Causa da doença celíaca vai além de fatores genéticos


Mesmo assim, análise de casos na família continua sendo muito importante, aponta estudo.
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA


A doença celíaca é causada pela sensibilidade ao glúten em indivíduos geneticamente predispostos. Porém, mesmo a doença apresentando características genéticas, esse não é o único determinante para o seu desenvolvimento. Na pesquisa “Discordância de apresentação da doença celíaca em gêmeos monozigóticos”, pesquisadores da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal de Minas Gerais, dizem que fatores ambientais também podem contribuir para sua determinação.

Segundo o estudo, publicado este ano na revista Arquivos de Gastroenterologia, 10% dos parentes de primeiro grau de pacientes com a doença também a apresentam. Além disso, quando a doença celíaca atinge pacientes gêmeos idênticos, somente em 75% dos casos ela afeta os dois. “Isso mostra que a sensibilidade ao glúten apresentada por cada indivíduo é diferente, mesmo sendo geneticamente idênticos”, dizem os autores.

Por essa razão, os pesquisadores afirmam que a susceptibilidade à doença envolve não apenas fatores genéticos, mas também os ambientais – porém, não elucidados ainda – e mecanismos imunológicos.

Mesmo assim, eles reconhecem que a importância da investigação em familiares sempre será importante, pois, se não tratados de forma adequada, os indivíduos com a doença podem apresentar incidência aumentada de doenças malignas e outras complicações como osteoporose, infertilidade, baixa estatura e anemia ferropriva.

Para ler o artigo na íntegra, acesse: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032010000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt
Agência Notisa (science journalism – jornalismo científico)
http://unisite.com.br/Saude/27319/Causa-da-doenca-celiaca-vai-alem-de-fatores-geneticos.xhtml

Artrite: Exposição ambiental a laca, batom, poluição, pode desencadear doenças auto-imunes


As ligações entre doenças auto-imunes, infecções, genética e meio ambiente são complexos e misteriosos. Por que as pessoas que vivem nas imediações dos aeroportos mais suscetíveis a doenças auto-imunes como a artrite reumatóide e lúpus? Como hormônios na carne desencadear o aparecimento de uma doença?
O nosso ambiente imediato interage com a nossa programação genética e pode determinar se vamos sucumbir a uma doença auto-imune, diz reumatologista Prof. Michael Ehrenfeld de Tel AvivSackler School da Universidade de Medicina, que está em busca de desvendar esses mistérios. Prof. Ehrenfeld publicou recentemente um relatório em Auto-Imunes Avaliações sobre como "spondylo-artropatias," um grupo de doenças reumáticas inflamatórias comuns, parece ser desencadeada por fatores ambientais. Ele também fez uma pesquisa sobre como o do olho seco aftosa "síndrome de Sjögren" pode ser desencadeada por influências ambientais.
Minimizando os riscos
"O aparecimento de doenças auto-imunes é uma mistura de genética, que você não pode mudar, e fatores ambientais, que em alguns casos você pode," diz o prof Ehrenfeld. Enquanto ele cita a poluição como um gatilho em muitas doenças auto-imunes ", existem alguns fatores ambientais mais difíceis de evitar. Por exemplo, artrite reativa é causada por uma infecção gastro-intestinal, urinário ou sexual grave em algumas pessoas", diz ele.
Aflige mais de 2 milhões de americanos, a artrite reumatóide é uma doença inflamatória auto-imune crónica, três vezes mais prevalente em mulheres do que homens. O distúrbio provoca próprio sistema imunitário do corpo para atacar as suas articulações, causando dor, deformidades e uma substancial perda de mobilidade.
Ainda é impossível dizer quais genes codificam esta doença e tornar algumas pessoas mais suscetíveis a doenças auto-imunes, mas existem alguns comportamentos básicos que podem manter esses transtornos na baía. Uma causa de artrite é um estresse extremo, diz Prof. Ehrenfeld, para os quais já existem estratégias terapêuticas. E alguns medicamentos, como as pílulas anticoncepcionais, pode ser ligada em alguns casos, o aparecimento do lúpus.
"Você não vai saber se tomar a pílula ou a obtenção de um determinado vírus irá desencadear artrite, porque nós ainda não sabemos os genes que codificam as várias doenças auto-imunes", diz ele. "Obviamente aquelas pessoas cujos familiares compartilham uma história de artrite reumatóide ou outras doenças auto-imunes, incluindo problemas de tireóide, deve ser mais vigilante, porque as suas chances são maiores."
Triggers incluem hairspray e batom
A poluição ambiental é também um motivo de preocupação para aqueles geneticamente predispostas a uma doença auto-imune. O fumo passivo, os produtos químicos de alimentos ou produtos químicos no ar, vapores de combustível de aviação, a exposição UV e outras formas de poluição ambiental estão entre os gatilhos considerados para provocar o aparecimento de doenças auto-imunes.
As áreas industriais, particularmente no Norte da Europa e América do Norte, ainda exibem as mais altas taxas da maioria das doenças auto-imunes. Mas em uma escala muito mais local, Prof. Ehrenfeld como também destaca a laca, assim como o batom como gatilhos conhecidos ocasionais.
"A maioria das pessoas acha que a artrite tem a ver com a idade avançada", diz o Prof. Ehrenfeld. "Isso é falso Há apenas um grande tipo de artrite em pessoas mais velhas.:. Osteoartrite, que é causada por alterações degenerativas do corpo que você vê em adultos mais velhos é geralmente um tipo não-inflamatória e não-auto-imune da artrite.
"A maioria dos outros tipos de artrite vemos na clínica, a debilitante e tipos inflamatórios, geralmente ocorrem em mulheres jovens entre as idades de 20 e 40 anos", diz o Prof. Ehrenfeld. "Esperamos que nossa pesquisa possa diminuir a ocorrência e aparecimento destas doenças dolorosas."

Fonte da história:
A história acima é baseada em materiais fornecidos pela Universidade de Tel Aviv .Nota: Os materiais podem ser editadas para o conteúdo e extensão.

http://www.sciencedaily.com/releases/2010/01/100125123231.htm

A obesidade desempenha um papel importante no desencadeamento de doenças auto-imunes

 Um estudo publicado recentemente na Autoimunidade Comentários pelo Prof. Yehuda Shoenfeld, a Laura Schwarz-Kipp Cadeira de Pesquisa de Doenças Auto-Imunes a da Universidade de Tel Aviv Sackler Faculdade de Medicina e Chefe do Zabludowicz Centro de Doenças Auto-Imunes em Chaim Sheba Medical Center, Tel Hashomer, pontos para a maior obesidade papel desempenha no desencadeamento e prolongando a essas doenças auto-imunes.
Segundo a pesquisa, a obesidade leva a uma quebra da auto-tolerância protetor do corpo, criando o ambiente ideal para doenças auto-imunes, e gera um ambiente pró-inflamatórias tendem a piorar a progressão da doença e dificultar o seu tratamento.
"Nós temos tido conhecimento de uma longa lista de causas de doenças auto-imunes - infecções, tabagismo, agrotóxicos, falta de vitaminas, e assim por diante Mas, em cinco anos, um fator novo surgiu que não pode ser ignorado: a obesidade,". disse Prof. Shoenfeld. "De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 35% da comunidade global está acima do peso ou obesos, e mais de dez doenças auto-imunes são conhecidos por estar associado ao aumento de peso. Portanto, é fundamental para investigar o envolvimento de obesidade na patologia dessas doenças."
O culpado em gordura: As adipocinas
Além de sua própria pesquisa, Prof. Shoenfeld e sua equipe do Hospital Tel Hashomer realizada uma revisão sistemática de 329 estudos de todo o mundo sobre a relação entre obesidade, adipocinas (compostos secretados pelo tecido adiposo e envolvidos em inúmeras funções fisiológicas, incluindo a resposta imunitária), e condições relacionadas com a imunidade, como a artrite reumatóide, esclerose múltipla, diabetes tipo-1, psoríase, doença inflamatória do intestino, artrite psoriática, e tiroidite de Hashimoto.
"De acordo com o nosso estudo e os dados clínicos e experimentais avaliação, a participação de adipocinas na patogênese dessas doenças auto-imunes é claro", disse o Prof. Shoenfeld. "Fomos capazes de detalhar as atividades metabólicas e imunológicas dos principais adipocinas existentes no desenvolvimento e prognóstico de várias doenças relacionadas ao sistema imunológico."
Uma dose de vitamina D
Prof. Shoenfeld realizou um estudo sobre as populações do rato com a esclerose múltipla, uma vez uma dieta mediterrânea rica em gorduras insaturadas. Ele constatou que a deficiência de vitamina D também foi um resultado da obesidade e, uma vez corrigido, paralisia aliviada e deterioração renal associada com a desordem.Também melhorou o prognóstico e sobrevida dos camundongos.
"A vida moderna nos faz todos propensas a deficiência de vitamina D", disse o Prof. Shoenfeld. "Vivemos em laboratórios, escritórios, e carros. Quando a vitamina D é secretada no tecido adiposo, não é liberado no corpo, que precisa de vitamina D para funcionar corretamente. Desde que os suplementos de vitamina D são muito baratos e não têm efeitos colaterais, eles são um composto ideal que deve ser prescrito a qualquer pessoa em risco de um sistema imunológico comprometido. "
Prof. Shoenfeld congratula-se com a tendência geral para a medicina personalizada, e acredita que sua pesquisa pode ser uma base para terapias específicas para tratar a síndrome auto-imune. "Se um paciente está em risco, ele ou ela deve ser contada a fazer tudo em seu poder para manter um peso saudável", disse ele.

Fonte da história:
A história acima é baseada em materiais fornecidos pela American Friends of Universidade de Tel Aviv . Nota: Os materiais podem ser editadas para o conteúdo e extensão.

http://www.sciencedaily.com/releases/2014/11/141110110722.htm

Patologia da Doença Celíaca


Dra. Jess Madden

Tradução: Google / Adaptação: Raquel Benati

atrofia de vilosidades do intestino delgado


Dr. John Hart fez uma palestra sobre a patologia da doença celíaca durante o seminário sobre doença celíaca que eu participei na Universidade de Chicago no final de 2014. Dr. Hart é um dos maiores especialistas do mundo neste campo. Patologia engloba os achados anormais que podem ser vistos na biópsia (intestino delgado) duodenal em doentes com doença celíaca. Como um aviso, eu realmente não tenho estudado patologia desde meus primeiros dois anos de faculdade de medicina (1999-2001). Nem eu nunca imaginaria que escreveria sobre isso ...

Dr. Hart começou sua palestra descrevendo a diferença entre os "clássicos" resultados da biópsia  versus "novos" achados da biópsia na doença celíaca.

Achados clássicos de biópsia da doença celíaca incluem atrofia das vilosidades (achatamento, ou embotamento, ao longo das vilosidades do duodeno), células inflamatórias, aumento dos linfócitos intraepiteliais (IELs)  e criptas alongadas.

Mas, demonstrou-se nos últimos anos que os pacientes com doença celíaca podem ter mucosa intestinal totalmente normais (sem atrofia das vilosidades) com aumento apenas IELs (Marsh fase I). No passado, estes pacientes com Marsh I não teriam sido diagnosticados com doença celíaca.

Dr. Hart afirmou que pacientes com anticorpos celíacos anormalmente elevados  (antitransglutaminase - TTG IgA) e Marsh Fase 1 (aumento IELs)  tem Doença Celíaca ou Doença de Crohn. O anticorpo antiendomísio pode ser utilizado para diferenciar entre os dois: será elevado em casos de doença celíaca e normal em Crohn. Não existem outras doenças que causem um resultado elevado de TTG IgA e Marsh I na biópsia do intestino delgado.

Muitas biópsias para a doença celíaca são feitas de forma incorreta. Pelo menos cinco amostras de tecido devem ser obtidas durante a biópsia. Uma biópsia deverá ser do bulbo duodenal e 4 devem ser a partir do duodeno distal. Em 2% dos casos, o dano da doença celíaca é apenas no bulbo duodenal  (por isso, se neste local não é feito biópsia, o diagnóstico da doença celíaca pode ser descartado, levando a um falso-negativo no resultado).

Aumento de IELs, por si só, pode ser visto em muitas doenças além da doença celíaca. O diagnóstico diferencial para o aumento de IELs inclui a Doença de Crohn, infecção por Giardia, supercrescimento bacteriano do intestino delgado (SIBO), duodenite por H. pylori  e uso de anti-inflamatórios não esteroides (classe de drogas que inclui o ibuprofeno e naproxeno).

Além disso, certos medicamentos e outras doenças podem causar atrofia de vilosidades que imitam a doença celíaca "clássica". O principal culpado é "olmesartan", uma medicação para pressão arterial. Losartan e micofenolato são outros. Doenças que causam atrofia das vilosidades incluem imunodeficiência comum variável (ICV) e enteropatia autoimune. Dr. Hart suspeita que muitos casos de doença celíaca soronegativa (níveis de anticorpos celíacos normais,  mas biópsia anormal com atrofia das vilosidades) estão relacionados aos medicamentos. Ele afirmou que a doença celíaca soronegativa deve ser um diagnóstico de último recurso.

No final da palestra perguntei ao Dr. Hart se há alguma janela de tempo em que a biópsia pode ser obtida depois que um paciente começa uma dieta sem glúten, sem ter de passar por uma provocação com glúten. Sua resposta foi a de que  provavelmente é bom  fazer uma biópsia dentro de 2 semanas, com a ressalva de que as águas ainda podem estar "turvas" neste momento. Esta é a melhor resposta que eu já recebi a esta pergunta e eu apreciei que ele teve tempo para respondê-la.

A mensagem para levarmos para casa é que existem muitos pacientes com doença celíaca, que podem ter resultados leves na biópsia e que a atrofia das vilosidades não é mais necessária para o diagnóstico da doença celíaca. Também é importante ter certeza de que a biópsia seja feita corretamente, o que, infelizmente, ainda não é comum. 

Como um aparte, antes que eu fizesse a biópsia da minha filha em junho de 2014, eu confirmei que seu médico ia colher amostras suficientes, incluindo o bulbo duodenal. Ele não se importou por eu ter perguntado isso. Naquela ocasião, ele não tinha ideia de que eu era médica, e nem sabia que eu tinha um blog sobre doença celíaca.

http://dietasemgluten.blogspot.com.br/2015/01/patologia-da-doenca-celiaca.html

As doenças auto imunes nascem no intestino!


ABAAAfu8AAH-1
Em 22 de novembro de 2013, por Dr. Júlio Caleiro, nutricionista. Fone (35) 35318423.
Você tem anticorpos naturais contra praticamente todas as doenças autoimunes. A Dra. Natasha Campbell-McBride, médica neurologista russa, explica que:
 “O que as pessoas tem que entender é que todos nós, 100% dos seres humanos, temos em nossos corpos, anticorpos para lidar com aesclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, artrite reumatóide, osteoartrite, lúpus ou qualquer outra condição autoimune.”
O médico Joseph Mercola diz que:
“Tudo começa no útero. Assim que o timo do bebe se desenvolve, as proteínas que flutuam próximos da corrente sanguínea, que é compartilhado entre a mãe e o bebe, começam a educar o sistema imunológico do bebe, e alocar uma célula de resposta específica para cada proteína encontrada. Doenças autoimunes se desenvolvem quando o sistema imunológico ataca tecidos próprios ou proteínas do seu corpo, porque eles foram contaminados por toxinas ou alguma outra influencia ambiental. E lembre-se esse desequilíbrio, essa influencia tóxica, se origina de seus sistema digestivo ou  na parede do intestino.”
A Dra. McBride continua informando que:
“A autoimunidade nasce no intestino, isso é de onde vem – da sua parede do intestino. Isso acontece porque a sua flora intestinal é anormal. A fim de curar QUALQUER CONDIÇÃO AUTOIMUNEquer se trate de esclerose múltilpla, artrite reumatóide, osteroartrite, lúpus, alopecia, psoríase, ou qualquer coisa que tem um componente autoimune, você tem que se concentrar na cura e selando seu intestino alinhado com um protocolo nutricional. E você tem que se concentrar em normalizar sua flora intestinal. Você tem que expulsar os agentes patogênicos da flora intestinal e substituí-los com a flora benéfica. Em seguida, um monte de cura vai acontecer. Infelizmente, a medicina convencional é em grande parte ignorante sobre esta pesquisa, e não vê as doenças autoimunes como distúrbios digestivos.”
É sabido que metais pesados como o mercúrio simula no organismo sintomas iguais aos da Esclerose Lateral Amiotrófica. Segundo um estudo científico, verificou-se que um homem de 54 anos de idade, tinha uma síndrome semelhante a esclerose lateral amiotrófica, após uma breve, mas intensa exposição ao mercúrio elementar. A síndrome foi resolvida quando seus níveis de mercúrio urinário caíram (JAMA. 1983 05 de agosto, 250 (5) :642-3.)
Assim, verifica-se o quão importante é uma terapia nutricional visando a detoxificação do organismo, colocando em níveis ótimos o funcionamento e a saúde de todo o sistema digestivo, por meio da nutrição funcional. Por isso que um tratamento para doenças autoimunes que NÃO promova a limpeza geral do organismo de toxinas e melhora do sistema digestivo (ex: função/saúde intestinal), acaba sendo ineficiente.
Veja os depoimentos de pacientes que aplicaram a terapia nutricional para o tratamento de doenças autoimunes:
Referências:
2. Adams CR, Ziegler DK, Lin JT.  JAMA. 1983 05 de agosto, 250 (5) :642-3.
https://nutricaobrasil.wordpress.com/2013/11/22/as-doencas-autoimunes-nascem-no-intestino-segundo-a-medica-neurologista-dra-natasha-campbell-mcbride/

Doenças Auto-Imunes relacionadas à Sindrome do Intestino Irritavel



Intestino Irritavel é uma condição de crescimento rápido com a qual milhões de pessoas estão lutando e nem sequer sabem disso. A julgar pelo nome, você pode pensar que esta síndrome do intestino irritável só afeta o sistema digestivo, mas, na realidade, pode provocar muitos outros problemas de saúde.
Segundo a pesquisa, o intestino irritável poderia ser a causa de suas alergias alimentares, baixa energia, dor nas articulações, doenças da tireóide, doenças auto-imunes e metabolismo lento.
Neste artigo vou descrever especificamente como você pode curar a síndrome do intestino irritável e melhorar os problemas de saúde que você está passando.
O que é Síndrome do Intestino Irritável (ou intestino poroso) ?
Pense no forro de seu trato digestivo como uma ‘rede’ com buracos extremamente pequenos que só permitem que substâncias específicas passem. Seu revestimento intestinal (rede de buraquinhos) funciona como uma barreira separando as partículas maiores, que podem danificar o sistema.
FIGURA 1 trad
Quando alguém tem intestino irritável (muitas vezes referido como aumento da permeabilidade intestinal) a “rede” em seu aparelho digestivo se danifica, o que provoca buracos ainda maiores em sua rede, então aquilo que normalmente não podia passar, está agora passando.
Algumas das coisas que podem estar passando podem incluir proteínas como GLUTEN, más bactérias e partículas de alimentos não digeridos. Resíduos tóxicos também podem vazar da sua parede intestinal em sua corrente sanguínea causando uma reação imunológica.

FIGURA 2 TradSintomas do Intestino Irritável e Progressão
Isto levará à inflamação em seu sistema causando sintomas, tais como:
• Inchaço abdominal
• Sensibilidade alimentar
• Funcionamento da tireóide
• Fatiga
• Dor nas articulações
• Dores de cabeça
• Questões de pele irritada e acne
• Problemas digestivos
• Ganho de peso
FIGURA 3 trad
Um dos maiores sinais de alerta que você possa estar com buracos em sua rêde (Síndrome do Intestino Irritável) pode ser que você esteja experimentando sensibilidade à certos alimentos.
Parcialmente digeridas, as proteína e as gorduras podem infiltrar-se através de seu revestimento intestinal caminhando por sua corrente sanguínea o que causará uma resposta alérgica.
Esta resposta alérgica não significa que você vai ter uma reação em todo o corpo, mas pode levar a um dos sintomas mencionados acima. E, se for deixado sem tratar pode levar a problemas de saúde mais graves, como a doença inflamatória do intestino, síndrome do intestino irritável, artrite, eczema, grande quantidade de acnes, psoríase, depressão, ansiedade, dores de cabeça de enxaqueca, dor muscular e fadiga crónica.
De acordo com o ‘Journal of Diabetes’ há um forte corpo de evidências que apontam para intestino irritável como uma das principais causas de doenças auto-imunes, incluindo Diabete Tipo 1.

“”Outro problema com o intestino irritável é que ele pode causar má absorção de minerais e nutrientes vitais, incluindo zinco, ferro e vitamina B12.”” (fica fraco)
O que provoca a permeabilidade intestinal?
Há 4 principais causas de intestino irritável, que incluem:
• – dieta pobre
• – stresse crônico
• – sobrecarga de toxinas
• – desequilibrio bacteriano
Estamos a ponto de abordar alguns tópicos nutricionais com mais profundidade agora. Leia com atenção, e em algumas seções vou descrever os 5 principais Alimentos e suplementos para curar o seu intestino irritável …
Os componentes mais comuns de alimentos que podem danificar o revestimento intestinal são as proteínas encontradas em grãos não germinados, açúcar, GMO (grão modificados geneticamente) e laticínios convencionais.
O problema com grãos não germinados é que eles contêm grandes quantidades de bloqueadores de nutrientes chamado de ‘fitatos e lectinas’ bem como ‘enzimas inibidoras’. As lectinas são proteínas que se ligam à carboidratos (açucares) e funcionam como um sistema de defesa natural das plantas protegendo-as de invasores externos, como mofo e parasitas.
O ácido fítico ou fitato pode ligar-se aos minerais tais como calcio, magnesio, ferro e zinco e enviá-los para fora do intestino, inibindo a abilidade de absorção do organismo. As enzimas inibidoras presentes no grão podem neutralizar nossas próprias enzimas também, o que representa um grande desafio para nosso sistema digestivo. Sensibilidade, intolerância, alergias são o que podem resultar.
O grão não foi sempre tratado desta forma. Antes das técnicas modernas de plantio o grão era colocado no campo por algum tempo e começava germinar até que o fazendeiro o coletasse e o armazenasse.
Isto é uma má notícia para o seu corpo pois seu forro digestivo é coberto com células contendo açúcares que ajudam a quebrar o seu alimento. As lectinas ao gravitar nesta área digestiva da rede intestinal causam inflamação.
FIGURA 4 trad
Lectinas e alimentos que causam Irritação Intestinal
As lectinas são encontradas em muitos alimentos, e não apenas em grãos, e consumido em pequenas quantidades o seu corpo vai fazer bom proveito deles. Mas os alimentos que têm grandes quantidades de lectinas como o trigo, o arroz, trigo espelta, e soja são mais problemáticos.
Germinação e fermentação de grãos reduz fitatos e lectinas, e faz com que estes os grãos fiquem mais fáceis de digerir.
OGM e alimentos hibridizadas tendem a ter as mais altas porcentagens de lectinas, uma vez que foram modificados para combater insetos (o que eles dizem).
Além disso, cereais que contêm glúten irão danificar o seu revestimento intestinal causando intestino irritável. Então, enquanto você está trabalhando para curar o seu sistema fique longe de todos os grãos especialmente aqueles que contêm “glúten”, como o trigo. Uma vez que seu intestino esteja saudável você poderá adicionar de volta os grãos fermentados e germinados para comer de vez em quando.
Leite de vaca convencional é outro alimento que pode causar intestino irritável. O componente de laticínios que irá prejudicar o seu intestino é a proteína caseína A1. Além disso, o processo de pasteurização destroi as enzimas vitais que fazem os açúcares como a lactose muito difícil de digerir. Por esta razão, eu só recomendo a compra de produtos lácteos que sejam crus e de vacas A2, cabra, de ovelha, ou búfalo.
O açúcar é outra substância que vai causar estragos no seu sistema digestivo. O açúcar irá alimentar o crescimento de levedura, candida, e más bactérias que irão prejudicar ainda mais seu intestino. As más bactérias realmente criam toxinas chamadas exotoxinas que danificam as células saudáveis e podem abrir um buraco em sua parede intestinal.
________________________________________
Outros fatores que causam a Irritação Intestinal
O estresse crônico enfraquece o sistema imunológico ao longo do tempo, que mutila a sua capacidade de lutar contra os invasores estrangeiros como bactérias ruins e vírus que levam à inflamação e intestino solto. Para reduzir o estresse é recomendável ter mais sono, divertimento programação em sua semana, descansar um dia por semana, meditar sobre as escrituras, e sair com pessoas edificantes e positivas.
Toxinas: Entramos em contato com mais de 80.000 produtos químicos e toxinas a cada ano, mas os piores criminosos para causar intestino solto incluem antibióticos, pesticidas, água da torneira, aspirina e antiinflamatórios não esteróides. Recomenda-se comprar um filtro de água de alta qualidade para eliminar o cloro e flúor e consumir plantas naturais que reduzam a inflamação em seu corpo.
Dysbiosis: Finalmente, uma das principais causas de intestino solto é uma condição chamada disbiose, que significa um desequilíbrio entre as espécies benéficas e prejudiciais de bactérias no seu intestino. Para muitos, esse desequilíbrio pode começar no nascimento por causa de uma cezariana ou porque a mãe não tinha um intestino saudável. O uso excessivo de antibióticos sem receita médica, a água da torneira com cloro e flúor, e da falta de alimentos ricos em probióticos contribuiem para este desequilíbrio entre bactérias boas e más.
________________________________________
Intestino Irritável e o Cérebro
Outro assunto que quero discutir rapidamente é como intestino solto pode afetar o cérebro. Se você já viu uma criança com autismo experimentar uma mudança de humor, isso pode ser causado por permeabilidade intestinal. Dietas livres de Glúten e caseína mostraram ser eficazes para muitas crianças com autismo, porque estas proteínas podem vazar através do intestino e, em seguida, recircular e agir sobre o cérebro de forma semelhante a uma droga opióide.
É também por isso que o intestino irritável tem sido associado a outros distúrbios psicológicos, como ansiedade, depressão e transtorno bipolar. Assim, em muitos casos, se você pode curar o intestino pode curar o cérebro.
O Plano de 4 passos para curar o intestino Irritável
A boa notícia é que há uma solução para a cura do intestino Irritável. Existe um processo de quatro passos, que inclui:
1. remover alimentos e fatores que prejudicam o intestino
2. Substitua por alimentos saudáveis
3. REPARAR com suplementos específicos
4. REEQUILIBRAR com probióticos
Aqui está o protocolo que tenho usado com meus pacientes ao longo dos anos que ajudou-os a ver resultados incríveis.
Lembre-se, os melhores alimentos para remover essa causa de intestino irritável são o açúcar, grãos, carne convencional, leite convencional e alimentos geneticamente modificados. As exposições tóxicas piores e que devem ser eliminadas são água da torneira, pesticidas, AINEs e antibióticos, mas lembre-se de sempre consultar com seu médico.
Dieta do Intestino Irritável e 5 alimentos que curam
# 1 – Alimentos que contenham colágeno (Caldos) – Caldo de folhas verdes e outros vegetais verdes são conhecidos por seu alto teor nutritivo . Em Vegetais verdes escuros foram encontrados agentes que ajudam na produção de colágeno. Alguns exemplos dos vegetais que você pode desfrutar são espinafre, aspargos e couve. Não só eles ajudam na produção de colágeno, mas eles também ajudam o corpo a usar esta proteína de forma mais eficaz . O aminoácidos prolina e glicina pode ajudar a curar suas paredes celulares danificadas.
# 2 – leite não Pasteurizados (da fazenda) – contém probióticos e AGCC que podem ajudar a curar o intestino. Kefir pasteurizado, iogurte, Amasai, manteiga e queijo cottage crus são alguns dos melhores.
# 3 – vegetais fermentados – contêm ácidos orgânicos que equilíbri o PH intestinal e probióticos para apoiar o intestino. Sauerkraut, Kimchi e Bebidas fermentadas são excelentes fontes.
# 4 – produtos de coco – todos os produtos de coco são especialmente bons para o seu intestino. Gorduras de coco são mais fáceis de digerir do que outras gorduras de modo a favorecer o intestino irritável. Além disso, kefir de coco contém probióticos que suportam o seu sistema digestivo.
# 5 – As sementes germinadas - sementes de chia, linhaça e sementes de cânhamo que foram germinados são ótimas fontes de fibras que podem ajudar a suportar o crescimento de bactérias benéficas. Mas se você tem intestino Irritável grave, é melhor começar a obter a sua fibra de legumes e frutas cozidos no vapor.
Além disso, o consumo de alimentos que têm anti-inflamatórios gorduras Omega-3 são benéficos, tais como peixes e salmão.
5 mais eficazes Suplementos para Cura do Intestino Irritável:
Existem muitos suplementos que suportam a sua saúde digestiva mas acredito que o mais benéficos são: L-Glutamina, probióticos, enzimas digestivas, suco de Aloe Vera, quercetina, NAG (é um amino açúcar). e raiz de alcaçuz.
Nº 1 Probióticos são o suplemento mais importante a tomar, pois ajuda a repor as bactérias boas e expulsa as bactérias ruins. Eu recomendo ter probióticos em ambas as formas de alimentos e suplemento. Eu vejo as pessoas o tempo todo só seguem parte do protocolo na cura de seu intestino, removendo os irritantes prejudiciais. Mas a parte que muitas vezes deixam de fora é re-inoculação de seu intestino com bactérias benéficas que irão manter as bactérias ruins em baixa.
Então carregar em ambos os alimentos ricos em probióticos e ter pelo menos 50 bilhões de unidades de probióticos diariamente a partir de uma marca de alta qualidade.
Nº 2 enzimas digestivas (uma ou duas cápsulas no início de cada refeição) garantir que os alimentos sejam totalmente digeridos, diminuindo a chance de que partículas de alimentos parcialmente digeridos e proteínas danifiquem sua parede intestinal.
Nº 3 L-Glutamina é fundamental para qualquer programa concebido para curar intestino Irritável. A glutamina é um aminoácido essencial que é anti-inflamatório e necessário para o crescimento e reparação do seu revestimento intestinal. L-glutamina atua como um protetor e faz cobertura nas suas paredes celulares, agindo como um repelente a substâncias irritantes. Tome 2-5 gramas 2x daily.6
Nº 4 raiz de alcaçuz (DGL) é uma erva adaptogenica que ajuda os níveis de cortisol equilíbriar e melhora a produção de ácido no estômago. DGL suporta os processos naturais do corpo para manter a integridade da mucosa do estômago e do duodeno. Esta erva é especialmente benéfica se o intestino permeável está sendo causado por estresse emocional. Tome 2x 500mg por dia.
Nº 5 quercetina também foi mostrado para melhorar a função da barreira intestinal, selando o intestino porque permite a criação de proteínas de junções apertadas. É também estabiliza mastócitos e reduz a libertação de histamina, que é comum em intolerância alimentar. Novos estudos também têm demonstrado a sua eficácia na cura de colite ulcerativa. Tome 3x 500mg dia com as refeições.
Se você pode seguir o protocolo acima você está bem em seu caminho para a cura de seu intestino! para o bem!
https://greateacher.wordpress.com/sindromedointestinoirritavel/