Asma e o glúten


Segunda-feira, 14 de Novembro de 20011.

 
Imagem retirada da Net

 A pedido de uma amiga, procurei estudos que explicassem uma possível ligação entre a asma e a ingestão de glúten. Já tinha lido algo nesse sentido, mas ainda não tinha pesquisado a sério. Parece que há uma ligação, ainda que, como em todas as ligações que se fazem entre o glúten e uma míriade de condições, a dieta sem glúten não seja uma panaceia global. O estudo que encontrei no site celiac.com encontra uma ligação entre ambas as condições, mas não encontra uma relação de causalidade.



"DOENÇA CELÍACA ASSOCIADA A RISCO DE ASMA
Ao longo dos anos, os pesquisadores têm vindo a descobrir mais e mais sobre a doença celíaca, uma doença auto-imune que é causado pelo glúten, uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio. Estudos têm relacionado a doença com uma variedade de outras condições médicas, como a síndrome do intestino irritável, artrite reumatóide e osteoporose. Pesquisadores descobriram agora uma ligação entre doença celíaca e asma.

A asma é uma doença pulmonar crónica que faz com que as passagens nos pulmões se tornem inflamadas e apertadas, resultando numa respiração ofegante, falta de ar, aperto no peito e tosse. Isto começa, muitas vezes, na infância, e, de acordo com o Departamento dos EUA de Saúde e Serviços Humanos, mais de 22 milhões de pessoas sofrem desta condição. Muitos estudos têm relacionado a asma aos alergéneos no ar, mas os médicos começam a olhar para os alimentos também como culpados. Um desses estudos mostra uma ligação para a doença celíaca, que não é uma alergia, mas sim uma resposta auto-imune ao glúten.

Num estudo publicado no Jornal de Alergia e Imunologia Clínica, pesquisadores europeus descobriram que os indivíduos celíacos têm 60 por cento mais hipóteses de desenvolver asma do que aqueles sem esta condição. A doença celíaca afecta aproximadamente um por cento da população e, sem tratamento que consiste numa dieta livre de glúten, pode causar uma variedade de sintomas físicos e mentais, incluindo fadiga crónica, dores de cabeça, desnutrição, dores de cabeça crónicas e problemas estomacais.

O Dr. Jonas Ludvigsson da Orebro University Hospital e do Karolinska Institutet, na Suécia, e os seus colegas compararam mais de 28.000 pacientes celíacos suecos com mais de 140.000 pessoas sem a doença. O estudo concluiu que se pode demonstrar uma ligação entre as duas, mas não que uma condição causa a outra; os pesquisadores não foram capazes de identificar o motivo para a associação.

Um possível factor pode ser a vitamina D. De acordo com a Reuters Health, o Dr. Ludvigsson disse num e-mail, "Pessoalmente, acho que o papel da deficiência de vitamina D deve ser enfatizado." Tem sido demonstrado que a vitamina D é um factor no desenvolvimento da tuberculose e da osteoporose, condições que os celíacos são mais propensos a desenvolver. Na doença celíaca, o glúten provoca uma reacção auto-imune que faz com que o sistema imunológico ataque o intestino delgado, especificamente as vilosidades, estruturas semelhantes a dedos, que absorvem os nutrientes dos alimentos; assim, os pacientes celíacos, geralmente, apresentam deficiências em vitaminas e minerais. Se um paciente celíaco não receber uma quantidade suficiente de vitamina D no seu sistema, de acordo com o Dr. Ludvigsson, o risco de asma pode ser aumentado.

De acordo com o Dr. Ludviggson, os pacientes celíacos da Suécia aderem bem à dieta isenta de glúten. O estudo não determina quantos dos 28 mil indivíduos cumpriam as suas dietas, mas Ludviggson disse à Reuters Health, "Geralmente, na Suécia, o cumprimento da dieta é elevado, então acredito realmente que os pacientes com boa adesão também correm maior risco de asma."

É recomendado que as pessoas que suspeitem poder ter a doença celíaca ou asma consultem um médico qualificado para testes, diagnóstico e tratamento."