Benefícios dos alimentos de polpa branca!

Alimentos com a polpa branca: mil e um benefícios!

Pigmentos encontrados na polpa da fruta contem benefícios para a nossa saúde desconhecidos da grande população.
Você sabe quais sãos os pigmentos que dão cor branca a polpa dos alimentos? Sãos os flavonóides, que evitam formação de tumores no intestino, reduzem o risco de câncer e tem ação antibacteriana, antiviral e anti-inflamatória, além de atuarem no fígado estimulando a produção de enzimas que ativam a imunidade e combatem substâncias cancerígenas. A seguir, veja algumas dicas da nutricionista Audrey Chaves Santos de alimentos que contem a polpa branca e todos os seus benefícios:

Coco: força para os ossos

Rico em minerais, o coco merece estaque por ter grande quantidade de magnésio, que reforça os ossos e as cartilagens, ajudando a prevenir osteoporose e dores musculares: “A fruta também conta com propriedades anticancerígenas e age como adstringente nas hemorróidas”, explica a nutricionista.
Além da polpa, a água de coco também tem benefícios a oferecer à saúde. um produto natural e praticamente livre de contaminações, que possui baixo teor calórico e considerável valor nutricional, uma vez que é rico em vitaminas e sais minerais, incluindo sódio, potássio, cálcio, magnésio, manganês, ferro, zinco, cobre. Por conta da quantidade de sódio, hipertensos devem consumir água de coco com moderação.

Lichia: ajuda a emagrecer

Dona de baixíssimas calorias, a lichia é a nova queridinha de quem está brigando contra o peso extra. Um estudo da Universidade de Hokkaido, no Japão, analisou o emagrecimento em voluntários que ingeriram extrato de lichia. Em relação a quem não consumiu o alimento, eles perdem 15% a mais de gordura na região abdominal. Esse efeito se dá graças a um antioxidante chamado cianidina, responsável pela cor da casca, mas que também está presente na polpa.
“A lichia ainda é forte aliada do sistema imunológico, já que é riquíssima em vitamina C. Para ter idéia do seu poder, seis unidades diárias do nutriente, que ainda protege as células do envelhecimento e favorece a absorção de ferro no organismo”, conta Audrey.
A lichia também é fonte de potássio, mineral indispensável ao adequado trabalho dos músculos e que evita inchaços.

Pinha: para quem precisa de energia

Também conhecida como fruta-do-conde, a pinha é uma das mais ricas em açúcar, por isso, deve ser consumida com moderação por diabéticos e por quem está de olho na balança.
Rica em carboidratos, estimula o apetite e fornece energia rápida para os músculos e o cérebro. A fruta ainda é fonte de antioxidantes, cálcio, fósforo, potássio e as vitaminas C e do complexo B.
“Pode ser usada em casos de anemia, desnutrição, contra reumatismo, prisão de ventre e problemas estomacais”, esclarece a nutricionista Audrey.

Maçã: dose diária de saúde


A lista de propriedades benéficas da maçã é extensa, mas a mais conhecida e comemorada é a de proteger o coração. Pectinas, gomas e mucilagens são fibras solúveis encontradas na fruta que podem reduzir o colesterol sanguíneo, retardando sua absorção no trato digestivo. Assim, o risco de doenças cardiovasculares e arterosclerose é reduzido.
Rica em quercetina, a fruta ainda evita a formação de coágulos sanguíneos e retarda a absorção de glicose no organismo, prevenindo o diabetes.
Além disso, a maçã é excelente fonte de poderosos antioxidantes, como explica a Audrey: “Os flavonóides presentes na casca e na polpa protegem as células, além de impedirem uma série de doenças, entre elas o câncer”.
Pela boa quantidade de fibras, a maçã, também regula o funcionamento do intestino e sua ação adstringente protege dentes e gengivas.

Graviola: poderosa das folhas à polpa

O sabor característico da graviola é levemente azedo e a póla é fibrosa e fonte de proteínas, gorduras, carboidratos, as vitaminas C e do complexo B, além de potássio e fósforo. A nutricionista ainda explica o uso terapêutica da graviola: ”Seu benefícios são conhecidos desde o chá de folhas, que facilita o emagrecimento e a digestão, combate gases, insônia e enxaqueca até a trituração das sementes, que contêm substâncias que agem contra vermes”, explica.
A graviola é adstringente, diurética e antiespasmódica. Pesquisas recentes realizadas nos Estados Unidos por mais de 20 laboratórios farmacêuticos constataram que a fruta é composta de substâncias anticancerígenas capazes de tratar vários tipos de tumores.

Audrey ainda diz qual é a quantidade ideal de consumo diário desses alimentos. Veja:
MAÇÃ: até 3 unidades por dia; PINHA: 1 unidade, 1 vez por semana; LICHIA: até 20 unidades por dia; GRAVIOLA: 100g da polpa, 2 vezes na semana; COCO: 1 fruta verde (polpa e água) por dia.