segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A doença celíaca pode prejudicar a sua vida sexual?


Por Jorge Rezende 

Google tradutor:

Celiac.com 2013/09/30 - O impacto negativo da doença celíaca sobre a saúde sexual dos doentes celíacos é um dos grandes aspectos indiscutido da doença, de acordo com Phil Zimbardo, psicólogo proeminente e professor emérito da Universidade de Stanford, na Califórnia.

"Ninguém fala sobre o papel do sexo na doença celíaca", diz Zimbardo, ninguém diz às pessoas que a doença celíaca pode destruir seu desejo sexual e desafio "sua própria masculinidade." Este e outros pontos de vista de Zimbardo sobre a doença celíaca e seu impacto sobre a saúde sexual pode ser encontrado em um excelente artigo de Lisa Fitterman em Allergicliving.com .

Para Zimbardo, a vida antes de seu diagnóstico celíaca era um lugar escuro. Enquanto seu corpo sofreu os efeitos da doença celíaca, Zimbardo ficou tão deprimido que ele perdeu todo o interesse em sexo e intimidade. Este, por sua vez, teve um impacto negativo sobre o casamento de Zimbardo.

Este impacto negativo da doença celíaca em saúde sexual não é exclusivo para os homens. Muitas mulheres com a doença celíaca ver suas próprias vidas sexuais sofrer.

No caso de Alice Bast, fundador e presidente da Fundação Nacional para a Consciência celíaca (NFCA), doença celíaca teve uma série de efeitos adversos para a sua saúde e bem-estar.

Bast reconhece a Fetterman que os sintomas da doença celíaca não diagnosticada empurrado sexo longe de sua mente, e que sua libido não fazer um retorno milagroso no momento do diagnóstico e indo sem glúten. Mesmo depois que ela foi diagnosticada, sua recuperação física era lento, devido à desnutrição crônica que contribuiu para vários abortos e um natimorto. Na verdade, quando se tratava de sexo, Bast diz que o retorno de sua saúde sexual veio lentamente, quase imperceptivelmente, até que ela percebeu que ela estava gostando de intimidade novamente depois de anos de evitá-la.

Repetindo a experiência de Bast, Zimbardo aponta que, "como um psicólogo, estou sempre analisando o comportamento e eu simplesmente não conseguia entender o que acontece comigo até eu fui diagnosticado."

Uma vez que ele foi diagnosticado, no entanto, Zimbardo cortar o glúten de sua dieta e comecei a tomar anti-inflamatórios e probióticos para regenerar seu intestino flora . Demorou um ano para seu intestino para curar e para a sua plena saúde e vigor para voltar, mas agora ele está saudável, fisicamente e sexualmente.

Para Zimbardo, e muitos outros, dando-se o glúten é a chave para voltar à boa saúde e atividade sexual saudável. Desistir glúten era "nada menos do transformador." Agora, ele diz que "não pode esperar para ser de 80".

Há uma grande quantidade de informações anedóticas para sugerir que a doença celíaca pode ter impactos negativos sobre a saúde sexual, ainda existe muito poucos dados reais. Será interessante ver se e quando os pesquisadores começam a procurar respostas.

Como sempre, Celiac.com agradece os comentários (veja abaixo). Receba alertas de e-mail gratuito Celiac.com (1-3 e-mail por mês com as últimas pesquisas da doença celíaca e informações, receitas sem glúten, etc.)

www.celiac.com
Celiac disease and gluten-free diet information at Celiac.com. Celiac disease, also known as gluten intolerance, is a genetic disorder that affects at least 1 in 133 Americans. Symptoms of celiac disease can range from the classic features, such as diarrhea, weight loss, and malnutrition, to latent…

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Sua pele pode ter doença celíaca?


Dra. Vikki Petersen
23 de setembro de 2013

Tradução: Google / Adaptação: Raquel Benati



Eu não gosto da maneira como tratamos de Pele em nosso País (EUA).
O que me irrita é a forma como condições de pele são tratadas neste país. Eu não posso afirmar o que acontece em outros lugares, embora eu ache que é similar, mas aqui nos EUA, dermatologistas (médicos da pele) tendem a tratar a pele como se fosse uma mancha em sua camisa. Em outras palavras, direcionam toda a sua atenção para tentar fazer desaparecer a erupção, a secura, a queima, etc. topicamente.

Por que isso é um erro? A pele é um órgão. Na verdade, é o nosso maior órgão. Também é importante saber que a pele é  estreitamente relacionada com o aparelho digestivo, outro órgão muito grande e muito importante.

Você pode ter "Skin Leaky ", além de um intestino permeável

Quando discutimos a doença celíaca e a sensibilidade ao glúten,  muitas vezes mencionamos sobre  intestino permeável, uma condição em que a integridade e a saúde do intestino delgado está comprometida. Curiosamente, a pele também pode ser "permeável ou demasiado permeável". Este problema realmente explica porque algumas pessoas reagem a aplicação tópica de glúten, enquanto outros não - depende da existência ou não de uma pele permeável.

Existe uma condição clássica de pele associada com glúten chamada Dermatite Herpetiforme ou DH. É muitas vezes conhecida como a doença celíaca da pele.

O que é Dermatite Herpetiforme (DH)?

DH aparece como bolhas em áreas simétricas do corpo, incluindo os cotovelos, joelhos, nádegas, costas e parte de trás da cabeça.   As bolhas são geralmente inflamadas e vermelhas, com queimaduras graves e coceira.   O ardor e prurido podem estar presente antes de uma erupção  aparecer. Eu tive um paciente que descreveu como "querosene aceso debaixo de sua pele".

Uma substância chamada imunoglobulina IgA, que é produzida no revestimento do intestino, é encontrada como depósitos na pele de um paciente DH. Acredita-se que o glúten na dieta combina com IgA e, juntos, eles entram na corrente sanguínea onde entupem pequenos vasos sanguíneos da pele. Esta manifestação cria uma resposta imunitária suplementar por células brancas do sangue e o resultado é a onda de DH. 

Apesar da relação de DH com a doença celíaca, apenas 20% dos pacientes que sofrem com isso têm quaisquer sintomas digestivos. No entanto, a atrofia das vilosidades - a destruição do intestino delgado que é indicação de doença celíaca - está presente 80% do tempo. Esta destruição "silenciosa" provavelmente contribui para sejam  poucos os que são diagnosticados corretamente com DH. Em vez disso, são dados cremes, loções e esteróides, todos com foco na própria erupção em vez de tratar a causa raiz do problema - neste caso, o consumo de glúten na dieta.

Sabemos que DH existe e nós sabemos que é a expressão da pele da doença celíaca. Alguém poderia pensar que ter esse conhecimento seria suficiente para perceber que o glúten pode causar manifestações em áreas além do trato digestivo. Mas, infelizmente, nós continuamos a ouvir falar de caso após caso em que o paciente teve de diagnosticar-se com a doença celíaca ou sensibilidade ao glúten quando o médico se recusou a testá-los, porque eles tinham nenhuma ou mínimas queixas digestivas.

A incidência de DH é pensada para ser de 10 em 100.000, tipicamente começando na posição da 2 ª a 4 ª década de vida. É duas vezes mais comum em homens e mais ainda em caucasianos de descendência do norte da Europa. DH afeta cerca de 15% -25% dos pacientes com doença celíaca.

Condições da pele refletem Saúde Intestinal

 Em nossa prática nós gostamos de dizer que a pele é um reflexo da saúde do intestino. Se a condição é acne, eczema, pele seca, psoríase ou DH - quando a condição da pele está presente, devemos olhar para o intestino. Pesquisadores da DH concordam conosco. Na verdade, eles sugerem que a enzima tTG que é classicamente medida no sangue para a doença celíaca tem uma versão equivalente para pele, que indica a presença de DH. Eles sentem que o mecanismo subjacente tem a ver com o mimetismo molecular entre tTG do intestino e na pele. By the way, Cyrex Labs está prestes a lançar este teste específico, relacionado com pele tTG como um exame de sangue para a DH.

O tratamento para a DH é duplo:
1. Dapsona - uma droga dada para o alívio sintomático de que tem um efeito colateral perigoso de criação de anemia hemolítica
2. Dieta livre de glúten

Por que estamos sem êxito no tratamento de DH?

 Qual é a taxa de sucesso? Remissão completa só é vista em 10-20% dos pacientes. Isso não é nada bom, eu acho que você vai concordar comigo.

Por que isso ocorre? O paciente e seu médico tem  foco apenas na aparência da pele, ao invés do estado de saúde do intestino delgado e do corpo como um todo. Quando a pele "parece" melhor, os pacientes traem sua dieta. Parece mal recomendado e é, especialmente considerando que DH aumenta o risco de desenvolvimento de outras doenças autoimunes (da tiróide, diabetes, etc), bem como o cancro do intestino delgado.

Mas isso é culpa do paciente? Não, na minha opinião, é o seu médico. Embora com muito boa informação disponível para praticamente todos na internet, acho que podemos manter os pacientes um pouco responsáveis por sua saúde. Em geral, eu acho que o peso da responsabilidade recai sobre os médicos que não conhecem o suficiente sobre DH e confundem com outra condição ou ao diagnosticá-la corretamente, depois não colocam ênfase na cura do corpo como um todo.

Encontre a "real" causa de sua condição de pele

Se você ou alguém que você conhece tem uma doença de pele, independentemente dela acabar por ser DH, saiba disto: a pele reflete a saúde do trato digestivo e com má saúde digestiva, estará presente - com ótima saúde, estará ausente. Encontre um clínico que tenha o ponto de vista correto sobre o corpo e que compreenda que as condições de pele necessitam de ser tratadas abraçando o corpo inteiro, e não topicamente.


To your good health,
Dr Vikki Petersen, DC, CCN
Founder of HealthNOW Medical Center
Co-author of “The Gluten Effect”
Awarded Gluten-Free Doctor of the Year 2013

References:
Journal of European Academy of Dermatology and Venereology. 2009 Jun;23(6):633-8. Epub 2009 Mar 10. “Guidelines for the diagnosis and treatment of dermatitis herpetiformis.”

World Journal of Gastroenterology  2007 April 14;13(14): 2138-2139
“Celiac disease and skin: Psoriasis association”

Journal of the American Academy of Dermatology. 2009 Jul;61(1):39-43.
“Autoantibodies against epidermal transglutaminase are sensitive dx marker in pts w/ DH on a normal or g-free diet.”

Clinical Gastroenterology and Hepatology. 2005 Apr;3(4):335-41.
“Permeability, zonulin production & enteropathy in DH.”
http://dietasemgluten.blogspot.com.br/2013/09/sua-pele-pode-ter-doenca-celiaca.html

domingo, 22 de setembro de 2013

Uso de probióticos na Doença de Crohn




A doença de Crohn (DC) é uma doença inflamatória intestinal de origem não conhecida, caracterizada pelo acometimento de qualquer parte do tubo digestivo, da boca ao ânus. Inicia-se na segunda e terceira metade da vida, mas pode afetar qualquer faixa etária. A doença não é curável clinica ou cirurgicamente e sua história natural é marcada por remissões e agudizações.
Os pacientes com DC apresentam frequentemente diarreia e desnutrição, algumas vezes de difícil manejo considerando a atividade da doença e o acometimento intestinal.
Um estudo que envolveu o uso dos probióticos Lactobacillus casei e Bifidobacterium breve, em 15 portadores de DC, demonstrou ser eficiente nos quadros de diarreia, e melhora do estado nutricional dos pacientes.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Dificuldade no Diagnóstico da DC

Por Raquel Benatti


A doença celíaca é um grande quebra-cabeça e precisamos de muita informação para entendê-lo.


Os médicos no Brasil ainda consideram a endoscopia com biopsia o padrão -ouro para diagnóstico de DC.

Mas sabemos que isso está mudando.

Vou citar várias situações ligadas às desordens que o glúten causa - uma delas pode ser a sua.

Sorologia positiva e biopsia negativa: hipóteses
1 - o endoscopista não pegou fragmentos nos locais onde estivesse lesionado - como essas áreas com lesão não podem ser identificadas só olhando no aparelho e elas não cobrem todo o duodeno, havendo partes íntegras e partes lesionadas, é o jogo da sorte - colher a amostra em locais lesionados.
2 - o patologista não conhece bem doença celíaca e não soube preparar e analisar a lâmina - nesses casos se recomenda pegar a lâmina e levar para ser analisada em outro laboratório, para ver se o resultado será o mesmo.
3 - A doença celíaca está no início e ainda não há lesões em grau III nas vilosidades ( os médicos usam a classificação de Marsh e só quando está em grau III consideram que é DC);

Há anos atrás os gastros te mandariam para casa e diriam para vc esquecer esse coisa de doença celíaca.

Hoje os médicos americanos e europeus já analisam todos os exames, sintomas, reações do paciente, histórico familiar e já dão diagnóstico de DC sem precisar do resultado da biopsia. Encontramos estudos estrangeiros sobre esse tipo de procedimento.

Leia esse artigo do Dr Alessio Fasano para entender melhor o quadro atual das desordens causadas pelo glúten:

Numa parte do texto ele explica:
"grande variabilidade da DC - achados relacionados indicam que é difícil conceituar o processo de
diagnóstico em algoritmos rígidos, que podem abranger a complexidade clínica dessa doença. Por esta
razão, uma abordagem quantitativa que pode ser definida como a 'quatro das cinco regra' foi proposto
recentemente [ 26 ]. Usando este método, o diagnóstico de DC é confirmado se, pelo menos, quatro dos
cinco seguintes critérios são preenchidos:
1. Os sintomas típicos de DC
2. A positividade dos auto-anticorpos séricos da classe IgA DC em alto título
3. HLA-DQ2 e / ou HLA-DQ8 genótipos
4. Enteropatia celíaca encontrada na biópsia do intestino delgado
5. Resposta a uma Dieta Isenta de Glúten"

Se você se considera celíaca, siga a dieta 101% sem glúten. Procure profissionais de saúde que conheçam e estudem a DC e se oriente por eles.

Visite nosso site e leia mais sobre doença celíaca:

Temos um grupo de celíacos no facebook, para troca de informações, orientações, receitas etc. Venha participar:

http://www.biomedcentral.com/1741-7015/10/13
Publicado em 07 de fevereiro de 2012.
Tradução e diagramação de Raquel Benati.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

E se eu tirar o glúten da minha dieta?!


Semana passada o Nutricast foi sobre o glúten. Ainda – e cada vez mais – as pessoas estão sepreocupando com a ingestão de glúten, se é realmente ruim para a saúde e, principalmente para a estética. Glúten engorda? Glúten faz mal? O que acontece se eu tirar o glúten da dieta, mesmo sem ter doença celíaca? Escuto essas e outras perguntas com muita frequência e aí, aproveitando o gancho do vídeo, e das dúvidas da semana passada vim esclarecer mais algumas dúvidas sobre esse assunto, e frisar outros pontos que acho importante! Para quem não assistiu o vídeo, segue o Nutricast da semana passada, vamos lá?!
O glúten é uma proteína encontrada em alguns grãos como centeio, cevada, malte, trigo e aveia. Essa proteína acaba grudando na parede do intestino – mesmo em quem não apresenta doença celíaca – pois é uma das suas características. Não é a toa que o glúten serve para dar a liga nas massas, maciez e elasticidade. O problema disso é que existem graus e graus de tolerância. Algumas pessoas reagem super bem quando tiramos o glúten da dieta enquanto outras não sentem a menor diferença… Ter uma quantidade exagerada de glúten no cardápio acaba fazendo com que a digestão e absorção de nutrientes fique mais complicada, podendo ter como consequência constipação, gases, preguiça,  moleza… isso porque em casos mais leves, adigestão demora mais, fazendo com que o corpo despenda mais energia para a digestão, e em casos mais sérios, acontece uma má absorção de vitaminas e minerais pelo intestino, como o ferro por exemplo, o que irá causar essa fraqueza. Na doença celíaca não tem meio termo. A pessoa fica desnutrida, inchada, estufada e se sente muito mal, uma das consequências mais graves para as crianças celíacas é a deficiência no crescimento, que fica comprometido pela falta de nutrientes!
Mas agora, a pergunta que não quer calar… o glúten engorda?
Não. O glúten não engorda, o que engorda são os alimentos que contém glúten como massas, pães, bolos, biscoitos… Se você trocar todos esse alimentos pela versão sem glúten, e continuar comendo a mesma quantidade… você não vai emagrecer. O que acontece é que os alimentos sem glúten são mais caros e mais difíceis de encontrar, e ai a pessoa passa a consumir por exemplo, cenourinhas baby no lanche, ao invés de biscoito… entendem? Outro ponto que vale ressaltar é que por grudar no intestino, o glúten gera uma reação alérgica ou inflamatória e, como consequência, o corpo libera hormônios e substâncias como histamina e cortisol, que realmente causam um inchaço…
O que eu recomendo?
Converse com seu nutricionista para bolar um cardápio sem glúten, mas não vá esperando milagres… Algumas pessoas realmente se dão bem com a dieta sem glúten, mas o nosso corpo funciona na prática… na teoria tudo é lindo, exato e simples! Mas o que realmente vale é a resposta do nosso corpo! Mas lembre-se de ter o acompanhamento para eventuais alterações e escolhas corretas!
Segue abaixo uma matéria que achei bacana, e que segue a mesma linha de pensamento que eu sigo.
(Clique na imagem para vê-la maior).
gluten
digitalizar0130
http://nutricionario.com/v2/e-se-eu-tirar-o-gluten-da-minha-dieta/