quinta-feira, 31 de março de 2011

Cacau Show - a maior rede de lojas de chocolates finos do mundo

NOVO CHOCOLATE SEM GLÚTEN E LACTOSE! SEMPRE PROCUREI LÁ E NUNCA PUDE COMER PORQUE NÃO TINHA E HOJE FINALMENTE ACHEI!


PÁSCOA // Ovo Zero Lactose e Zero Gluten 180g

Novo Ovo de Páscoa para os intolerantes á soja! Alfarroba!FELIZ PÀSCOA!

Ovo de Páscoa de Alfarroba - Sem Cacau, Sem Lactose e Sem açúcar
GENTE! ACHEI HOJE OVO DE PÁSCOA DE ALFARROBA NA MUNDO VERDE , PARA QUEM QUIZER COMPRAR TEM QUE CORRER!
http://www.pascoa.info/ovo-de-pascoa-de-alfarroba-sem-chocolate.html

domingo, 27 de março de 2011

Outra opção para quem tem alergia ao leite animal!! Leite de Inhame!



O inhame é depurativo, desintoxicante e fortalece o sistema imunológico. É  rico em amido e fibras solúveis o que ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue e as taxas de colesterol sangüíneo. Possui propriedades de cura intestinal, pois auxilia na digestão e na fermentação do bolo alimentar. Ainda é fonte de Betacaroteno, vitaminas C e do complexo B, cálcio, fósforo, potássio e ferro. 
Os médicos orientais recomendam a ingestão de inhame para fortificar os gânglios linfáticos. 

Na Índia, o sistema médico ayurvédico também indica o consumo desse alimento para restaurar as defesas orgânicas, principalmente como recurso para combater infecções e tumores. 
O inhame que possui estas propriedades é o pequeno, marrom e cabeludinho conhecido como inhame japonês.

Apesar de tudo isso, creio que como todo alimento, o inhame deva ser consumido com moderação e alternando com outras opções, pois o inhame é rico em ácido oxálico e algumas crianças autistas em tratamento biomédico tem problemas com oxalatos.
Neste caso há duas soluções: utilize o leite de inhame crú para produzir receitas que serão cozidas e para produzir vitaminas, faça o leite com inhame cozido. Quando cozinhamos o inhame, ele perde os oxalatos. Cozinhe um inhame com casca. Depois de cozido, descasque e bata com uma ou duas xícaras de água.

Este leite pode ser utilizado em todas as receitas que pedem leite vegetal e acredito que deva ser ótimo para mingaus.
Se for utilizá-lo crú como em vitaminas, observe se sua criança não apresentará nenhum incômodo, pois a presença do ácido oxálico pode provocar pinicamento ou coceira na boca ou na pele em pessoas sensíveis.


Leite de Inhame:

- 1 inhame japonês pequeno,

- 1 xícara de água mineral.


Modo de fazer:

1º Descasque o inhame, corte-o em pequenos pedaços e bata-o no liquidificador com a água.

2º Coe o leite com um pano de algodão. Utilize-o em seguida ou guarde na geladeira por 3 dias. Se quiser um leite mais ralo, adicione água a gosto. Eu fiz com um inhame médio e duas xícaras de água.


Postado por Cozinha sem glúten e sem leite.
http://dietasgsc.blogspot.com

quarta-feira, 23 de março de 2011

PARA OS ALÉRGICOS- LEITE DE OVELHA!

 
O Leite de Ovelha é tanto nutritivo quanto delicioso. Possui uma coloração
branca intensa e homogênea. Seu sabor é levemente adocicado e suave,  com aroma
próprio.
Contém glóbulos pequenos de gordura, conferindo uma cremosidade única ao
leite e seus derivados.
O Leite de Ovelha da Casa da Ovelha é Leite tipo A.
  Na composição do Leite de Ovelha estão presentes nutrientes que conferem
características de destaque do ponto de vista Nutricional. São eles:
 
1.    Proteínas:
  O teor de proteína no Leite de Ovelha é muito superior em relação a outros
tipos de leites, tais como: humano, vaca, búfalo e cabra. Além disso, as proteínas do
leite são consideradas proteínas de alto valor biológico (P.A.V.B.), ou  seja, possuem
aminoácidos essenciais e devem ser fornecidas através da nossa  alimentação. As
formas protéicas encontradas no soro de leite são facilmente digestíveis, e o Leite de
Ovelha é mais rico nestas proteínas que o leite de vaca ou de cabra, tornando-o de mais
fácil digestão.
2. Gorduras:
 
          O Leite de Ovelha contém quantidades maiores em relação ao leite de vaca e de
cabra. No entanto, os glóbulos de gordura do Leite de Ovelha são menores,
proporcionando uma maior digestibilidade. Vale ressaltar que as gorduras são
responsáveis pelo fornecimento de energia, e que nelas estão presentes as vitaminas
lipossolúveis (A, D, E, K). Além disso, o Leite de Ovelha contém maior proporção de
ácidos graxos saturados de cadeia curta e média, melhorando a absorção da lactose e
diminuindo os efeitos maléficos da intolerância. Outro fato importante é que o Leite de
Ovelha não contém tantos ácidos graxos saturados quanto os outros leites,  quase a
metade dos ácidos graxos são mono e poliinsaturados, conhecidamente com um efeito
favorável sobre as paredes das artérias.
 
3. Minerais:
O Leite de Ovelha contém 75% a mais de cálcio se comparado ao leite de vaca.
O Cálcio é eficiente em tratamentos e na prevenção de osteoporose. É
considerado um nutriente construtor dos ossos, reduzindo o risco de perdas ósseas e
fraturas. Sabe-se também que o cálcio lácteo é muito mais facilmente absorvido que o
carbonato de cálcio (dolomita, ostras). Na densidade óssea, que se dá nas crianças e na
adolescência, o cálcio disponibilizado pelo leite de ovelha é de vital importância. Por ddd  Capril Virtual  jjj
www.caprilvirtual.com.br
isto, para crianças e adolescentes, que se encontram em plena formação óssea, é muito
importante beber este tipo de leite e comer seus derivados.
Outros minerais importantes para o metabolismo humano também são
encontrados em maior quantidade no Leite de Ovelha, tais como: potássio, manganês,
sódio, cobre, zinco e fósforo.
O Zinco é necessário ao funcionamento de mais de 100 enzimas. Atua também
na desintoxicação, no metabolismo dos carboidratos e na síntese de proteínas, além de
ativar o sistema imunológico e auxiliar na manutenção da pele saudável.
O Manganês atua nos processos de metabolismo de nutrientes em especial a
gordura.
O Potássio possui efeito antifadiga. Atua prevenindo nosso corpo de câimbras
e regulando a pressão arterial.
O Cobre aumenta a imunidade do organismo.
O Fósforo age em sinergia com o cálcio e melhora a  digestibilidade dos
produtos oriundos do leite de ovelha.
4. Vitaminas:
 
As vitaminas têm um papel fundamental na nutrição humana. O Leite de
Ovelha contém várias destas substâncias essenciais, que são: Vitamina A, Vitamina
B1, B2, B12, Biotina e Vitamina C. Entre estas, destacam-se ainda a Vitamina C com
um teor de 150% a mais e a Biotina com um teor de 160% a mais em relação ao
leite de vaca (de acordo com literatura reconhecida cientificamente).
A Vitamina C exerce efeito benéfico sobre a resistência a fadiga, especialmente
durante o esforço muscular intenso e de breve duração. A Vitamina C  também
aumenta a absorção de ferro, que em deficiência pode levar a dificuldades de
concentração. Esta vitamina promove a saúde das células, vasos sangüíneos, ossos e
tecidos. Também é necessária à fabricação de adrenalina e é essencial ao sistema
imunológico. Quantidades específicas podem reduzir a gravidade das infecções
respiratórias, combatendo e prevenindo resfriados. A vitamina C ou ácido ascórbico é
um excelente antioxidante,  protegendo contra os danos produzidos pelos radicais
livres (Ex.: envelhecimento precoce). Esta vitamina é necessária para ter células,
tecido conjuntivo, gengivas, ossos e dentes sadios e boa cicatrização. Como a vitamina
C não é armazenada pelo organismo, esta deve ser acrescentada regularmente na nossa
dieta.
A Biotina participa do metabolismo de ácidos graxos e glicogênio,  e ainda
auxilia na conversão das proteínas dos alimentos, proporcionando um saudável
crescimento.
Alérgicos ao leite de vaca e cabra
Muitas pessoas podem sofrer com a intolerância a certos nutrientes do leite,
ocasionando "alergias". O Leite de Ovelha por sua composição é o ideal, serve para
todos, inclusive os alérgicos.
Tais alergias causam uma gama de problemas geralmente não identificados,
recomendando-se a abstinência de leite e produtos lácteos. No caso do Leite de Ovelha
e seus derivados, isto não é necessário, apenas o leite e derivados de vaca e/ou cabra.
Importante: quando todos os produtos de leite são retirados da dieta ocorre uma
deficiência de cálcio, podendo trazer inúmeros problemas a saúde do consumidor. ddd  Capril Virtual  jjj
www.caprilvirtual.com.br
Asma, eczemas e problemas de pele
O Conselho de Pesquisa sobre Asma e a Sociedade Nacional de Eczemas,
recomendam a mudança para o leite de cabra e ovelha, no tratamento destas
enfermidades e de problemas correlatos.
A Lactose
Mesmo as pessoas que tem forte intolerância à lactose, poderão consumir
iogurte de leite de ovelha, já que parte da lactose será transformada em acido láctico
pela fermentação dos lactobacilos.
Também há evidência, que a lactose no leite de ovelha é mais tolerada do que a lactose
dos outros leites em função dos ácidos graxos como mencionado acima.
Lembre-se: qualquer infecção pode ser controlada pelo uso de antibióticos, e
que por melhor que este seja, afeta a flora intestinal reduzindo as  bactérias úteis ao
organismo.
O iogurte, especialmente aquele que contém, além das bactérias  tradicionais
(Lactobacillus bulgaricus e Streptococcus thermóphilus) o Lactobacillus acidophilus
ajuda no revestimento da flora intestinal, contribuindo para prevenir doenças futuras.
Por estas características, o governo britânico, decretou que o leite de ovelha
seja regulamentado como "comida" e não como ''leite".
Entretanto, espera-se que agora os médicos e os pesquisadores, comecem a
olhar para o leite de ovelha de forma mais séria como evidência da sua capacidade de
ajudar um grande número de pessoas a levar uma vida melhor.
Fonte1: The British Sheep – Dairying Association - www.sheepdairyiring.com
Fonte2: Trattato di Tecnologia Casearia. Ottavio Salvadori del Prato. Edagricole 1998
Artigo publicado no site www.caprilvirtual.com.br em 20 de dezembro de 2006.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Achei!!Queijos e iogurtes gostosos sem Lactose!! Agora estou revendendo!!

Iogurte 110g - 0% lactose
Descriçãolll:Integral Firme com Amora

Especificações: 

Iogurte 110g - 0% lactose
Descriçãolll:Integral firme com Ameixa

Especificações: 

Iogurte 110g - 0% lactose
Descriçãolll:Integral Firme Natural

Especificações: 


Iogurte 160g - 0% lactose
Descriçãolll: Light Batido com Mirtilos

Especificações: 


Iogurte 160g - 0% lactose
Descriçãolll:Light Batido com Ameixa

Especificações: 
Iogurte 160g - 0% lactose
Descriçãolll: Light Batido com Amora

Especificações: 

Iogurte 160g - 0% lactose
Descriçãolll:Light batido com Framboesa

Especificações: 

Iogurte 550g - 0% lactose
Descriçãolll: Light Batido de framboesa com Fibras de Trigo

Especificações: 


Iogurte 550g - 0% lactose
Descriçãolll:Light Batido Mel com Fibras de Trigo

Especificações: 


Iogurte 550g - 0% lactose
Descriçãolll: Light Batido Amora com Fibras de Trigo

Especificações: 




1) Queijo Pecorino Toscano fresco
Descriçãolll:Fresco (45 dias) 175g

Especificações: 

2) Queijo Pecorino Toscano - 0% lactose
Descriçãolll:Maturado 90 dias 175g

Especificações: 


3) Queijo Pecorino Toscano - 0% lactose
Descriçãolll:Maturado 180 dias 175g

Especificações: 

4) Queijo Pecorino Toscano - 0% lactose
Descriçãolll:Maturado 270 dias 175g

Especificações: 


5) Queijo Pecorino Toscano - 0% lactose
Descriçãolll:Forma de +-3 Kg
6) Queijo Pecorino Toscano - 0% lactose
Descriçãolll: Forma de 25 Kg sob Encomenda


Queijo Michelon - 0% lactose

  (Queijo de vaca)


Ambrosia - 1,5% lactose




Doces de Leite - 6% lactose




Geléias Casa da Ovelha - 0% lactose



MAIS PRODUTOS VEJA:WWW.CASADAOVELHA.COM.BR

sábado, 19 de março de 2011

Pesquisa identifica proteína humana ligada à Doença Celíaca


quarta-feira, 21 de outubro de 2009



Zonulin tem papel fundamental no processo inflamatório e autoimune.

Pesquisa realizada pela Universidade de Maryland, liderada pelo Dr. Alessio Fasano, identificou o precursor para uma introdução de doenças autoimunes, incluindo a DC.


Descobertas publicadas na edição de 7 de setembro de 2009, na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences", ligam a proteína humana zonulin aos processo inflamatórios e autoimunes do corpo.

A anteriormente misteriosa proteína foi descoberta como sendo precursora da haptoglobina 2, uma molécula conhecida como um marcador de inflamações no corpo humano. O Dr. Fasano acredita que a proteína zonulin esteja por trás da perda das células protetoras no intestino, que faz aqueles que têm predisposição à DC ou sensibilidade ao glúten, reagirem quando o glúten entra no organismo.

“Essa molécula poderia ser uma peça crítica faltando no quebra-cabeças que levaria ao tratamento da DC, outras doenças autoimunes e alergias, e mesmo o câncer, todas as quais estão associadas a uma produção exagerada de zonulin/pré-haptoglobina e à perda da barreira protetora das células que cobrem o intestino e outras áreas do corpo, como a barreira sanguínea do cérebro,” diz o Dr. Fasano.

Essa última pesquisa proporciona um entendimento mais profundo sobre os processos e mecanismos por trás da DC e doenças autoimunes como um todo, ajudando profissionais da área médica a diagnosticar e tratar melhor aqueles que sofrem dessas condições.

“O único tratamento atual para a doença celíaca é cortar o glúten da dieta, mas nós temos a confiança de que o trabalho do Dr. Fasano irá algum dia trazer mair alívio àqueles pacientes. Zonulin, com suas funções na saúde e doenças, como ressaltado pelo artigo do Dr. Fasano, poderia ser a molécula do século,” diz o Dr. E. Albert Reece, vice-presidente de assuntos médicos da Universidade de Maryland.
continue lendo...
Notícias reveladoras sobre a doença celíaca

Na edição de agosto de 2009 da revista Scientific American, foi publicado um artigo fascinante e aprofundado sobre a DC. Intitulado “Surpresas da Doença Celíaca”, trata-se de um novo estudo do Dr. Alessio Fasano, da Universidade de Maryland.

Um estudo clínico prolongado irá investigar a relação entre o adiamento da introdução de glúten durante o primeiro ano de vida e a presença da DC na infância.

"Dado o aparente compartilhamento entre doenças auto-imunes em geral, os pesquisadores que investigam essas condições estão ansiosos para saber se as estratégias terapêuticas para a DC também poderiam funcionar em outras doenças autoimunes que carecem atualmente de bons tratamentos."

‘Surpresas da DC’ examina a conexão entre a reação ao glúten nos pacientes da DC e o aparecimento de outras doenças autoimunes. Dr. Fasano identifica possíveis ligações entre um trio de fatores similares que são a raiz do aparecimento da DC e outras doenças autoimunes: aumento da permeabilidade do intestino, fatores ambientais e predisposição genética em pacientes da DC.

Como o Dr. Fasano explica, “A doença celíaca proporciona um modelo de grande valor para compreender doenças autoimunes, pois é o único exemplo onde a adição ou remoção de um componente ambiental simples, o glúten, pode ligar ou desligar o processo da doença."

- Já se sabe que a proteína zonulin está ligada à doença celíaca e à esclerose múltipla, além de outras doenças autoimunes.

- A proteína zonulin é a precursora da molécula haptoglobina 2, que só aparece nos humanos (80% dos humanos a têm). Existem mais de 70 tipos diferentes de condições ou doenças autoimunes.

- Pessoas que sofrem da DC têm sensibilidade ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, e que causa uma inflamação intestinal e outros sintomas graves, naqueles que o comem.
Nos pacientes celíacos, o glúten gera uma liberação exagerada de zonulin, que faz a parede do intestino mais permeável a moléculas grandes, incluindo o glúten.
O intestino permeável proporciona a essas moléculas, como o glúten, entrarem no resto do corpo. Isso desencadeia uma resposta autoimune na qual o sistema imunológico dos celíacos identifica o glúten como sendo um invasor e responde com um ataque visando o intestino, ao invés do invasor.
Uma produção elevada de zonulin também parece ser responsável pela passagem pelo intestino de outros invasores além do zonulin, incluindo aqueles relacionados a condições como diabetes, esclerose múltipla e mesmo alergias.
Recentemente, também relacionou-se a alta produção de zonulin com o câncer cerebral.

Leia os artigos originais aqui:

O futuro está próximo!!

No futuro, o consumo de cereais, massas, biscoitos e cerveja poderá ser possível

Normalmente, quem é alérgico ao glúten deixa de consumir cereais, massas, biscoitos e cerveja. No futuro, poderá não ter de o fazer. As descobertas foram publicadas na "Science Translational Medicine" e poderão contribuir para uma terapia mais direccionada do que aquela que é agora feita.
No estudo, 244 pessoas comeram alimentos com glúten durante três dias e, em seguida, os investigadores analisaram as células imunológicas.
Embora o glúten tenha cerca de 16 mil componentes, Robert Anderson, do Walter e Eliza Hall Institute of Medical Research, na Austrália, constatou que apenas três foram responsáveis pela alergia. "Para nossa surpresa, a maioria das pessoas que analisamos é imune ao glúten, excepto a três componentes da proteína. Isso significa que a resposta imune é altamente focada".
O investigador fala num combate segmentado, centrado nas três componentes que desencadeiam a alergia ao glúten, "para que o alvo do combate à doença não seja todo o sistema imunitário da pessoa".
O investigador já está a trabalhar na concepção de um medicamento que contém doses muito pequenas de cada um dos três componentes. A ideia é expor o sistema imunitário a doses regulares, mas muito pequenas, de modo a que o corpo se possa acostumar, aos poucos, a eles.
Quem é alérgico ao glúten, quando se dá uma reacção exagerada no sistema imunitário, depara-se com problemas no intestino delgado que se torna incapaz de absorver vitaminas minerais e outros nutrientes. O doente pode ficar sujeito a fadiga crónica, osteoporose, riscos de infertilidade, aborto e até cancro no aparelho digestivo.