Relação entre depressão e doença celíaca


Existem várias causas que podem conduzir o celíaco à depressão, vejam alguns exemplos:

1. Causa psicológica: O celíaco fica estressado pelo fato de viver com uma doença crônica e de ter que mudar radicalmente o seu estilo de vida. Esses fatos podem contribuir indiretamente para a depressão.
2. O intestino tem o papel de absorver todos os nutrientes e controlar o que entra na circulação como, por exemplo; metais pesados, carcinógenos e muitas toxinas. O Celíaco apresenta uma disfunção no intestino e, assim, pode absorver no organismo essas substâncias que poderão vir a prejudicar o cérebro.
3. A doença celíaca pode reduzir a capacidade de absorver vitaminas cruciais, tais como folato e vitamina B6. Estudos indicam que os baixos níveis de folato no organismo estão associados com doenças neurológicas e psiquiátricas. Outra deficiência nutricional que pode acarretar depressão é a falta do aminoácido essencial triptofano. Celíacos podem não absorver esta proteína em quantidades suficientes. O triptofano é convertido pelo corpo em serotonina e a redução do nível de serotonina pode conduzir à depressão.
4. Outro fator importante é que no intestino existem cem milhões de células neuronais, ou seja, células do cérebro. Por isto é que pesquisadores afirmam que 80% dos neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem estar são produzidos pelo intestino. No caso do celíaco essa produção é reduzida pela presença da microbiota patogênica que ocupa o intestino, reduzindo ou até mesmo impedindo a ação das bactérias probióticas.





Palavras da Dra Noadia Lobão