sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A Infertilidade e a Doença Celíaca


Doença celíaca e a infertilidade

No seguimento do post anterior com a entrevista da Dra. Vicente e do comentário dela sobre a DC e a infertilidade, aproveito para postar um artigo do site do New York Times em que uma médica responde a uma questão sobre esta ligação. Isto porque nem sempre as pessoas (médicos incluindo) sabem desta causalidade e convém divulgar. Também porque me lembro da história de uma jovem rapariga que, com 24 anos, estava em menopausa precoce, sem razão aparente, e querendo engravidar, não conseguia nem com todos os tratamentos que a sua parca economia familiar lhe permitia realizar. No forum em que li a história dela, queixou-se a dada altura de aftas dolorosas e constantes... fez-se um click na minha cabeça: menopausa precoce e aftas, dois sintomas da DC. Respondi ao seu post e disse-lhe que deveria fazer o despiste da doença, mas respondeu-me a dizer que tinha pesquisado na Net e não lhe parecia que encaixasse no perfil... não sei se chegou ou não a abordar a questão com o médico dela, pois entretanto deixou de aparecer no forum. Eu vou continuar a tentar passar a mensagem.

"Os Alimentos Podem Contribuir para a Minha Infertilidade?
Pelo THE NEW YORK TIMES
Fevereiro 2010

A Dra. Sheila Crowe, professora na divisão de Gastrenterologia e Hepatologia do departamento de medicina da Universidade da Virgínia, aderiu recentemente à Consulta do Blog para responder a perguntas dos leitores sobre a doença celíaca, uma desordem digestiva muitas vezes esquecida que causa danos ao intestino delgado quando o glúten, uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio, é ingerido. Milhões de pessoas têm doença celíaca, mas a maioria não sabe disso, em parte porque os sintomas podem ser tão variados. Aqui, a Dra. Crowe responde a uma leitora preocupada com as ligações entre a doença celíaca e infertilidade.

Doença Celíaca, infertilidade e abortos

P. Pode explicar a ligação entre doença celíaca e infertilidade? É mais provável ser infértil se tivermos doença celíaca?
Melanie

R: Sim, infertilidade ou a incapacidade de engravidar, parece ser mais comum em mulheres com doença celíaca não tratada, com base numa variedade de estudos feitos em diferentes países. Outros problemas ginecológicos e obstétricos também podem ser mais comuns, incluindo abortos e nascimentos prematuros. Homens com doença não tratada podem também enfrentar problemas de fertilidade. Embora estes problemas nem sempre foram reconhecidos como sendo relacionadas com a doença celíaca por médicos e outros profissionais de saúde, esta situação começa a mudar.
Está reportado que mulheres com doença celíaca começam a ter períodos mais tarde e param de menstruar mais cedo do que a média. Elas também sofrem mais frequentemente de amenorreia secundária, uma condição na qual a menstruação começa, mas depois pára. Juntos, esses distúrbios menstruais levam a menos ovulações, o que resulta numa menor probabilidade de engravidar. Factores hormonais e má nutrição também têm um papel nesses problemas.

Para os homens, os problemas podem incluir espermatozóides anormais - como número, a forma alterada, e a função reduzida. Homens com doença celíaca não tratada também podem ter níveis mais baixos de testosterona.

Claro que, para homens e mulheres, a frequência das relações sexuais afecta a fertilidade. Se alguém se sente mal pela doença celíaca não tratada, a actividade sexual pouco frequente pode contribuir para o problema. Um estudo italiano sugere que as relações sexuais ocorrem com menos frequência quando um dos parceiros tem a doença celíaca activa em comparação com casais em que a doença celíaca do parceiro estava a ser tratada.

Quando uma mulher com doença celíaca activa concebe, outros problemas que podem surgir durante a gravidez incluem abortos e bebés pequenos por causa do parto prematuro ou atraso de crescimento in útero. Estas condições são mais comuns em mulheres com doença celíaca não tratada, apesar de os abortos poderem ter muitas causas e ocorrerem em até um quarto de todas as gestações. No entanto, eu recomendaria que se uma mulher tem abortos repetidos ou é incapaz de conceber, deve-se considerar a sua triagem para a doença celíaca pelo teste de anticorpos.

Na verdade, existem muitas causas de infertilidade, abortos e bebés pequenos além da doença celíaca não diagnosticada, e alguns estudos têm falhado em demonstrar que os riscos destes problemas são, na verdade, aumentados pela doença celíaca não tratada. São necessários estudos maiores e mais bem elaborados.

Ainda assim, a minha própria experiência clínica sugere que a infertilidade e os bebés pequenos ou prematuros são mais comuns em mulheres com doença celíaca não tratada do que aquelas sem doença. Tenho a certeza que alguns dos nossos leitores podem compartilhar as suas próprias experiências a este respeito. E a boa notícia é que com o tratamento adequado, com a dieta sem glúten e correcção de deficiências nutricionais, o prognóstico para as futuras gestações é muito melhor."