terça-feira, 7 de maio de 2013

Como o glúten provoca doença celíaca



por JORDAN REASONER
http://scdlifestyle.com/2012/02/how-gluten-causes-celiac-disease/



Quando eu era criança, eu tinha medo de fantasmas.

Eu costumava deitar na cama paralisado de medo, pensando que estavam escondidos em cada canto escuro do meu quarto. Eu conseguia vencer o medo por dormir com as luzes acesas.

Nós, seres humanos tememos o que não sabemos ... e eu estava na maior parte do tempo apenas com medo do escuro.

As coisas não foram muito diferente quando eu fui diagnosticado com doença celíaca em 2007. Eu sabia que precisava fazer uma mudança  drástica na minha vida, mas eu me senti paralisado de medo. Era hora de encarar a minha doença ... ou deixá-la ficar escondida no escuro.

Eu escolhi  acender as luzes para aprender como glúten causou minha doença.

E neste artigo, vou compartilhar com você ...

Doença Celíaca desencadeia uma guerra dentro do seu corpo

A doença celíaca é uma doença autoimune. Doenças autoimunes "resultam de resposta imunitária inadequada do organismo contra substâncias e tecidos normalmente presentes no corpo." 

Eu realmente gosto dessa palavra " inadequada "... Concordo que é inapropriado que meu sistema imunológico, preparado para me proteger do mundo exterior, na verdade confunde alguma parte do meu corpo com um patógeno do mal e ataca meu tecido saudável.

Em condições normais, o sistema imunológico é projetado para nos proteger de bandidos (chamados antígenos), como toxinas, bactérias, vírus, células cancerígenas, etc. Quando esses antígenos entram em contato com o nosso corpo, o sistema imunológico está equipado para fazer a guerra e defender nosso território.

Em pessoas com doença auto-imune, o sistema imunológico fica "confuso" sobre o que é um antígeno e o que é o nosso próprio tecido corporal saudável, reconhecendo-o como uma ameaça e destruindo-o ... é um caso trágico de erro de identidade.

Então, quando as pessoas com doença celíaca ingerem alimentos que contenham glúten, o seu sistema imunitário é exclusivamente programado para reconhecer isso como uma ameaça e reagir, danificando o tecido que reveste o intestino delgado, chamado de vilosidades. É quando as coisas ficam "inapropriadas." O sistema imunológico pensa que está fazendo um bom trabalho mantendo-nos seguros, mas está destruindo nosso revestimento do intestino saudável em uma guerra nuclear.

Vilosidades minúsculas que revestem o intestino sentem o peso do ataque. Durante a operação normal, essas vilosidades minúsculas são responsáveis ​​pela absorção de nutrientes da nossa alimentação. Mas ao longo do tempo, esses longos dedos - como estruturas - são destruídos ao ponto de ficarem achatados.

A destruição das vilosidades é parecida com esta imagem:




Será que essas vilosidades achatadas podem absorver nutrientes? 
Que tal protegê-lo dos bandidos?

Porque, como se vê, você é oco por dentro

É isso mesmo ... desde a boca até o ânus - nós, os seres humanos, temos um longo tubo oco que o nosso corpo considera ser parte do "ambiente externo". E quando comemos alimentos, que estão realmente passando através de nosso corpo pelo  "lado de fora",  nós absorvemos todas as coisas boas e deixamos as coisas ruins passar para fora do outro lado.

O intestino na verdade desempenha um papel crítico na proteção do nosso corpo a partir do ambiente externo. É um funcionamento semelhante à nossa pele ... mas no interior do corpo. Como o alimento reparte-se através do processo de digestão no intestino, a barreira das pequenas vilosidades intestinais  absorvem os bons nutrientes através das células (transcelular) e nos protegem de alimentos não digeridos, toxinas e lixo alimentar. É como a nossa pele trabalha com a luz ultravioleta do sol e ao mesmo tempo nos protege do ambiente externo.

O processo de absorção:


Fonte da imagem: "Surpresas da Doença Celíaca - Dr Alessio Fasano"

Mas a doença celíaca não é uma circunstância normal. E o glúten é a principal razão para começar a desvendar as coisas com esta doença ...

O que há de tão ruim com o glúten?

As plantas são muito mais diabólicas do que eu imaginava. Você sabia que elas carregam armas de destruição em massa?

Estou falando sério ... plantas estão preocupadas com a sua sobrevivência como nós também. Elas não querem morrer, é por isso que elas têm mecanismos de defesa para protegê-las, como produtos químicos tóxicos que devem dissuadir qualquer ser vivo de comê-las.

Praticamente todos os grãos de cereais contêm  "prolaminas" tóxicas, que são as proteínas, extremamente difíceis para os humanos conseguiem digerir.  O intestino humano não está preparado para quebrar prolaminas em pequenas partes, o suficiente para absorver todos os nutrientes delas.   Estas prolaminas tóxicas dão à planta um mecanismo de proteção para a sua sobrevivência (uma vez que não podem levantar-se e fugir).

Trigo contém a proteína glúten, que abriga uma das piores prolaminas ofensoras, chamada gliadina. Pesquisadores estão mostrando que muitas partes diferentes de glúten são problemáticas, mas a gliadina tem os efeitos  tóxicos mais poderosos sobre a barreira intestinal e prejudicam severamente o revestimento do intestino ... mesmo em pessoas saudáveis. Como se vê, esses efeitos tóxicos são exponencialmente piores para as pessoas com a genética para a sensibilidade ao glúten e doença celíaca.

Vamos dar uma olhada sobre como a gliadina faz o corpo declarar guerra contra si mesmo ...

Gliadina provoca inflamação do intestino

Como eu disse, proteínas do glúten são realmente difíceis de digerir para os seres humanos saudáveis ​​(e muitos outros animais). É a predisposição genética celíaca que cria as condições necessárias para uma guerra total no intestino. Vamos dizer que você come seu pão favorito no café da manhã. Seu estômago vai reduzir o tamanho e estrutura do alimento, transformando-o em quimo, e enviá-lo junto ao intestino delgado para quebrá-lo ainda e colher os nutrientes.

No caso de proteínas do glúten (como a gliadina), elas precisam ser "quebradas" pelo corpo antes que elas sejam úteis, o que é difícil para nós, seres humanos. Com essas partículas de gliadina saltitando no intestino delgado, elas começam a causar danos (lembre-se, eles são tóxicos).

Basta ter partículas de gliadina não digeridas no intestino delgado para provocar a libertação de IL-8, provocando a inflamação da parte inicial do intestino. Estes são os primeiros tiros disparados nesta guerra sobre o tecido do intestino ...

IL-8 ativa a parte Th1 do sistema imunológico (também chamado de "sistema imune inato") e que é a primeira camada de defesa. Ela fornece um ataque como "primeira resposta" imediata à invasão de antígenos, estimulando a inflamação.

Eu gosto de pensar nisso como o corpo enviando de soldados de terra para se engajar na batalha e estabelecer um perímetro contra o inimigo invasor. O processo de lutar de volta com a inflamação começa a danificar as células que revestem o intestino delgado (enterócitos).

Mas o que acontece a seguir é um jogo...

A Gliadina foge, passando pela  barreira intestinal

Se não é o suficiente que a gliadina provoque inflamação do intestino, a gliadina também encontra uma maneira de superar nossas defesas e deslizar para trás das linhas inimigas. Lembre-se que o intestino está alinhado com células projetadas para permitir que os mocinhos entrem, mantendo os bandidos do lado de fora. Na doença celíaca acontece uma avaria grave  neste sistema de defesa quando gliadina engana o seu caminho, passando através da parede do intestino.

Pense no  revestimento do seu intestino como um muro de malha, com portas especiais para percorrer se você tem o código secreto. Os bons nutrientes e outras partículas menores podem deslizar para a direita através da tela na parede sem nenhum problema. Mas proteínas maiores não digeridas como gliadina (e outros bandidos) não podem atravessar a parede.

As portas ao longo da parede de malha são chamadas de junções, e elas são a porta de entrada entre as células do intestino (enterócitos). Estas junções são controladas por um complexo processo de sinais para manter intacto o equilíbrio de proteção e qualquer coisa que passe através destas portas se diz que  passa entre as células (paracelular). Os investigadores identificaram uma proteína chamada zonulina em seres humanos. A Zonulina é um desses sinais delicados que controlam a abertura e fechamento dessas junções  e que é em grande parte responsável por evitar a absorção de antigénios paracelulares.

Como gliadina e zonulina interagem?

Como se vê, a gliadina é programada com um código secreto que faz com que os níveis de zonulina aumentem em pessoas com a pré-disposição genética para doença celíaca. Como os níveis de zonulina sobem, as junções que protegem a integridade da barreira intestinal começam a funcionar de forma anormal, abrindo de forma mais ampla a barreira de proteção da parede do intestino. Agora, o revestimento do intestino começa a permitir que partículas grandes que não devem estar lá entrem no corpo. 

E gliadina pode fugir  do seu caminho virando  para a direita ...

Aqui está o que aparece na superfície do intestino delgado:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19634568

Quando alguém com doença celíaca ingere glúten, a gliadina não só desencadeia a inflamação do intestino, mas tem um código secreto que estimula zonulina para abrir a parede do intestino, permitindo esgueirar-se através das portas e começar a se infiltrar no corpo. Neste ponto, a gliadina pode começar a se acumular por baixo da parede do intestino, montando suas forças por trás das linhas inimigas.

Gliadina provoca permeabilidade intestinal

Recorde que o sistema imunitário já foi atingido pela gliadina fora da parede do intestino por um processo inflamatório inicial. Agora a gliadina se acumula por baixo da parede do intestino, estimulando os enterócitos para liberarem  IL-15, provocando a  piora da inflamação dentro da parede do intestino.

Eu gosto de pensar que a liberação de IL-15 é como a chamada no sistema imunológico das Forças Especiais ... o envio de linfócitos intraepiteliais (IEL) para a cena. Estes poderosos IEL começam a danificar os enterócitos por meio de um grau mais grave de inflamação e de uma contínua  guerra sangrenta.

Mas isso não é tudo ...

Os IEL não podem acabar com o acúmulo de gliadina atrás das linhas inimigas e o processo inflamatório continua a piorar. O sistema imunológico envia soldados de elite com armas ainda maiores chamadas de "mediadores inflamatórios", tais como TNF e IFN, que contribuem para o dano de mais enterócitos.

As células são danificadas mais severamente, aumenta a  permeabilidade intestinal...e logo você fica com Síndrome do Intestino Irritável. 

Agora a gliadina (e tudo mais), pode passar livremente através da parede do intestino e fazer o que quiser... 

O processo parece com isto:


Até agora, o sistema imunológico tem lutado contra a gliadina, usando Th1 ou  armas "inatas" do sistema imunológico. Como a gliadina continua a se acumular atrás da parede do intestino, ela vai começar a formar ligações cruzadas com uma enzima chamada transglutaminase tecidular (tTG), que fica liberada para reparar  os  enterócitos danificados. A reticulação desencadeia uma cascata de reação cruzada Th2, com mais uma guerra sobre os enterócitos.

A presença do novo composto "gliadina / tTG" no corpo gira sobre o Th2 ou "sistema imunitário adaptativo", que eu comparo como se fossem agentes secretos bons em rastrear, localizar e destruir o inimigo.

O sistema imune adaptativo é uma poderosa resposta imune que tem a capacidade de coordenar os ataques muito mais sofisticado, utilizando anticorpos.  Anticorpos podem reconhecer e memorizar patógenos específicos para montar ataques mais fortes a cada vez que  encontrá-los.

Quanto maior o vazamento do intestino, mais a "gliadina / tTG" torna-se presente, e mais forte será a reação cruzada imunológica. Autoimunidade acontece quando os atiradores "gliadina / anticorpos tTG"  erradamente atacam os  enterócitos, onde a tTG é produzida.

Assim, em poucas palavras: os soldados de terra estão lutando com a  gliadina fora da parede intestinal gerando inflamação; as forças especiais e de elite estão lutando com a gliadina no interior da parede do intestino gerando inflamação, e os anticorpos "atiradores" estão procurando os antígenos "gliadina / tTG" gerando inflamação ... todos os três processos conduzem à destruição dos enterócitos que revestem a parede do intestino. Com o tempo, esses ataques ficam ruins o suficiente para que eles destruam completamente as microvilosidades da mucosa intestinal, como uma cidade devastada pela guerra.

Todo o processo deixa aquelas vilosidades digitiformes totalmente planas ...

Seu corpo está em chamas

A doença celíaca se torna um ciclo vicioso autoimune quando o glúten continua na dieta: o intestino continua permeável e a gliadina vai provocando inflamação num corpo em chamas.

E a pior parte?

O sistema imunológico está em alerta vermelho, travando uma guerra nuclear com todas as armas que tem. Isto pode causar doença celíaca e  levar ao aparecimento de  mais doenças autoimunes.

Na superfície, o processo aponta o dedo ao glúten, ou, mais especificamente, à gliadina. Não faria sentido que uma estrita dieta sem glúten  poderia terminar todo o processo e quebrar o ciclo de autoimunidade. Mas  existe uma pesquisa recente que mostra que apenas cerca de 40% dos pacientes celíacos cicatrizaram completamente seu intestino delgado em uma dieta livre de glúten.

Eu aprendi essa lição da maneira mais difícil ...

Apenas  uma dieta livre de glúten não é a história toda ... e se livrar do glúten por si só não apaga o fogo.




Sobre o autor:
Jordan Reasoner é um engenheiro de saúde. Ele foi diagnosticado com a doença celíaca, em 2007, e quase perdeu a esperança quando uma dieta livre de glúten não funcionou. Desde então, ele transformou sua saúde usando a dieta SCD (Dieta dos Carboidratos Específicos) e começou "SCDLifestyle.com"  para ajudar os outros  a curar naturalmente  problemas de estômago.