RJ ,  Instituto Laboro/MA 
                                    6) Coordenador da Pós Graduação da Academia Wave/SC


 DRA ROSELI ROSSI, SP
   1) Nutricionista graduada pela Faculdade Integrada São Camilo (1983),
   2) Pós Graduada em Planejamento,Organização e Administração de Serviços de Alimentação,
   3) Especialista em Nutrição Clínica e Esportiva Funcional,
   4) Pós Graduada em Fitoterapia aplicada à Nutrição Funcional,
   5) Pós Graduada em Nutrição Ortomolecular em curso,
                                     6) Autora dos Livros “Saúde & Sabor com Equilíbrio Receitas Infantis” e Saúde & Sabor com                                                                           Equilíbrio – Receitas Diet e Light – Volumes I e II”,
                                     7) Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional.


WLADIMIR AZEVEDO, RJ
   1) Triatleta amador de longa distância desde 2009, com participações em diversas provas                                 de
       Ironman  no Brasil e no exterior.
   2) Responsável pelo site Triathlon Sem Glúten (www.triathlonsemgluten.com), um espaço                      para  compartilhar experiências, dúvidas, descobertas sobre a  prática do Triathlon associada                         a             intolerância ao glúten e realidade de um amador.
                                           3) Formando em Administração de Empresas.
                                         4) Pós graduado em Engenharia de Sistemas de Telecomunicações pela COPPE-UFRJ.


Chocolate com colágeno!


Chocolate enriquecido com colágeno chega ao mercado

O alimento é livre de glúten, açúcar e conservantes, sendo uma opção diferenciada para quem não resiste a um docePOR LEDIANE FILUS EM 04/02/2013 19:29, EM CULINÁRIA
Crédito: Divulgação - Beauty In
Quem não consegue resistir a um chocolate mesmo quando está de dieta pode recorrer a uma nova versão mais saudável do doce que chegou ao mercado brasileiro. Lançado em dezembro, o chocobeauty é livre de açúcar e glúten, além de ser enriquecido com colágeno.
A novidade faz parte da linha de aliméticos da empresa Beauty In, cujos produtos prometem ser ricos em nutrientes para realçar a beleza a partir da alimentação. O chocobeauty vem em uma embalagem de 125 g com pequenas porções em formato de ursinho (o mesmo da Beauty Candy, balinha que também é enriquecida com colágeno). Cada porção de 25 g tem aproximadamente 114 calorias e equivale a 14 unidades da guloseima.
Outra vantagem é que o doce é livre de conservantes, além de possuir 26% de cacau em sua formulação. Assim, ele agrega os benefícios da feniletilamina, um hormônio que é responsável por liberar endorfina, conhecida por proporcionar a sensação de prazer.
A boa notícia é que o lançamento pode ser uma alternativa de sobremesa para quem está de dieta, sem prejudicar o consumo de calorias e ainda sendo fonte de nutrientes. O preço sugerido de cada embalagem é de 19,90 reais. O chocobeauty está disponível em pontos de venda da marca espalhados por todo o Brasil, incluindo algumas farmácias.

Glúten no ar ! Cuidado!

www.gluten.net/learn/gluten-free-diet.aspx

As partículas da farinha de trigo e outros alérgenos como centeio, cevada, aveia podem permanecer em suspensão no ar por até 24 horas após terem sido manuseados. Isto se deve à baixa densidade específica e umidade destas farinhas. Se você é DC ou DH evite depósitos e locais que manipulam estes produtos. No meu caso tenho surtos de espirros e sufocamento ao passar nestes ambientes em locais comerciais ou industriais. A regra da limpeza úmida é altamente válida caso você compartilhe a cozinha com pessoal que utilize farinhas alérgenas. O não compartilhamento de batedeiras é essencial para a não contaminação.
O Glúten dá volume, elasticidade e uma textura agradável aos produtos. O glúten é um nome comum para proteínas encontradas em todos os grãos. O glúten é encontrado no trigo, centeio, cevada e todas as formas destes grãos ou híbridos destes grãos. Glúten causa danos ao intestino das pessoas celíacas e deve ser evitado. O único tratamento é uma estrita dieta sem glúten para o resto de sua vida.

A contaminação cruzada
Pessoas que seguem um estilo de vida sem glúten têm duas preocupações principais:
1) eliminação dos grãos proibidos e 
2) a contaminação cruzada de alimentos sem glúten. A contaminação cruzada é um grande problema na indústria de alimentos, em especial em padarias comuns, não exclusivas. Pequenas quantidades de glúten (mais de 20 partes por milhão) são potencialmente perigosas para as pessoas em uma dieta sem glúten.
O pó da farinha de trigo no ar, equipamentos compartilhados com partículas de poeira de farinha, o uso comum de utensílios e equipamentos e limpeza inadequada e falta de programação de produção de alimentos sem glúten versus com glúten são as principais causas de contaminação cruzada de produtos sem glúten.

Produção Sem glúten em uma instalação não exclusiva (com e sem glúten)
É possível produzir com segurança os produtos sem glúten em uma instalação não especializada, mas as políticas e procedimentos devem ser rigorosamente seguidos para evitar a contaminação cruzada. Estas etapas e considerações serão úteis para o seu estabelecimento na produção de alimentos sem glúten seguros:

1. Manuseio de ingredientes:
Se houver uma instalação comum para alimentos sem glúten e com glúten:
a) quanto aos ingredientes: armazenamento e preparação separados / áreas de preparação de ingredientes com o alérgeno e sem o alérgeno .
b) equipamentos distintos, claramente marcados e usados exlusivamente para produtos sem glúten e com glúten. Isto inclui ferramentas de medição, tigelas, panelas, utensílios, etc.
c) políticas para todos os funcionários usarem roupas limpas e mãos limpas ao manusearem produtos sem glúten (não podem ter manipulado glúten usando estas roupas). Isso inclui uma política sobre não ser permitida na área de produção entrada de alimentos e bebidas para as refeições dos funcionários; uso durante o trabalho de jalecos limpos, aventais, toucas e luvas para a produção exclusiva de alimentos sem glúten.

2. As instalações e equipamentos:
A melhor prática para instalação e equipamentos é ter áreas de produção separadas e equipamentos que controlam o fluxo de ar entre as duas áreas de produção e que os equipamentos sejam exclusivos em cada área para uso na produção de alimentos sem glúten ou com glúten. Esta prática minimiza o potencial de contaminação pelo ar, da poeira da farinha de trigo. Quando isso não for possível, você deve considerar o alto risco de contaminação cruzada de poeira e equipamentos compartilhados com pó residual e farinha de trigo que não é capaz de ser facilmente removida com a limpeza normal.

3. Reduzir a contaminação cruzada:
Use processos de limpeza molhado. Uso de processo de limpeza "wet cleaning" é a melhor forma de remover glúten de equipamentos e utensílios utilizados na produção livre de glúten. Tanto quanto possível, o uso de equipamentos compartilhados devem ser discriminados e limpos antes da produção livre de glúten, usando produtos de limpeza comercial e sistemas de lavar louça comercial. Quando o equipamento compartilhado não pode ser limpo pelo processo de "wet cleaning", existe o risco da contaminação cruzada.

4. Cronograma de produção sem glúten 24 horas ou mais, após a última produção com glúten feita, incluindo a embalagem dos produtos:
Dar o tempo adequado do pó da farinha de trigo flutuante ( flúten) se depositar nos lugares para iniciar a produção sem glúten no início do dia, depois que nenhuma produção com glúten ocorreu nas últimas 24 horas. O ideal é o agendamento de produção sem glúten nas manhãs de segunda-feira, após uma minuciosa inspeção do local, garantindo que não ocorreu produção com glúten no fim de semana. Certifique-se de observar toda a poeira no equipamento e limpá-la e também limpar os utensílios que foram expostos ao ar antes de iniciar a produção, inclusive maçanetas e portas (a limpeza geral do local já deverá ter acontecido antes do final de semana, ao término do expediente). Estas áreas devem ser lavadas de cima para baixo antes do uso para a produção livre de glúten. Se não tiver certeza, considere fazer testes de amostragem de traços nos equipamentos antes da efetiva produção dos alimentos sem glúten.

5. Armazenamento de todos os ingredientes e produtos sem glúten em containers bem marcados e selados:
Para evitar a contaminação cruzada todos os ingredientes sem glúten devem ter uma área de armazenamento designada e contenedores, área de preparação designada e área de embalagens. Todos os produtos sem glúten devem ser armazenados em recipientes fechados e pacotes para evitar a contaminação cruzada.

Do www.facebook.com/GlutenIntoleranceGroup

Traduzindo livremente, adaptado e versado para o português brasileiro por Quei Ja Gal Lego