segunda-feira, 28 de julho de 2014

Vamos participar!!!

"Chegou a hora dessa gente desglutenada mostrar o seu valor...."
Precisamos mostrar a ANVISA que queremos baixar a quantidade de traços de glúten permitidas nos alimentos.Hoje permitem 20ppm por quilo de alimento.
Queremos baixar para 10 ppms por quilo de alimento.
Mas a Anvisa precisa ver esta vontade expressa na consulta que ela está fazendo!
Participe!
O link para a consulta esta no texto .
Segue o passo-a-passo para a contribuição de todas as ACELBRAs, grupos, amigos e familiares ,na Consulta Pública sobre rotulagem de alérgenos.
Através do Portal da ANVISA, acesse o link:
http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=16061
Passo 1 - Preencher o formulário
Passo 2 – Faça alteração na proposta do artigo que fará diferença para os celíacos:
Texto Artigo 6º - inciso IV
- a quantidade de glúten no alimento tal como exposto a venda seja inferior a 20 (vinte) ppm.
Proposta de aletração da FENACELBRA na redação do Artigo 6º - inciso IV
( copie e cole):
- a quantidade de glúten no alimento tal como exposto a venda seja inferior a 10 (dez) ppm.
Passo 3 - Justique com esse pequeno texto ( copie e cole) ou faça sua própria justificativa:
Estudos foram evoluindo à medida que os testes de alimentos e exames para acompanhamento da DC foram ficando mais precisos. Assim, o limite de 20ppm de glúten, estabelecido pelo Codex Alimentarius em 2008, para um alimento ser considerado SEM GLÚTEN, poderá ser revisto com os novos dados já disponíveis.A quantidade de glúten tolerável, varia entre as pessoas com doença celíaca. Embora não haja nenhuma evidência para sugerir um único limiar definitivo, uma ingestão diária de glúten de <10 mg, não deve causar alterações histológicas significativas.
Respondas os campos obrigatórios e grave para finalizar.
 Abaixo segue uma explicação melhor que a amiga Duda Pedro fez para nós!




sexta-feira, 25 de julho de 2014

Constipação Intestinal? Pode ser Doença Celíaca!

Vejam só!! Sempre tive desde criança e nunca imaginava isto!!
Por Ester Benati
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0021-75572012000200013&script=sci_arttext

CONCLUSÕES: Conclui-se que a doença celíaca é significativamente super-representada em pacientes com constipação encaminhados por um clínico geral a um pediatra devido ao fracasso no tratamento com laxantes. Todos esses pacientes devem, portanto, ser triados para doença celíaca.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Tratamento com probióticos e doença celíaca

Uso de probióticos pode ser uma nova forma de tratamento para doença celíaca

por Elaine Nascimento
No artigo “Intestinal Microbiota and Probiotics in Celiac Disease”, publicado na última edição da revista da Sociedade Americana de Microbiologia, Clinical Microbiology Reviews, Fator de Impacto 17, pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Nutrição da UFV discutem o uso de probióticos como novo tratamento para doença celíaca.
De acordo com o estudo realizado pelos pós-graduandos, Luís Fernando de Sousa Moraes e Tatiana Fiche de Sales Teixeira, com orientação da professora Maria do Carmo Gouveia Peluzio e participação do professor visitante da  Universidade de Turku, na Finlândia, Lukasz Marcin Grzeskowiak, existe a hipótese de que a microbiota intestinal alterada esteja de alguma forma envolvida na evolução da doença celíaca. Assim, os probióticos surgem como um adjuvante interessante no controle dietético da doença. Vale destacar que a microbiota intestinal é popularmente conhecida como flora intestinal.
A doença celíaca é uma patologia autoimune que afeta o intestino delgado de pessoas geneticamente predispostas. A doença é provocada pela ingestão de alimentos que contêm glúten, uma substância composta de proteínas, encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados. Indivíduos portadores da doença sofrem atrofia das vilosidades da mucosa do intestino delgado, o que dificulta a absorção pelo organismo de nutrientes como vitaminas, sais minerais e água.
Até o momento, aos portadores da doença só resta retirar alimentos que contêm glúten do seu cardápio. Contudo, agora, surge uma nova possibilidade de tratamento para essas pessoas: o uso de probióticos. Probióticos são microrganismos vivos tais como bactérias ou leveduras. Eles podem ser encontrados em alimentos industrializados presentes no mercado, como leites fermentados e iogurtes, ou podem ser encontrados na forma de pó ou cápsulas. Os probióticos conferem benefícios à saúde, auxiliando no equilíbrio da microbiota intestinal.
Dentre os benefícios dos probióticos estão o controle de colesterol e de diarreias e a redução do risco de câncer. No que se refere especificamente à doença celíaca, os probióticos podem auxiliar no tratamento, pois a doença pode provocar alteração na microbiota e aumento da permeabilidade intestinal.
No artigo publicado na Clinical Microbiology Reviews, os autores discutem as características da microbiota intestinal de indivíduos portadores da doença celíaca. Consta no artigo, revisão de pesquisas onde foram demonstrados que os níveis de algumas bactérias benéficas são reduzidos em pacientes com doença celíaca. Comparações feitas entre crianças com a doença e crianças saudáveis demonstraram que a microbiota intestinal delas são diferentes. As portadoras de doença celíaca têm menos lactobacilos e bifidobactérias. Também foram identificados probióticos específicos digerindo ou alterando polipeptídeos de glúten. Assim, por serem ricos em bactérias, alimentos probióticos podem beneficiar a saúde dos portadores da doença celíaca.
No entanto, ainda não existe consenso sobre as mudanças na composição da microbiota intestinal dos pacientes portadores da doença, principalmente em nível de espécie. Os autores indicam a necessidade de estudos futuros que contribuam para a concepção comum de orientações e diretrizes para o tratamento da doença celíaca e para avançar o conhecimento sobre a importância da microbiota na prevenção da doença.
Equipe do Laboratório de Bioquímica Nutricional da UFV,  coordenada pela professora Maria do Carmo Gouveia Peluzio, e o professor visitante da Universidade de Turku, na Finlândia, Lukasz Marcin Grzeskowiak.
http://www.ppg.ufv.br/?noticias=probioticos-podem-ser-uma-nova-forma-de-tratamento-para-doenca-celiaca
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Ed. Arthur Bernardes, s/n – 1º andar – sl. 116 – Campus Universitário
Universidade Federal de Viçosa, Viçosa-MG – CEP: 36570-000
Tel.: (31) 3899-2147 – Fax: (31) 3899-2148

6 ameaças inusitadas aos ossos

Cuidado: seu esqueleto pode sofrer um ataque sorrateiro de transtornos geralmente relacionados a outras partes do corpo. De asma a doenças intestinais, conheça as condições capazes de enfraquecer a ossatura.

Atualizado em 10/07/2014
Daniel Navas


Entre as atitudes para ter ossos firmes estão praticar exercícios, ingerir fontes de cálcio, tomar sol e fugir do cigarro.
Foto: Getty Images

1. Asma
O problema, famoso por ocasionar falta de ar, também abala a massa óssea, segundo pesquisa de várias instituições sul-coreanas. Ou melhor: especula-se que é o tratamento contra as crises, feito com remédios à base de corticoides, que traria essa consequência. "Eles aumentam a atividade dos osteoclastos, células que retiram cálcio dos ossos", justifica o pneumologista Marcelo Alcantara Holanda, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. E isso deixaria fêmur, tíbia e companhia mais porosos. Logo, para atenuar esse risco, vale adotar medidas que diminuam as crises respiratórias, como não frequentar ambientes com poeira. Assim, uma menor quantidade de corticoide será usada, e mais íntegra ficará a massa óssea.

2. Ácido úrico
Em níveis elevados, ele desencadeia gota, cálculo renal, infartos... e fraturas. De acordo com um estudo da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, homens com essa molécula nas alturas correm um risco 62% maior de lesionar o quadril. Isso porque o quadro eleva a concentração do hormônio da paratireoide. "E ele, por sua vez, remove o cálcio dos ossos. Logo, em excesso pode acarretar osteoporose", alerta Sebastião Radominski, reumatologista da Universidade Federal do Paraná. Para impedir a sobrecarga de ácido úrico circulante, comece maneirando nos frutos do mar.

3. Câncer
Alguns tipos de tumor - como os de próstata, mama, pulmão e rim -, se não tratados a tempo, tendem a se espalhar para os ossos e arruiná-los. Sem contar que, embora mais raros, há tumores que se originam no próprio tecido ósseo. No entanto, muitas vezes o que mais preocupa é o tratamento contra a doença. "Os quimioterápicos reduzem o trabalho dos osteoblastos, células que depositam cálcio no esqueleto", alerta o oncologista Oren Smaletz, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Para evitar que o arcabouço do corpo fique debilitado nessas situações, os experts costumam lançar mão de suplementos e remédios. A ordem é seguir essas recomendações à risca.

4. Doença renal crônica
Quando os rins param de funcionar direito - traço típico dessa encrenca -, a produção de vitamina D é prejudicada, o que dificulta o aproveitamento de cálcio pelo corpo inteiro, inclusive nos ossos. Para piorar, nesse cenário o esqueleto abre mão de um pouco do mineral que lhe confere a cor branca para que outras áreas do organismo o utilizem. "Quem foi diagnosticado com insuficiência renal deve tratar o quadro e ajustar a dieta para escapar da osteoporose", ensina Radominski. Já a população em geral precisa fazer de tudo para não padecer com hipertensão e diabete, dupla que arrasa os rins. "Exercício e alimentação balanceada são boas táticas para prevenir esses problemas", diz o reumatologista.

5. Doença celíaca
glúten, proteína presente em trigo, centeio, malte e cevada, não é tolerado por pessoas com essa condição. Portanto, se ingerido por elas, ocasiona uma irritação no intestino que, em última instância, atrapalha a absorção de cálcio. De modo a avaliar o impacto da ingestão de glúten na ossatura de celíacos, cientistas do Instituto Karolinska, na Suécia, avaliaram 7 mil voluntários durante décadas. "Constatamos que os pacientes que davam uma escapada na dieta tinham maior risco de sofrer fraturas no quadril", revela o médico Jonas Ludvigsson, que assina o estudo. Se não dá para prevenir a doença celíaca, ao menos é possível amenizar seus estragos ficando longe de itens com glúten.

6. Doenças inflamatórias intestinais (DIIs)
Uma pesquisa da Universidade Federal do Rio de Janeiro com cerca de 130 portadores de doença de Crohn ou retocolite - duas das principais DIIs - sugere que elas afetam a densidade óssea. Autora do artigo, a gastroenterologista e diretora científica do Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil, Cyrla Zaltman, ressalta que participantes que usavam corticoides constantemente ou que não conseguiam controlar seu quadro apresentavam maiores danos no esqueleto. "Tanto a droga quanto a inflamação das DIIs prejudicam a calcificação dos ossos", esclarece Cyrla. Para preservá-los, nada melhor do que discutir seu cardápio com especialistas e se tratar direitinho.
Links Patrocinados
http://mdemulher.abril.com.br/saude/reportagem/prevencao-trata/6-ameacas-inusitadas-aos-ossos-790023.shtml

terça-feira, 22 de julho de 2014

Sem glúten e eu ainda sinto um lixo!!!

http://glutendude.com/celiac-rant/gluten-free-and-still-feel-like-crap/

imagem
Olá a todos. Feliz terça-feira para todos vocês. Vamos começar com uma piada hoje, porque, por que não?
Um fóton verifica em um hotel eo carregador pergunta se ele tem alguma bagagem. O fóton responde: "Não, eu estou viajando luz."
Não é bom? Que tal um presente?
Pavlov está sentado em um bar, quando de repente o telefone toca. 
Pavlov suspira: "Oh merda, eu esqueci de alimentar os cães."
Ok ... ordem de hoje do negócio é celíaca discurso de um leitor. Já faz muito tempo desde que eu postei um desses e eu tenho 140 deles sentado na minha caixa de entrada. Isto vem de um celíaco frustrado cujo doc disse que ela se sentir melhor, sem glúten indo. Como todos sabemos, não é assim tão simples.
Se você gostaria de ajudá-la e fazer um comentário (abençoar seu coração), tudo que eu peço é que este não se transforme em um "post paranóia", onde o glúten está em toda parte e você deve viver em uma bolha de plástico, se você quiser ficar saudável.
Lembre-se. Cuidado é bom. Temendo não é.
Ok celíaca frustrado ... a palavra é sua.
------------------------
Primeiro-off, tão feliz que eu encontrei seu site! Eu fui diagnosticado com doença celíaca há 3 anos em novembro passado (11-11-11, falar sobre um presságio!) E, infelizmente, estou em tanta dor e imprevisibilidade como eu era quando diagnosticado. Concedido, eu provavelmente tinha por 7 + anos quando eu penso sobre os sintomas, mas eu era um dos "sortudos" que foi dito logo após a endoscopia que "vai se sentir como uma nova pessoa dentro de 6 meses sem glúten vai . "Isso, a partir da cabeça de GI em uma grande Portland, OR hospital!
I viajar a negócios cerca de 2 semanas por mês e estou só passei a tentar arranjar desculpas para porque eu não posso participar em grandes jantares exec (eu mantenho uma posição bastante sênior). Isso, porém, não é a razão para o meu "discurso!"
Meu desafio é que eu sei que eu preciso apoiar nutricionalmente, e também preocupado com todos os outros sintomas que continuam a manifestar (DH erupção pela primeira vez em outubro passado, durante 8 semanas sólidas do inferno e oh eu mencionei, eu sou um treinador na frente de pessoas em uma base regular?!).
Eu também tinha meus dentes continuam a diminuir (precisa de dois mais puxado como eles vão tão rapidamente, não pode ser salvo como minha alimentação está em declínio, em vez de melhorar, desde GF vai) e não consigo dormir mais do que 3-5 horas por noite.
Eu não confio em qualquer um dos orientação médica eu comecei: Eu uma pessoa razoavelmente inteligente; Estou confiante na minha capacidade de controlar e tratar a contaminação cruzada (eu não comer fora em tudo, só comprar produtos GF certificados sem a contaminação cruzada claramente e apenas cerca de 5 produtos regulares em que e só comer alimentos cozidos que são por mim ou a mão do meu marido - ele é provavelmente o mais devotado a tudo isso sendo recentemente desempregado e geralmente gosto de cozinhar), mas eu sei que eu preciso de mais apoio!.
Desde que eu removi o glúten da minha dieta, eu também removeu a maioria da minha nutrição. Há tanta coisa que eu posso fazer na estrada quando eu só pode ter uma geladeira para trabalhar, assim eu fico muito drenados, enquanto na estrada e perder peso. Eu chegar em casa e tentar o meu melhor para colocá-lo novamente, mas teve um surto recente de 10 dias de dor (inchaço pâncreas, pressão e jabs que deixá-lo de joelhos faca-like), enquanto em casa que me deixou esgotado antes mesmo de eu fui em negócios. Estou agora em pleno nevoeiro-out cérebro que eu tinha sido quase sempre capaz de controlar ou viver, devo dizer. Eu treino de crédito de um grande banco, então eu não posso "fake".
Dado o fato de que eu não posso dar mais um "GI DOC" simplesmente me dizendo para comprar alimentos GF processados ​​que são frequentemente cross-contaminado, ou sendo dito que eu estou deprimido (bem inferno, sim, mas a gestão do celíaca irá gerenciar isso!) E que eu deveria tomar todos os tipos de pílulas.
Isso realmente se transformou em um discurso retórico não sensical de normalmente, um comunicador muito organizado. Você está me recebendo, no último dia de uma viagem de negócios e operando em 3 horas de sono. Eu peço desculpas.
Quero agradecer-lhe a sua realidade: Eu não acho que eu seria tão rachado sobre ainda sentindo-se como completo idiota se o Sr. Cabeça GI não tinha me para que eu possa dizer "6 meses você vai ser uma rocha começar de novo." que me levou 3 meses para ter certeza de que eu era GF e não cross-contaminada, por isso vou assumir alguma responsabilidade, mas depois de todo o estrago "Roadrash" ele descreveu e eu vi no vídeo DVD do meu intestino delgado (sobre o primeiro 12 "é 86'd), REALMENTE??6 meses de grandes danos e atrofia das vilosidades completo?
Minha mãe é um RN por isso temos sido muito grosseiro despertou para a "verdadeira história" por trás intestinal recuperação ..... ou seja, a maioria da comunidade médica ainda não reconhece que não existe uma "Heinz 57" processo de cura para a doença celíaca. Ela entende a política e os "Deus Ropes" associados com a medicina, em geral. E, claro, a ligação rep / dólar droga onipotente. Só posso imaginar como docs "educados" será uma vez que há um trem dinheiro atrás de um representante de laboratório com uma pílula para gerenciar celíaca!
OK, a minha pergunta: Eu estou no sistema Kaiser (não ajudar!), E gostaria de saber se você acha tiros vitamínicos e uma tentativa com um nutricionista treinado celíaca valeria a pena o meu tempo? Minha mãe, mais uma vez, o RN, quer que eu vá PRN e admitir no hospital para descansar meu trato gastrointestinal. Ela não percebe que este não é muito realista, com a necessidade de manter um emprego para pagar os benefícios para a saúde, e como o único fornecedor no momento.
Eu realmente aprecio o seu conselho, a honestidade e, sim, nenhum dos "Eu nunca me senti melhor em minha vida desde GF vai" crap.
Ansioso para todos os pensamentos que você pode ter.
Obrigado por tudo que você faz.
Gostaria de ter encontrado você logo após o diagnóstico, e não apenas na semana passada.
------------------------
Eu queria que você tivesse me encontrado também. Caramba, eu ainda estou tentando me encontrar alguns dias.
Permitam-me abordar alguns de seus problemas da melhor forma que puder em 5 horas de sono inquieto.
- Pare de dar desculpas sobre não participando de jantares de empresa.Você pode comer fora se você tomar os passos certos. tenho colocado para fora o seu plano de ataque aqui. Além disso, desde que você tenha uma posição sênior, você pode escolher o restaurante? Meu ponto é que existem soluções para a maioria dos problemas. Não deixe o medo impedi-lo de viver.
- Deus sabe que a maioria de nós não tem a orientação de nossos médicos, quando foram diagnosticados. Realmente me irrita. "Vá sem glúten" é muito bonito tudo o que ouvimos. Sem direção. Não há diretrizes. Aqui ... John Pinette (RIP) explica isso muito bem:

- Jogada inteligente ficar longe da porcaria GF processado. Isso é um erro que muitos fazem quando diagnosticada pela primeira vez ... me incluído.Carreguei-se em "alimentos de substituição". Má idéia. Coma inteligente.Coma principalmente alimentos integrais. Delicie-se de vez em quando. É tudo uma questão de equilíbrio.
- injeções de vitamina e um nutricionista? Eu diria que não pode ferir. Mas vai acelerar o processo de cura? Eu não faço ideia.
- Meu maior conselho: Seja paciente. Honestamente, me levou alguns anos para começar a cura. Eu estava além de frustrado e continuou indo de volta para o meu GI e gastar uma pequena fortuna para descobrir "o que há de errado comigo".
Você sabe o que havia de errado comigo? Eu sou um celíaco. Nosso interior está confuso e esta doença auto-imune e divertido pode ser um pouco complicado diabo.
Felizmente eu só vou tê-lo para o resto da minha vida ;)