Alerta sobre os probióticos

Como tenho várias postagens aqui no meu blog sobre o benefício dos probióticos,me senti na obrigação de avisar meus leitores que tanto os probióticos como os outros remédios normais têm seus efeitos colaterais e têm que ser usado com receita médica,principalmente se o intestino estiver muito inflamado ou com outros problemas . Não sabia disto, pois muitas pessoas estão usando como vitamina e mesmo as vitaminas têm que ter conhecimento médico. Conto agora um relato de uma mãe que teve problemas seríssimos.O nome dela é Michely Egidio.
 Gostaria de aproveitar e deixar um alerta aqui, pois tem muitas mães com crianças alérgicas. Minha filha numero 2 tinha 1 ano e 7 meses qdo fechamos o diagnóstico de Alergia Alimentar( em maio de 2009). Ela nunca teve uma diarreia, tinha um broncoespasmo permanente, problemas para ganhar peso e crescer e um refluxo absurdo.Não era amamentada e precisava de uma formula para complementar sua alimentação. Após o diagnostico, a exclusão do leite, soja e carne bovina ela melhorou bastante. O Pediatra pediu para procurar uma nutricionista para podermos otimizar ao máximo o uso da formula e assim o fizemos. A Nutri, não tinha muita experiencia com alergia alimentar e na época tb não tinham muitos estudos ainda a respeito dos benditos probioticos (até na época eram vendidos como remedio e não alimentos funcional). Receitou para minha filha O Vital Imunne e compramos. Foi em julho de 2009. A dose indicada foi 1 tico na colher de café, 20 minutos após tomar a primeira e única dose minha filha sofreu um choque anafilático grave, com reação respiratoria grave que precisou de socorro imediato. Se na época eu já não estivesse um pouquinho informada, ela poderia ter morrido em meus braços. Identifiquei a anafilaxia, pela falta de ar e na hora dei uma dose de ataque de corticoide e corri com ela. No caminho liguei para o pediatra e fomos acalmando, pois ela foi melhorando... não precisou de adrenalina, apenas mais corticoide e foi melhorando. Com exatos 3 dias do choque teve um sangramento intestinal considerável. Tivemos que tirar todos os alimentos "pesados" de sua dieta, investir na formula de princípio, deixando a exclusiva por 5 dias e recomeçando do zero a introdução complementar alimentar. Foi muito difícil. Na época achava que tinha sido por contaminação do produto (por produtos lacteos), não havia sido descrito nenhum caso de anafilaxia com probioticos na época. Fizemos denuncia na Anvisa, que visitou o importador, recolheu produtos e amostras, fez trocar de medicamento para alimento, mas na verdade não deu em nada. Ficamos sem saber o que de fato aconteceu. Ano passado um nutri muito bacana de MG descobriu outros casos (não formais ainda) e me passou um monte de estudos. Descobrimos que minha filha sofreu um choque anafilatico, pois estava com o intestino muito, muito sensibilizado pela Alergia alimentar ainda, era muito recente a dita de exclusão. Em casos como de minha filha é possível o organismo responder de forma exagerada aos probioticos causando anafilaxia. Bom, só queria deixar minha experiencia para vcs e dizer que tomem cuidado. Tenho notado que é uma verdadeira coqueluche esses probioticos hoje e é receitado a torto e a direita por ai.


Em resumo : Procurem sempre um especialista da área em questão e se não sentirem firmeza procurem outro.


Explicação básica da nutricionista Noadia Lobão:


Vários estudos relacionam os probióticos com a prevenção e o tratamento das infecções gastrointestinais, infecções vaginais, nas doenças alérgicas frequentes, nos lactentes, nas crianças, em pacientes que estão fazendo uso de terapia com antibióticos ou de tratamentos com quimioterapia e radioterapia e nos casos de diarréias, inflamações e intoxicações.
Os probióticos em quantidades suficiente tem a função de equilibrar a barreira intestinal e controlar a entrada de toxinas, metais pesados, carcinógenos, colaboram na absorção dos nutrientes, imunidade etc.
Quando ocorre aumento da permeabilidade intestinal, dependendo do grau do desiquilíbrio intestinal é necessário preparar o intestino, ou seja, nutrir e equilibrar a barreira intestinal para suplementar com os probióticos.
Quando o intestino não é preparado para receber os microrganismos benéficos pode ocorrer excesso de gases, cólicas, e entrada de substâncias nocivas para a circulação e gerar problemas sérios.
Aconselho procurar um profissional que entenda do assunto, como um nutricionista funcional para que este prescreva os probióticos.