FARINHA DE SORGO! VOCÊ CONHECE?

Autor: Ana Carolina Delmonico da Silva
Email: anacarolina@nutricaoemfoco.com.br

Data de publicação: 09 de setembro de 2009

Nome científico: Sorghum sacharatum
O sorgo encontra-se na família dos cereais, assim como o trigo, o arroz, o milho e a cevada. Ele é considerado o quinto cereal mais importante no mundo, devido à sua importância econômica e também por ser uma excelente fonte de energia. O sorgo é uma planta moderna, a qual foi domesticada pelo homem, para que ela pudesse atender e satisfazer as necessidades humanas. É muito utilizado em regiões muito secas e quentes, cuja produtividade é ruim. O sorgo é um alimento básico em países da África, Sul da Ásia e da América Central e é um importante componente na alimentação animal nos Estados Unidos, Austrália e América do Sul.
Os grãos também podem ser utilizados na produção de farinha para panificação, amido industrial e álcool, e a palhada como forragem ou cobertura de solo. O sorgo é bastante cultivado nas regiões semi-áridas do Brasil, devido à sua adaptação às condições de escassez de água. Atualmente, as instiuições responsáveis pelo desenvolvimento agrícola da região nordeste têm dado maior atenção a este cultivar.
Na culinária brasileira, o sorgo é preparado em forma de farinha e na Região Nordeste do Brasil, ele é substiuído pelo milho, em bolos, biscoitos, pães, pudins, sorvetes, cuscuz, angu, pamonha, empadas e pastéis. A mistura de 20% de farinha de sorgo na farinha de trigo não causa alterações quanto ao gosto e textura dos produtos. Arrebentado como o milho, dá uma excelente pipoca!
  Comparação entre o milho (à esquerda) e o sorgo (à direita)

Para 100g:
 Energia
 Ptn
 Lip
 Carb
 Cálcio
 Fósforo
 Ferro
 Retinol
Vit.B1 
 Vit.B2
 Niacina
 (Kcal)
 (g)
 (g)
 (g)
 (mg)
 (mg)
 (mg)
 (mcg)
 (mg)
 (mg)
 (mg)
 344
 11,12
 3,74
 67,43
 20,00
 188,00
 2,70
 3,00
505,00
120,00
3,20



A origem do sorgo
A origem do sorgo está provavelmente na África, embora algumas evidências indiquem que possam ter havido duas regiões de dispersão independentes: África e Índia. A domesticação do sorgo, segundo registros arqueológicos, deve ter acontecido por volta de 3000 a. C., no tempo em que as práticas da domesticação e do cultivo de outros  cereais eram introduzidas no Egito Antigo a partir da Etiópia. O sorgo deve ter chegado ao Brasil da mesma forma como chegou nas Américas do Norte e Central: através dos escravos africanos.

Nomes como “Milho d’Angola” e “Milho da Guiné”, encontrados na literatura e até hoje no vocabulário do nordestino do Sertão, sinalizam que possivelmente as primeiras sementes de sorgo trazidas ao Brasil entraram pelo Nordeste no período de intenso tráfico de escravos para trabalhar na atividade açucareira.
O sorgo apresenta uma composição química bastante semelhante à do milho e contém apenas valores nutritivos ligeiramente inferiores em relação ao mesmo. Ele também pode ser substituído como fonte energética em rações animais bovinos, suínos e aves, como acontece nos EUA.

Nutrição em Foco