domingo, 27 de novembro de 2011

Celíacos podem ou não doar sangue e órgãos?

Acabei de descobrir que quem tem doença celíaca ou qualquer outra doença auto imune , dermatite herpetiforme que tem tomado principalmente o Dapsona ou qualquer outro corticóide via oral, não pode doar sangue de maneira nenhuma.




 O nível alto de anticorpos antígenos anti glúten podem ao invés de ajudar o recebedor, atrapalhar, pois será necessário mais imunossupresores que acabarão deixando a pessoa mais vulnerável. Os testes de detecção de um sangue celíaco ou contaminado com dapsona são caros e a triagem é feita durante a entrevista. Vai da consciência de quem está doando.

  O receptor fica extremamente frágil, mais do que um bebê recém-nascido. Qualquer medula, por mínima a doença que tenha seu doador, pode MATAR o receptor. 
Quem é transplantado não pode ter contato com crianças e pessoas com uma gripe, imagine receber uma medula com uma doença autoimune...

  As células de defesa são produzidas na medula óssea e possuem o material genético do doador. Se o seu dna está programado para auto-atacar o corpo (porque você tem uma doença autoimune), há grandes chances de passar essa condição para o receptor. Como a maneira como essa doença vai se manifestar não segue regra e pode variar muito, o receptor pode apresentar riscos de vida também se receber essa nova medula. Um receptor perde toda a sua medula natal e fica completamente vulnerável, por isso a negação de portadores de doença autoimune entrarem em bancos de medula também.
  O sangue também carrega células com o DNA do portador de doença autoimune, além de carregar consigo anticorpos contra partes do corpo da pessoa que uma pessoa não autoimune não produz. Quem precisa de sangue também está debilitado fisicamente e anticorpos ultrarreativos poderiam ter alguma reação indesejada com o corpo da pessoa que recebe o sangue Emoticon unsure 



Vejam um site passado por um grande amigo:  http://www.mdsaude.com/2010/05/doacao-sangue.html

A respeito da doação de órgãos vejam:  Segundo os novos entendimentos da medicina local podemos doar para receptores com a mesma patologia autoimune.
Quem não pode doar? 
* Pacientes portadores de insuficiência orgânica que comprometa o funcionamento dos órgãos e tecidos doados, como insuficiência renal, hepática, cardíaca, pulmonar, pancreática e medular; 
* Portadores de doenças contagiosas transmissíveis por transplante, como soropositivos para HIV, doença de Chagas, hepatite B e C, além de todas as demais contra-indicações utilizadas para a doação de sangue e hemoderivados;
* Pacientes com infecção generalizada ou insuficiência de múltiplos órgãos e sistemas; e
* Pessoas com tumores malignos - com exceção daqueles restritos ao sistema nervoso central, carcinoma basocelular e câncer de útero - e doenças degenerativas crônicas. 

http://portal.saude.gov.br/

Segue aqui agora que descobri uma outra opinião sobre:


Doação de Sangue x Celíaca- por Anne Silva


DOAÇÃO DE SANGUE X CELÍACA
Estou há tempos para escrever este post, pois volta e meia vejo alguém perguntando aqui se celíacos podem doar sangue, e a resposta é sempre na linha "não, nem pensar, prejudica você e quem recebe". Com a ressalva de que não sou hematologista nem nada do tipo, gostaria de colocar esse assunto em perspectiva.
No Brasil, a RDC 153 da Anvisa, que regula o tema, traz, no item B.5.1.3, o seguinte texto: "Candidatos com doença hematológica, cardíaca, renal, pulmonar, hepática, AUTO-IMUNE, diabetes tipo I, diabetes tipo II com lesão vascular, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramento anormal, convulsão após dois anos de idade, epilepsia, ou que informem outras doenças, devem ser convenientemente avaliados e PODEM SER  excluídos temporária ou definitivamente da doação. As doenças que contra-indicam, definitiva ou temporariamente, a doação de sangue estão no Anexo II." Entretanto, no Anexo II da Resolução - que pode ser baixada em http://portal.anvisa.gov.br/…/4bc8428047457945…/rdc_153.pdf… -, não há qualquer menção específica à doença celíaca, o que provavelmente se deve à pouca expressão da DC nas estatísticas brasileiras à época da redação do documento, no ano de 2004. No Anexo I da Portaria 2.712 do Ministério da Saúde, mais recente, que também dispõe sobre o tema, consta apenas que são causa de inaptidão definitiva para a doação de sangue as "doenças autoimunes que comprometam mais de um órgão" (http://bvsms.saude.gov.br/…/saudelegis/gm/2013/prt2712_12_1… ), o que não é o caso da celíaca compensada, embora não haja menção a ela nessa Portaria, tampouco.
Em praticamente todos os países desenvolvidos em que a DC é abordada de forma relevante na saúde pública, há um consenso no sentido de que PORTADORES DE DOENÇA CELÍACA PODEM SIM DOAR SANGUE, MEDULA E ÓRGÃOS, DESDE QUE ESTEJAM EM DIETA ISENTA DE GLÚTEN, ASSINTOMÁTICOS E COM ANTICORPOS NEGATIVADOS. A própria Organização Mundial da Saúde deixa isso bem claro em seu manual de diretrizes para avaliação e seleção de doadores de sangue, que pode ser baixado em http://www.who.int/…/BDSelection_WHOGuideAssessingDonorSuit… (postarei prints grifados de quase todas as referências nos comentários, para quem achar trabalhoso procurar essas informações nos arquivos). Essa orientação é seguida por inúmeras instituições de saúde no mundo todo e pode ser vista, por exemplo, nas páginas do Mass General, hospital da Faculdade de Medicina de Harvard ( http://www.massgeneral.org/…/celiac…/celiac-disease-faq.aspx ), e do Centro para a Doença Celíaca da Universidade de Chicago ( http://www.cureceliacdisease.org/archives/tag/bone-marrow), entre mais. Outro aspecto importante é que, contrariamente ao que diz o senso comum, o impedimento da doação de sangue em caso de DC não compensada visa ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE À PROTEÇÃO DA SAÚDE DO DOADOR, nada tendo que ver com o potencial receptor, para quem a eventual imposição de uma vida sem glúten seria obviamente preferível à morte por hipovolemia. Isso fica nítido, por exemplo, no Decreto Ministerial de 2005 que regula o tema na Itália, país com um dos maiores índices de diagnóstico e de conscientização em relação à DC no mundo; o Decreto pode ser baixado emhttp://www.ipasvi.it/archivio_news/leggi/288/DM030305.pdf . Além disso, se assim não fosse, os anticorpos relacionados à DC fariam parte obrigatória das baterias de testes das bolsas coletadas, o que obviamente não ocorre. Há, inclusive, vários estudos nacionais e internacionais sobre a prevalência de doença celíaca não diagnosticada (e, obviamente, não compensada) em doadores de sangue, que apontam taxas médias em torno de 1:300 - vejam, por exemplo, os disponíveis emhttp://www.teses.usp.br/…/5147/tde-20022009-132823/pt-br.php ehttp://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10232872 .
Na prática, muitos celíacos, mesmo compensados e assintomáticos, podem acabar enquadrados em outras condições de inelegibilidade para a doação, como realização de endoscopia há menos de seis meses, presença concomitante de outra doença autoimune e hemoglobina ou hematócrito abaixo do mínimo (respectivamente, 12,5g/dL e 38% para mulheres e 13,0g/dL e 39% para homens), entre outras. Não havendo esse enquadramento, porém, e estando em boas condições de saúde, CELÍACOS COMPENSADOS PODEM E DEVEM DOAR SANGUE, e pelo menos um hemocentro brasileiro já se alinha às melhores diretrizes internacionais e deixa isso bem claro em seu manual próprio de doação, o Hemominas: http://www.hemominas.mg.gov.br/…/do…/condicoes-e-restricoes… .
Portanto, amigos, se tiverem vontade de ajudar a salvar vidas dessa forma e estiverem em condições para isso, DOEM SANGUE! Como parte de meus princípios, nunca recomendarei a alguém mentir, mesmo sabendo do alto índice de celíacos não diagnosticados que doam sangue regularmente. Sugiro, sim, munir-se dessas e de outras evidências e conversar com os diretores do hemocentro escolhido. Mesmo com esses respaldos, porém, é possível que a Direção recuse a doação, por compreensível medo de infringir alguma regra. Assim, aproveito para propor que nos organizemos para solicitar à Anvisa e ao Ministério da Saúde a distribuição de uma recomendação nesse sentido a todos os hemocentros brasileiros. Não sei exatamente qual seria o caminho jurídico para isso - alguém sabe e gostaria de ajudar?

Bem agora segue minha opinião diante de tanta polêmica:

Eu particularmente não doei mais pelo fato de eu ter 2 doenças auto imunes que é a tireoide de hashimoto tb. Portanto fora de questão . Cada qual com sua consciência. Outra razão tb é que vc pode ter outra doença associada aí e não saber. Muito complexo isto! Quem fizer questão de doar então vá a um médico fazer um check up e ter o aval do médico.
Este é meu conselho a todos que fazem questão de doar, que doem com consciência!