sábado, 19 de março de 2011

Pesquisa identifica proteína humana ligada à Doença Celíaca


quarta-feira, 21 de outubro de 2009



Zonulin tem papel fundamental no processo inflamatório e autoimune.

Pesquisa realizada pela Universidade de Maryland, liderada pelo Dr. Alessio Fasano, identificou o precursor para uma introdução de doenças autoimunes, incluindo a DC.


Descobertas publicadas na edição de 7 de setembro de 2009, na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences", ligam a proteína humana zonulin aos processo inflamatórios e autoimunes do corpo.

A anteriormente misteriosa proteína foi descoberta como sendo precursora da haptoglobina 2, uma molécula conhecida como um marcador de inflamações no corpo humano. O Dr. Fasano acredita que a proteína zonulin esteja por trás da perda das células protetoras no intestino, que faz aqueles que têm predisposição à DC ou sensibilidade ao glúten, reagirem quando o glúten entra no organismo.

“Essa molécula poderia ser uma peça crítica faltando no quebra-cabeças que levaria ao tratamento da DC, outras doenças autoimunes e alergias, e mesmo o câncer, todas as quais estão associadas a uma produção exagerada de zonulin/pré-haptoglobina e à perda da barreira protetora das células que cobrem o intestino e outras áreas do corpo, como a barreira sanguínea do cérebro,” diz o Dr. Fasano.

Essa última pesquisa proporciona um entendimento mais profundo sobre os processos e mecanismos por trás da DC e doenças autoimunes como um todo, ajudando profissionais da área médica a diagnosticar e tratar melhor aqueles que sofrem dessas condições.

“O único tratamento atual para a doença celíaca é cortar o glúten da dieta, mas nós temos a confiança de que o trabalho do Dr. Fasano irá algum dia trazer mair alívio àqueles pacientes. Zonulin, com suas funções na saúde e doenças, como ressaltado pelo artigo do Dr. Fasano, poderia ser a molécula do século,” diz o Dr. E. Albert Reece, vice-presidente de assuntos médicos da Universidade de Maryland.
continue lendo...
Notícias reveladoras sobre a doença celíaca

Na edição de agosto de 2009 da revista Scientific American, foi publicado um artigo fascinante e aprofundado sobre a DC. Intitulado “Surpresas da Doença Celíaca”, trata-se de um novo estudo do Dr. Alessio Fasano, da Universidade de Maryland.

Um estudo clínico prolongado irá investigar a relação entre o adiamento da introdução de glúten durante o primeiro ano de vida e a presença da DC na infância.

"Dado o aparente compartilhamento entre doenças auto-imunes em geral, os pesquisadores que investigam essas condições estão ansiosos para saber se as estratégias terapêuticas para a DC também poderiam funcionar em outras doenças autoimunes que carecem atualmente de bons tratamentos."

‘Surpresas da DC’ examina a conexão entre a reação ao glúten nos pacientes da DC e o aparecimento de outras doenças autoimunes. Dr. Fasano identifica possíveis ligações entre um trio de fatores similares que são a raiz do aparecimento da DC e outras doenças autoimunes: aumento da permeabilidade do intestino, fatores ambientais e predisposição genética em pacientes da DC.

Como o Dr. Fasano explica, “A doença celíaca proporciona um modelo de grande valor para compreender doenças autoimunes, pois é o único exemplo onde a adição ou remoção de um componente ambiental simples, o glúten, pode ligar ou desligar o processo da doença."

- Já se sabe que a proteína zonulin está ligada à doença celíaca e à esclerose múltipla, além de outras doenças autoimunes.

- A proteína zonulin é a precursora da molécula haptoglobina 2, que só aparece nos humanos (80% dos humanos a têm). Existem mais de 70 tipos diferentes de condições ou doenças autoimunes.

- Pessoas que sofrem da DC têm sensibilidade ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, e que causa uma inflamação intestinal e outros sintomas graves, naqueles que o comem.
Nos pacientes celíacos, o glúten gera uma liberação exagerada de zonulin, que faz a parede do intestino mais permeável a moléculas grandes, incluindo o glúten.
O intestino permeável proporciona a essas moléculas, como o glúten, entrarem no resto do corpo. Isso desencadeia uma resposta autoimune na qual o sistema imunológico dos celíacos identifica o glúten como sendo um invasor e responde com um ataque visando o intestino, ao invés do invasor.
Uma produção elevada de zonulin também parece ser responsável pela passagem pelo intestino de outros invasores além do zonulin, incluindo aqueles relacionados a condições como diabetes, esclerose múltipla e mesmo alergias.
Recentemente, também relacionou-se a alta produção de zonulin com o câncer cerebral.

Leia os artigos originais aqui: