domingo, 14 de agosto de 2011

Falando mais sobre a Alergia!

Rinite alérgica

 Aproveitando que estamos falando do curso de alergia que vai ter para os pais, vamos saber um pouco mais sobre ela:

Espirros, nariz entupido, escorrendo, voz fanhosa, olhos lacrimejando. Coçam os olhos, o nariz, os ouvidos e a garganta... Gripe? Resfriado? Não, é a rinite alérgica! Doença pouco valorizada, mas que pode incomodar bastante, com suas crises repetidas. A rinite não mata e não é uma doença incapacitante, mas pode trazer sérias conseqüências para a pessoa. 


Na rinite persistente leve, os sintomas de uma forma geral, não incomodam o paciente, o sono permanece normal e as atividades diárias, profissionais ou de lazer não são comprometidas. Nos casos de rinite persistente moderada ou grave, há um nítido comprometimento das atividades diárias bem como do lazer. Noites mal dormidas, dificuldade de concentração, sonolência durante o dia, interferem e atrapalham o dia a dia do paciente em qualquer idade, seja uma criança, um adolescente, adulto ou uma pessoa idosa: sua qualidade de vida é afetada, comprometendo seu convívio social.  Mas, não pára por aí: a inflamação da mucosa nasal pode envolver também outros setores próximos (seios da face, ouvidos, olhos, garganta, pulmões) e resultar em outras doenças, chamadas de "comorbidades da rinite alérgica".


Portadores de rinite são mais suscetíveis às infecções respiratórias. A rinite alérgica tem sido associada com sinusite. Devido a obstrução, há acúmulo de muco dentro da cavidade e diminuição da tensão de oxigênio, dificultando os mecanismos de defesa e facilitando à infecção. Os pacientes podem ter coriza, gotejamento pós-nasal, dificuldade para respirar pelo nariz, cefaléia, dor de garganta, tosse, sensação de entupimento dos ouvidos, otalgia, diminuição da audição e “sensação de ouvido cheio”. A rinite pode se associar a outras complicações, como por exemplo: amigdalites, otites, conjuntivites, laringites, traqueítes, tosse crônica, etc. 


Outro aspecto muito importante é que a presença da rinite pode desencadear ou agravar crises de asma. Na verdade, a maior parte dos asmáticos tem rinite. É comprovado que o tratamento da rinite melhora a asma, diminui a hiperresponisívidade e proporciona redução das crises, das internações por asma e suas complicações.


A principal razão para se tratar a rinite é conquistar o bem-estar do paciente e melhorar sua qualidade de vida. Para isso, existem remédios para tratar crises e outros para controlar a inflamação da mucosa nasal e prevenir novas crises. Mas, tratar não é só tomar remédios, sendo importante que o paciente seja orientado sobre a doença, sobre as  medidas ambientais  e sobre seu tratamento. A imunoterapia (vacina para alergia) é essencial para a melhora dos sintomas mas também para o controle da doença a longo prazo. 


O nariz, como parte superior do trato respiratório, é um condicionador de ar para os pulmões. O funcionamento adequado do nariz é essencial para a manutenção das funções dos pulmões. Em resumo, a rinite não mata, mas... maltrata!

Rinite Alérgica: quem responde é o especialista




1.Como posso diferenciar um resfriado de uma rinite alérgica?O resfriado comum (gripe) é causado por vírus, na maior parte dos casos. É contagioso e acompanha-se de mal estar, febre, dores no corpo, falta de apetite. A rinite alérgica não é contagiosa, tem origem genética e provocada por fatores variados, como por exemplo, poeira e ácaros; piorando no inverno e nas mudanças de tempo.

2.Porque a rinite é mais freqüente no inverno?No inverno, algumas situações favorecem as crises da rinite: a temperatura é amena, a umidade ambiental aumenta, em geral há maior desenvolvimento de ácaros.Nestes períodos, é comum que as pessoas fiquem mais tempo dentro de suas casas, o que aumenta o contato com os ácaros.Além disso, ocorrem mudanças bruscas de temperatura, que podem provocar a congestão nasal. Gripes e viroses são mais comuns, contribuindo para piorar a rinite.

3. É verdade que os remédios de nariz podem fazer mal?Em casos de congestão nasal repetida e crônica, algumas pessoas tendem a usar "gotas nasais" para alívio da obstrução. No entanto, se estes medicamentos são usados por tempo prolongado, tendem a provocar um entupimento cada vez mais intenso, terminando por desenvolver vício, o que faz com que a pessoa necessite cada vez mais do uso. Além disso, com o passar do tempo, podem provocar também diminuição do olfato e aumento da pressão arterial.Converse com o médico para que ele ajude a abandonar o uso das gotas nasais.

4.O que é respiração bucal?Chama-se de respiração bucal, quando a pessoa acostuma-se a respirar com a boca aberta (ou semi-aberta) para compensar a congestão do nariz, que impede uma respiração normal. Um exemplo comum é durante um resfriado ou gripe. Entretanto, nos casos de rinite onde a respiração bucal pode se instalar por tempo prolongado, termina por irritar a garganta podendo provocar pigarro, ressecamento, amigdalites ou faringites repetidas. Em crianças, provoca também diminuição do apetite, sono agitado e ainda causa o aparecimento de alterações dentárias, como a dentição protusa ("dentuço"). Pode provocar também o aparecimento de deformidades do tórax. A criança (ou o adulto) dorme mal durante a noite, não tendo um repouso adequado e durante o dia fica sonolenta ou agitada, desatenta, prejudicando seu humor e seu rendimento na escola (ou no trabalho).

5.O que é “aumento das adenóides”?Adenóides são chamadas popularmente de "carne no nariz", mas este não é um têrmo adequado pois nem ao menos se situam no nariz. Adenóides são amígdalas situadas na região que fica por trás do nariz, perto da comunicação com o ouvido e que aumentam muito em algumas crianças alérgicas. Só podem ser vistas em radiografias da face realizadas em perfil. O aumento das adenóides pode piorar a rinite, provocar roncos noturnos, respiração bucal e as crianças costumam babar no travesseiro à noite.

6.A rinite pode piorar a asma?Sim. A rinite e a asma são doenças que possuem características semelhantes em muitos aspectos. Além disso, a via respiratória se prolonga em harmonia desde o nariz até os pulmões em total continuidade. Por isso, uma das complicações da rinite é a piora ou provocação da asma. É muito importante que se dê atenção aos sintomas nasais, para que se possa melhorar a asma. Em alguns casos a rinite provoca sinusite, que por sua vez, complica a asma.

7. Quais as consequências da rinite?O nariz é o órgão alvo da alergia respiratória, sendo o responsável não só pelos sintomas da rinite, como pelos reflexos causados pela doença. A partir da rinite, pode haver comprometimento dos olhos, ouvidos, seios da face, faringe, laringe, traquéia e pulmões. Por isso, a
inflamação repetida da mucosa nasal na Rinite Alérgica pode resultar em uma série de problemas, como por exemplo: conjuntivite, otite, sinusite, faringite, laringite, traqueíte, pneumonia e asma. Muitas vezes uma criança com alergia respiratória faz muitas infecções, ficando constantemente encatarrada, necessitando uso repetido de antibióticos. Além dsso, a rinite pode provocar alterações da voz, olfato, apetite, paladar e audição.
8.O que fazer para prevenir a rinite alérgica?É importante é pesquisar as causas da rinite. Como na maior parte das vezes há participação da poeira e dos ácaros, recomenda-se manter a casa arejada, combater a poeira e os ácaros (ver dicas). Além disso, é importante tomar cuidados com a alimentação, praticar esportes ou atividades físicas como as caminhadas, não fumar e tomar bastante líquidos. O acompanhamento com médico especialista em Alergia é importante para controle dos sintomas e melhora da doença.

9. Toda rinite é alérgica?Não. A rinite pode ter outras causas, não alérgicas, como por exemplo: irritativas (vasomotora), medicamentosas (causada por remédios), hormonal (causada por hormônios, como por exemplo na gravidez), etc.

10.Vacinas antialérgicas tem bom efeito na rinite?Sim. A imunoterapia específica, popularmente conhecida como vacinas para alergia, é muito eficaz no tratamento da rinite alérgica, pois induz a diminuição da sensibilidade aos agentes inalantes provocadores das crises. Devem ser preparadas pelo alergista de acordo com os resultados do teste, usando material (extrato) padronizado e de maneira individual para cada paciente. O uso das vacinas é demorado e permite um controle mais adequado da rinite alérgica.

Dicas:- A alergia é uma doença crônica, e deve ser tratada não apenas nos momentos de piora, mas de forma preventiva - mesmo quando se está bem.
- A pessoa alérgica deve aprender o que pode fazer no caso de apresentar crise. No entanto, o fato de aprender a manejar a própria doença não significa que se deve automedicar-se!
- É preciso aprender as medidas de controle do ambiente, limpeza da casa, etc, mas na maior parte dos casos, não há necessidade de se estabelecer proibições descabidas. O alérgico bem orientado pode ter uma vida normal, mas o ideal é que seja orientado pelo médico especialista. brincar livremente!





Você tem mais alguma dúvida?

Envie para nosso e-mail e fale diretamente com os médicos

da Clínica de Alergia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro.

Teremos prazer em responder.
http://blogdalergia.blogspot.com/