terça-feira, 10 de março de 2015

"Cientistas oficialmente ligam alimentos processados a doenças autoimunes." Alguém tinha dúvida?

99-cent-ii-DiptychonA dieta moderna de alimentos processados, delivery e refeições de microondas pode ser responsável por um aumento acentuado em doenças auto-imunes como a esclerose múltipla, incluindo alopecia, asma e eczema.
Uma equipe de cientistas da Universidade de Yale em os EUA e da Universidade de Erlangen-Nuremberg, na Alemanha, dizem dietas junk food pode ser, em parte, a culpa.
"Este estudo é o primeiro a indicar que o excesso de sal refinado e processado pode ser um dos fatores ambientais que impulsionam o aumento da incidência de doenças auto-imunes", eles disseram.
Lixo alimentos em restaurantes de fast food, bem como alimentos processados ​​na supermercadistas representam as maiores fontes de ingestão de sódio de sais refinados.
The Canadian Medical Association Journal enviou uma equipe internacional de pesquisadores para comparar o teor de sal de 2.124 itens de estabelecimentos de fast food como Burger King, Pizza Domino, Kentucky Fried Chicken, McDonalds, Pizza Hut e Subway. Eles descobriram que o teor médio de sal variou entre empresas e entre os mesmos produtos vendidos em diferentes países.
US fast foods são muitas vezes mais do que o dobro do sal-laden como os de outros países. Embora as campanhas de saúde pública lideradas pelo governo e os esforços legislação reduziram os níveis de sal refinado em muitos países, o governo dos EUA tem sido relutante em pressionar a questão. Isso é deixado as empresas de fast-food livre para ir sal louco, diz Norm Campbell, MD, um dos autores do estudo e especialista da pressão arterial, da Universidade de Calgary.
Muitos alimentos de baixo teor de gordura contar com sal e lotes do mesmo-para seu sabor. Um pacote de Marzetti Luz molho italiano da KFC pode ter apenas 15 calorias e 0,5 gramas de gordura, mas também tem 510 mg de sódio 1,5 vezes sobre-tanto quanto um original sobrecoxa de frango Receita. (Parece que você está tendo muito de uma coisa boa? Você provavelmente é.
O pão é o No. 1 fonte de consumo de sal refinado na dieta americana, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças. Apenas um de 6 polegadas pão de alho assado de Subway-apenas o pão, nem carne, nem queijos, nem nada, tem 1.260 mg de sódio, tanto quanto 14 tiras de bacon.

Como Sal Refinado causa a doença auto-imune

A equipe da Universidade de Yale estudado o papel das células T auxiliares no corpo. Estes ativar e 'ajuda' outras células para combater patógenos perigosos, como bactérias ou vírus e infecções de batalha. Pesquisa anterior sugere que um subconjunto destas células - conhecidas como células Th17 - também desempenham um papel importante no desenvolvimento de doenças auto-imunes.
No último estudo, os cientistas descobriram que a exposição dessas células em um laboratório para uma solução de sal de mesa fez agir de forma mais "agressiva".
Eles descobriram que os ratos alimentados com uma dieta rica em sais refinados viu um aumento dramático no número de células Th17 em seus sistemas nervosos que promoveram a inflamação.
Eles também foram mais propensos a desenvolver uma forma grave de uma doença associada à esclerose múltipla em humanos.
Os cientistas então realizou um exame mais detalhado desses efeitos em um nível molecular.
Os exames laboratoriais revelaram que a exposição sal aumentou os níveis de citocinas liberadas pelas células Th17 10 vezes mais do que o habitual. As citocinas são proteínas usadas para transmitir mensagens entre células.
Estudo co-autor Ralf Linker, da Universidade de Erlangen-Nuremberg, disse: "Estes resultados são uma importante contribuição para o entendimento da esclerose múltipla e podem oferecer novos alvos para um melhor tratamento da doença, para que no momento não existe nenhum curar. '
Ela desenvolve-se quando os erros do sistema imunitário a mielina que circunda as fibras nervosas do cérebro e da espinal medula por um corpo estranho.
Ele remove a mielina fora das fibras dos nervos, o que perturba mensagens passadas entre o cérebro eo corpo causando problemas com a fala, visão e equilíbrio.
carrinho de super market_shopping
Outro dos autores do estudo, o professor David Hafler, da Universidade de Yale, disse que a natureza claramente não tinha a intenção para o sistema imunológico para atacar o seu corpo do hospedeiro, de forma que ele esperava que um fator externo estava jogando uma parte.
Ele disse: "Estes não são doenças de genes ruins sozinhas ou doenças causadas pelo ambiente, mas as doenças de uma má interação entre genes e meio ambiente.
"Os seres humanos foram geneticamente selecionados para as condições em sub-saariana, onde não havia sal. É uma das razões que ter um determinado gene pode tornar os afro-americanos muito mais sensíveis ao sal .
'Hoje em dia, todas as dietas ocidentais tem elevado teor de sal e que levou a aumentar em hipertensão e doença auto-imune, talvez, também.'
O próximo plano de equipe para estudar o papel que as células Th17 jogar em doenças auto-imunes que afetam a pele.
"Seria interessante saber se os pacientes com psoríase pode aliviar os sintomas, reduzindo o consumo de sal", eles disseram.
'No entanto, o desenvolvimento de doenças auto-imunes é um processo muito complexo que depende de muitos factores genéticos e ambientais.'

Atenha-Boas Sais

Refinados sais, processados ​​e branqueados são o problema. O sal é crítica para a saúde e é o mineral mais prontamente disponível não metálico no mundo. Nossos corpos não são projetados para cloreto de sódio refinado processado, uma vez que não tem nenhum valor nutricional. No entanto, quando um sal é preenchido com dezenas de minerais, tais como em cristais cor-de-rosa de sal-gema Himalaia ou a textura cinza de sal Celtic, nossos corpos se beneficiar enormemente para a sua incorporação em nossa dieta.
"Esses sais minerais são idênticos aos elementos de que nossos corpos foram construídos e foram originalmente encontrados no oceano primitivo de onde se originou a vida", argumenta Dr. Barbara Hendel, pesquisador e co-autor de água e sais minerais, a essência da vida. "Temos lágrimas salgadas e suor salgado. A composição química e mineral dos nossos sangue e fluidos corporais são semelhantes à água do mar. Desde o início da vida, como os bebês que ainda não nasceram, estamos envolto em um saco de fluido salgado. "
"Na água, o sal se dissolve em íons minerais," explica o Dr. Hendel. "Estes conduzem os impulsos elétricos nervosos que conduzem os processos de movimento muscular e de pensamento. Basta o simples ato de beber um copo de água requer milhões de instruções que vêm de íons minerais. Eles também são necessários para equilibrar os níveis de pH no corpo. "
Os sais minerais, diz ela, são saudáveis ​​porque eles dão o seu corpo a variedade de íons minerais necessários para equilibrar suas funções, manter-se saudável e curar. Estas propriedades curativas têm sido reconhecidos na Europa central. No Wieliczka, na Polónia, um hospital foi esculpida em uma montanha de sal. Asmáticos e pacientes com doença pulmonar e alergias descobrir que respirar o ar nas câmaras subterrâneas salinas ajuda a melhorar os sintomas em 90 por cento dos casos.
Dr Hendel acredita muito poucos minerais, em vez de muito sal, pode ser o culpado por problemas de saúde. É uma visão que é ecoado por outros acadêmicos, tais como David McCarron, da Oregon Health Sciences University em os EUA.
Ele diz sal sempre fez parte da dieta humana, mas o que mudou é o conteúdo mineral da nossa comida. Em vez de comer alimentos ricos em minerais, como nozes, frutas e legumes, as pessoas estão se empanturrando com "mineral vazia" alimentos processados ​​e bebidas gasosas.


Fonte: "Os cientistas Oficialmente Vincular Alimentos Processados ​​Para Doença Auto-Imune", de prevenir a doença , até abril de McCarthy
Tradução google!
Texto original abaixo:
http://earthweareone.com/scientists-officially-link-processed-foods-to-autoimmune-disease/?utm_content=buffer4eddd&utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer

segunda-feira, 9 de março de 2015

O porquê de os grãos não serem saudáveis

Artigo traduzido por Hilton Sousa. O original está aqui.


Falar mal dos grãos é uma refeição saborosa, mas no final das contas, insatisfatória.

Todos vocês sabem o quanto eu adoro fazer isso, entretanto. Mas não importa o quão frequente eu me sente para saborear essa atividade (Ijá fiz isso com grande gosto no passado), sempre deixo a mesa sentindo que ficou algo para trás. Talvez eu não tenha sido enfático o suficiente sobre o perigo do glúten, ou tenha falhado em realmente transmitir o quanto odeio lectinas. Se eu não soubesse como as coisas funcionam, pensaria que a mera menção aos grãos fosse elicitar uma resposta à la insulina e deixar os meus hormônios da saciedade fora do prumo. Eu estava me enchendo de discurso anti-grãos, mas simplesmente não conseguia preencher tal por muito tempo.

Bem, eu estou faminto hoje, e dessa vez quero me encher até o ponto de ficar enjoado para sempre. Eu não quero sequer olhar para outro argumento anti-grãos depois (sei, sei...). Se as coisas ficarem um pouco desconexas, ou se eu recorrer a tópicos e framentos de sentenças, é só porque a fome me dominou e eu decidi dispensar os refinamentos para conseguir colocar tudo para fora.

Então, por favor, me acompanhe.

Excetuando-se manter as convenções sociais em certas situações e obter calorias baratas do açúcar, não há absolutamente qualquer razão para que se coma grãos. Acredite em mim – eu fui longe na pesquisa e perguntei a todo mundo por uma única boa razão para comer cereais, mas ninguém conseguiu apresentar. Eles podem ter respostas, mas elas simplesmente não são boas o suficiente. Por diversão, entretanto, vamos dar uma olhada em algumas das afirmações.

"Você precisa da fibra!"



Ok, de uma vez por todas: não, eu não preciso. Se você está se referindo à frequentemente citada habilidade de "mover as coisas por dentro", a fibra tem algumas consequências imprevistas. Alguns anos atrás, cientistas descobriram que comidas ricas em fibra "chocam-se contra as células do revestimento do trato gastrointestinal, rompendo sua camada externa", o que "aumenta o nível de muco lubrificante". Bem, isso soa horrível. Chocando-se e rasgando ? Rompendo ? Não são palavras que eu gosto de ouvir. Mas espere! Os autores do estudo dizem "É uma coisa boa". Fantástico! Então quanto todos aqueles gravetos e toquinhos se friccionam com o meu interior e literalmente rompem o revestimento intestinal, eu não tenho nada com o que me preocupar. É tudo parte do plano, certo ?

De alguma maneira, não estou convencido que uma infusão diária de fibras insolúveis vindas de grãos seja tão essencial assim. E aquele "muco lubrificante" soa horrivelmente parecido com o muco do qual as pessoas com síndrome do intestino irritável (SII) reclamam. De experiência pessoal, posso dizer que quando completei o meu êxodo dos grãos, a SII parou completamente. Se você ainda não está convencido sobre a questão da fibra, sugiro ler o site Fiber Menace, do Konstantin Monastyrsky. De qualquer maneira, há bastate fibras nos legumes, verduras e frutas que como. O que me leva à próxima afirmação:

"Você precisa das vitaminas e minerais!"



Você me pegou. Eu preciso de vitaminas e minerais, tais como B1, B2, magnésio, ferro, zinco e potássio. Mas eu tenho que obtê-las comendo uma dieta pesada em carboidratos vindos de grãos ? Não, não preciso. Me mostre uma porção de "grãos integrais saudáveis" que possa competir – em termos de nutrientes, vitaminas e minerais – com uma salada gigante. Como é ? Não consegue ? Pois é, imaginei.

"Mas eles formam a base da pirâmide alimentar do governo!"



Sabe, eu devia ter começado o artigo com essa. Poderia ter salvado os meus dedos do trabalho de digitar, e os seus olhos do trabalho de ler. As recomendações governamentais não são pontos a seu favor, comedor de grãos; elas são pancadas dadas em você. Um apelo à autoridade (a menos que "autoridade" seja na prática uma preponderância de evidência científica, é claro) não faz um argumento efetivo. A sabedoria convencional requer dissecção e crítica constantes e consistentes, se quiser ser de algum valor.

Mas há uma razão pela qual os grãos estão em primeiro na lista de alimentos a se evitar ao seguir o Primal Blueprint: eles são completa e definitivamente sem sentido no contexto de uma dieta saudável. De fato, se a pessoa doente mediana perguntasse pelas 3 principais coisas a se evitar para ficar saudável, eu diria a eles para deixar de fumar, deixar de beber calorias (como refrigerante ou suco) e parar de comer grãos. Ponto. Eles são ruins assim.

Eu já mencionei várias vezes, mas o problema fundamental com os grãos é que eles são uma comida distintamente neolítica à qual o animal humano ainda precisa se adaptar a consumir. Na prática, grãos cereais figuraram proeminentemente  no começo da Nova Idade da Pedra; os grãos estavam bem na vanguarda da revolução agricultural. Diabos, eles foram a revolução agricultural – einkornmilhete e espelta formaram a espinha dorsal da agricultura neolítica. Eles podiam ser armazenados por meses, eram fáceis o suficiente para plantar em quantidades grandes o suficiente para sustentar uma população crescente, e promoveram a construção de povoados permanentes. Ah, e eram facilmente acumulados, significando que provavelmente foram uma forma primitiva de dinheiro (e, por extensão, uma potencial fonte da desigualdade de renda). E aqui vai o pior: eles eram coisinhas duras que provavelmente nem tinham gosto muito bom. Também era necessário um monte de trabalho só para deixá-las comestíveis, graças a seus anti-nutrientes tóxicos.

Anti-nutrientes tóxicos ? Fale mais sobre isso.


Coisas vivas geralmente não querem ser consumidas por outras coisas vivas. Ser digerido, na maior parte do tempo, tende a interromper a sobrevivência, procriação e propagação da espécie – você sabe, coisas que a flora e fauna consideram bastante importantes. Para evitar serem consumidas, as coisas vivas usam vários mecanismos de auto-defesa. Coelhos, por exemplo, com suas orelhas enormes, fibras musculares de contração rápida e unhas, podem geralmente ouvir um predador chegando, fugir correndo (pulando ?) de praticamente qualquer coisa e retalhar uma barriga macia. Baleias azuis são muito grandes para caber na sua boca, enquanto porcos-espinho são almofadas de alfinetes ao contrário. O ponto é, animais tem mecanismos de defesa ativos. Eles correm, lutam, pulam, escalam, voam, picam, mordem e até mesmo apelam para nossas emoções (se você já viu um filhote implorando por comida com olhos tristes, sabe que não é apenas fofura acidental) para sobreviver. Enquanto isso, os predadores estão constantemente evoluindo e gerando adaptações.

Plantas, entretanto, são organismos passivos sem a habilitade de mover-se, pensar e reagir (na maior parte). Elas precisam empregar táticas diferentes para garantir a propagação, e geralmente tem que confiar em forças externas para espalhar suas sementes. E então vários métodos foram "desenvolvidos" para dissuadir o consumo por tempo longo o suficinete para que a semente chegue a onde precisa. Nozes tem aquelas cascas duras, e grãos tem anti-nutrientes tóxicos, lectinas, glúten e fitatos. (É claro que há exceções óbvias. Frutas são gostosas, nutritivas e deliciosas, de modo que os animais vão comê-las e defecar as sementes, preferencialmente em solo fértil. A semente permanece intacta através do trato digestivo: ela é indigerível por definição. Nenhuma semente "quer" ser digerida, porque isso iria acabar com seu propósito. Elas "querem" ser engolidas, ou carregadas pelo vento ou por uma abelha até a próxima flor, mas não querem ser digerídas)

Alguns animais estão claramente adaptados a comer grãos. Pássaros, roedores e alguns insetos podem lidar com os anti-nutrientes. Humanos, entretanto, não conseguem. Talvez se os grãos representassem uma porção significativa da nossa história dietária ancestral, as coisas pudessem ser um pouco diferente. Alguns de nós podem digerir laticínios, e temos a enzima amilase na nossa saliva que quebra amidos se for necessário, mas simplesmente não temos os mecanismos necessários para mitigar os efeitos nocivos das lectinas, glúten e fitato.

Lectinas são ruins. Elas ligam-se aos receptores de insulinaatacam o revestimento estomacal de insetosligam-se ao revestimento intestinal humano, e aparentemente causam resistência à leptina. E resistência àleptina prediz uma "piora das características da síndrome metabólica independente da obesidade". Divertido, né ?

glúten pode ser ainda pior. Encontrado no trigo, centeio e cevada, é composto pelas proteínas gliadina e glutenina. Cerca de 1% da população é de celíacos, pessoas totalmente intolerantes a qualquer quantidade de glúten. Em celíacos, qualquer glúten dietário pode ser desastroso. Estamos falando sobre níveis comprometidos de cálcio e vitamina D3, hiperparatiroidismo, defeitos ósseos. Coisa realmente terrível. E fica pior: só porque você não é celíaco não significa que não é suscetível aos estragos do glúten. Como o Stephan frisa, um estudomostrou que 29% das pessoas assintomáticas (leia-se "não-celíacas") testaram positivo para anti-gliadina IgA nas fezes. Anti-gliadina IgA é um anticorpo produzido pelo intestino, e que permanece lá até que tenha sido despachado para barrar a gliadina – um componente primário do glúten. Basicamente, a única razão para a anti-gliadina IgA ir parar nas suas fezes é porque o seu corpo sentiu uma ameaça iminente – glúten. Se o glúten não representa ameaça, a anti-gliadina IgA permanece no seu intestino. E pensar que a maioria dos americanos come esse negócio todo dia.

Fitatos são um problemas também, porque eles tornam os minerais bio-indisponíveis (jogando fora todas aquelas vitaminas e minerais saudáveis que precisamos obter dos grãos integrais!), tornando nulo o último argumento remanescente pelo consumo de grãos cereais.

Qual, então, é o ponto de toda essa loucura de grãos ? Há uma boa razão para qualquer um (com acesso a carnefrutas, legumes e verduras, é claro) ter nos grãos cereais uma porção significativa da sua ingestão calórica ?

A respota é inequívoca e inegavelmente não. Não precisamos de grãos para sobreviver, que dirá para florescer. Na prática, eles são naturalmente selecionados para manter as pragas ao longe – sejam insetos ou hominídeos. Eu sugiro que sigamos essa pista e deixemos de comê-los.

E com isso, estou cheio. Não consigo dar nem mais uma mordida.

http://www.paleodiario.com/2015/02/o-porque-de-os-graos-nao-serem-saudaveis.html

sexta-feira, 6 de março de 2015

Médico afirma que o trigo é um veneno crônico perfeito



O médico que criou a nova dieta Bill O'Rilleys diz para evitar o pão de hamburguer e a salada de macarrão no seu churrasco do Dia do Trabalhador O Dr. William Davis é cardiologista e autor do êxito de vendas “Pançazinha de Trigo.” Deixe o trigo e perca peso e encontre o caminho de volta à saúde. Doutor. Bom dia.

WD: Bom dia

CBS: Feliz Dia do Trabalhador.

WD: Para si também

CBS: Na sua opinião, porque é o trigo tão mau?

WD: Não é o trigo. É uma planta de 50 cm de altura criada através de investigação genética nos anos 60 e 70Esta coisa tem muitos atributos novos dos quais não fomos informados tais como: existe uma nova proteína nesta coisa chamada gliadina. Não estou a falar de glúten, por isso não estou a dirigir-me às pessoas sensíveis ao glúten ou com doença celíaca. Estou a falar de todos as outras pessoas. Porque todos as outras pessoas são sensíveis a esta proteína gliadina que é um opiáceo. Esta coisa liga-se aos receptores opiáceos do cérebro e na maioria das pessoas estimula o apetite, de modo que, você e eu consumimos em média 440 calorias a mais por dia, 365 dias por ano. Aposto que está com fome agora.

CBS: Estou sempre com fome agora. Aqui temos o desenho de umas roscas na capa do livro, de facto têm um aspecto apetitoso. Então não é necessariamente o trigo mas antes a espécie de trigo que estamos a comer.

WD: Correcto. Não é o trigo que a nossa mãe tinha. Não é o trigo que a nossa avó tinha. É uma planta muito diferente que foi modificada geneticamente. Já agora tudo isto é anterior às técnicas de modificação genética. Estas técnicas eram rudes imprecisas e imprevisíveis, muito piores do que as modificações genéticas modernas. Então isto era vendido, não se levantaram quaisquer questões, é um produto de investigação que ocorreu antes das técnicas de clivagem genética. Então esta coisa é muito diferente. Tem muitas propriedades novas e singulares para os humanos. Mas o efeito estimulador do apetite é o que mais se destaca; mas há outros.

CBS: Seria possível andar com o relógio para trás e voltarmos ao trigo antigo? Quer dizer, é isso cientificamente possível no tempo em que estamos?

WD: É muito possível, mas economicamente inviável provavelmente porque esta coisa produz cerca de 10 vezes mais por cada acre e por isso teríamos que pedir aos lavradores para, para arcar com uma perda efectiva. Teríamos que pedir aos agro-industriais para voltar às sementes antigas. Eles podem fazê-lo. Eles provavelmente não o farão. Mas nós despoletámos um movimento e estamos a ter muita aderência. E por causa disso está a haver uma baixa recorde em vendas. Porque é muita gente. Penso que a motivação é esta onda de mudança. Se 3 pessoas perderam 4kg grande coisa. Isso simplesmente morrerá e desaparecerá, certo? Mas estamos a ver centenas de milhares de pessoas a perderem 14kg, 36kg, 68kg, diabéticos a deixarem de o ser, pessoas com artrite a experimentarem alívio extraordinário, pessoas a deixarem de ter inchaço nas pernas, refluxo ácido, síndroma de gás intestinal, depressão, e por aí adiante a cada dia.

CBS: Aqui está uma pergunta; Então se as pessoas quiserem começar a comer de forma mais saudávele não tiverem possibilidades financeiras para irem às lojas da especialidade ou produzirem o seu próprio trigo o que poderão começar a fazer de imediato?

WD: Comam alimentos simples. Comam abacates, azeitonas, azeite, carnes... vegetais, por outras palavras, comida verdadeira. Tudo o que tiver a menor probabilidade de ter sido modificado pela indústria agrária. Os cereais estão fora de questão. Quando digo cereais claro, cerca de 90% de todos os cereais que comemos é trigo. Não é centeio, não é milho-miúdo, não é linhaça. Vai ser o trigo. Então na verdade é um problema com o trigo. Temos sido os receptáculos desta panóplia de mudanças.

CBS: E no entanto existem muitos lavradores que trabalham estes cereais e que argumentam o contrário. A Clínica Mayo argumenta o contrário. Eles dizem que precisamos uma dieta equilibrada e que isso inclui o trigo.

WD: Certo. Porque o que a literatura diz é que se se vai substituir uma coisa prejudicial, os farináceos brancos e enriquecidos, com algo menos prejudicial, cereais integrais e haverá uma aparente melhoria na saúde, vamos comer coisas que não sejam tão prejudiciais. Então eu pego nos cigarros Tareyton sem filtro e substituo-os por cigarros Salem com filtro. Você deveria fumar cigarros Salem. Essa é a sua lógica nutritiva. É uma lógica profundamente defeituosa. E se dermos o passo seguinte e dissermos; Eliminemos todos os cereais, o que acontecerá então? Eliminar em particular esta coisa moderna criada por processo genético ao qual dão o nome de trigo semi-anão. É então que se vêem, não melhoras na saúde; é quando se verificam transformações na saúde.

CBS: Você olhou de lado para mim quando disse que tinha comido uma rosca de trigo integral esta manhã.

WD: Bem, você está a trabalhar então... E safou-se.

CBS: Estava a tentar ganhar forças antes do programa mas falando de uma forma geral, até mesmo os cereais integrais, apenas para reiterar, você está a dizer que é uma má ideia.

WD: É uma muito má ideia. De facto eu diria que o trigo moderno é um veneno crónico perfeito. Causa diabetes, causa inflamações, causa problemas cardiovasculares, causa hipertensão. Só porque os cereais integrais são menos prejudiciais do que a farinha branca não quer dizer que sejam bons. Então temos que usar uma lógica totalmente nova e clara neste assunto. Se vamos eliminar cereais eliminemos o trigo especialmente o trigo semi-anão de alta produção ,é então que vamos ver transformações, é então que vemos os diabéticos verem-se livres dos seus medicamentos, é então que vamos ver os pacientes de artrite reumática atirar ao lixo as suas drogas para as dores nas articulações. é então que vamos ver o colesterol alto ir embora, vamos ver transformações incríveis na saúde.

CBS: Alimento para o pensamento. Bastante alimento para o pensamento. Por favor evitem a bandeja do pequeno almoço à saída, Dr., muito obrigado.


Cortar o trigo moderno da sua dieta é benéfico, diz Dr William Davis
https://docs.google.com/document/d/1HJVG1Plrr9hGPfl7Y543kZ87oN8n77MOtgqMO7P5pTA/edit 

Outros artigos sobre o mesmo tema:                          
http://www.drmarcos.net/diga-nao-aos-cereais.html(
http://www.drmarcos.net/o-que-estamos-fazer-mal-do-ponto-de-vista-alimentar-mitos-e-realidades.html(
http://www.drmarcos.net/20-conselhos-para-nao-se-envenenar.html 

http://saude.acordem.com/blog/30442