quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Desvendando os rótulos dos alimentos


Os rótulos são veículos de comunicação entre os produtos e os consumidores. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA é o órgão responsável pela regulação da rotulagem de alimentos que estabelece as informações que um rótulo deve conter, visando à garantia de qualidade do produto e à saúde do consumidor.

É muito importante prestar atenção aos dados nutricionais expostos nos rótulos, pois, eles nos informam o número de cada nutriente. Estes dados são importantes para que possamos conhecer o alimento que estamos consumindo, principalmente quando existe um controle alimentar em decorrência de alguma doença, como: diabetes onde deve se  controlar a quantidade de carboidratos; sobrepeso/obesidade onde é preciso reduzir o número de calorias e o teor de gorduras ou na hipertensão arterial, controlando o sódio (sal) da dieta, entre outras.

Vou explanar os dados da Informação Nutricional para que fique claro para você, ok?

PORÇÃO: é a quantidade média do alimento que deve ser usualmente consumida por uma pessoa sadia a cada vez que o alimento é consumido.

MEDIDA CASEIRA: indica a medida normalmente utilizada pelo consumidor para medir quantitativamente os alimentos, como por exemplo, faca, colher de sopa, xícara, unidade. Esta informação é importante para que o consumidor tenha idéia real de quantidade.

%VALOR DIÁRIO - %VD: indica o quanto o produto em questão apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2000 calorias. Estes números supõem que se esteja ingerindo 2000 calorias diariamente. As verdadeiras porcentagens podem ser mais ou menos elevadas, dependendo das calorias da sua dieta. Se estiver consumindo menos de 2000 calorias, estará usando uma porcentagem maior que a ingestão diária recomendada. Se estiver comendo mais de 2000, estará usando uma menor. Cada nutriente apresenta um valor diferente para se calcular o VD.

EXEMPLO DE UM RÓTULO DE ALIMENTO
 
Informação Nutricional
Porção de xx g (medida caseira) de (produto)
 
Quantidade por porção
% VD (*)
Valor energético
Kcal =        KJ
%
Carboidratos
g
%
Proteínas
g
%
Gorduras totais
g
%
Gorduras saturadas
g
%
Gorduras trans
g
%
Fibra alimentar
g
%
Sódio
mg
%
* Valores diários de referência com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8400 KJ. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas
 
Valor energético: é a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. 

Carboidratos: sua função principal é fornecer energia. Um alimento é considerado com elevado teor de carboidratos quando tem mais do que 15g por 100g ou 7,5g por 100ml de produto na forma de como está exposto à venda.

Proteínas: são componentes dos alimentos necessários para a construção de nossos órgãos, tecidos e células. Valor diário de referência é 75g.

Gorduras totais: se referem a todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento. São considerados alimentos com baixo teor de gordura quando apresentam no máximo 3g de gordura por 100g ou 1,5g de gorduras por 100ml. 

Gorduras saturadas: tipo de gordura presente nos alimentos de origem animal. Grande quantidade de gordura na dieta pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares. Um alimento é considerado com elevado teor de gordura saturada quando possui mais do que 5g de gordura saturada por 100g ou 2,5g de gordura saturada por 100ml.

Gorduras trans: tipo de gordura encontrada em grande quantidade nos alimentos industrializados, produtos de panificação, alimentos fritos e alimentos que utilizam a gordura hidrogenada vegetal na sua preparação. Seu consumo está relacionado com o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Apesar de não existir valor diário de referência, o consumo não deve ultrapassar a 2g por dia. Alimentos com mais do que 0,6g por 100g ou por 100 ml já são considerados com elevado teor de gordura trans.

Fibra alimentar: A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino. Seu valor diário de referência é 25g.

Sódio: está presente no sal de cozinha e alimentos industrializados devendo ser consumido com moderação, uma vez que o seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial. Um alimento é considerado com elevado teor de sódio quando apresenta mais do que 400mg de sódio por 100g ou por 100ml.

Alegações e benefícios do produto impressas nos rótulos 

Os fabricantes só podem fazer afirmações quanto aos benefícios do produto para a saúde se estas tiverem comprovação científica. Algumas dessas afirmações são, por exemplo, a relação entre cálcio e osteoporose; conteúdo de fibras e funcionamento intestinal, câncer e doenças do coração; gorduras e câncer ou doenças cardiovasculares; sódio e hipertensão. Os fabricantes também fazem afirmações sobre o valor nutricional de seus produtos, dizendo se é diet, light, diet, entre outros.
 
Veja o significado real de alguns desses conceitos

Light: Significa que o alimento tem um terço menos de calorias ou 50% menos de gordura do que o alimento com o qual esteja sendo comparado.

Sem açúcar – expressão utilizada quando o alimento possui no máximo 0,5g de açúcar por 100g ou por 100ml.

Menos ou reduzido (em gordura ou açúcar): Significa que o alimento tem pelo menos 25% de calorias ou outros ingredientes se comparado à versão tradicional. Ao serem usados nos rótulos, estas palavras precisam também incluir a porcentagem. Por exemplo, “50% a menos de sódio” ou “gordura reduzida em 25%”.

Sem colesterol: Significa que o alimento deve conter menos de 2mg de colesterol e 2g (ou menos) de gordura saturada por porção.

Baixo colesterol: o termo é usado para indicar que o alimento tem no máximo 20mg de colesterol por 100g (sólidos) ou 10mg de colesterol por 100ml (líquidos) e no máximo de 1,5g de gordura saturada por 100g (sólidos) ou 0,75g de gordura saturada por 100ml (líquidos).

Dietético: É uma expressão sem significado padronizado. Indica apenas que algo foi modificado ou substituído. É um alimento para fim especial, por exemplo, sem açúcar para diabéticos, isso não quer dizer menos calórico, necessariamente.

Fresco: Pode se referir apenas aos alimentos crus que não passaram por congelamento, aquecimento ou processamento.

Depois dessas informações, tenho certeza que você ficará craque e cada vez mais atento em cuidar da sua saúde utilizando essa ferramenta tão importante que está ao seu alcance todos os dias.
 
Até a próxima!
 
Nutr. Viviane do Lago Nakazato
São Paulo – SP