O que eu vou Comer??


Mas doutor, o que que eu vou comer?

De tanto amigos, pacientes, seguidores da liga e followers do twitter pedirem aí vai um post sobre Dieta sem glúten e sem lácteos (sim, lácteos e nem lactose, pois a lactose é de menos rs).

Primeiro ponto:
O que é o glúten e o que são lácteos?

1) Glúten (derivado do Latin glūten):

É uma proteína amorfa composta pela mistura de cadeias protéicas longas de gliadina e glutenina. O glúten é obtido através da mistura destas proteínas que se encontram naturalmente na semente de muitos cereais da família das gramíneas (Poaceae), subfamília Pooideae, principalmente das espécies da tribo Triticeae, como o trigo, cevada, triticale e centeio, ou em espécies da tribo Aveneae, como a aveia.

Estes cereais são compostos por cerca de 40-70% de amido, 1-5% de lipídios, e 7-15% de proteínas (gliadina, glutenina, albumina e globulina). A estrutura bioquímica deste tipo de glúten leva muitas vezes à sua denominação de "glúten triticeae", que é popularmente conhecido como "glútem de trigo". No caso do trigo (Triticum) a massa protéica é composta de cerca 68% de gliadina e 32% de glutenina (que compõem o glúten), 13% de globulina e 7% de albumina.

O glúten é responsável, por exemplo, por dar maciez aos pães. O problema é que os portadores da chamada doença celíaca  criam anticorpos contra essa proteína amorfa. Quando o glúten chega ao intestino dos celíacos, anticorpos impedem o órgão de absorver essa e outras proteínas - além de carboidratos, vitaminas, ferro e cálcio. Os nutrientes são eliminados pelas fezes e a pessoa fica com deficiências nutricionais graves. A persistência do consumo exacerba uma reação inflamatória ja existente.
Portanto preste atenção no termo acima: "Reação inflamatória" mais adiante falaremos novamente disso. 

2) Lácteos

São derivados do leite e que apresentam na sua composição diversas proteínas, tais como: alfa-lactoglobulina, beta-lactoglobulina, caseína entre outras. Além das proteínas, os lácteos podem ou não apresentar um açúcar chamado lactose.

Mas afinal, o que é intolerância à lactose? Alergia à proteínas do leite? Alergia à lactose ?

Bem, alergia à lactose não existe. Alergia obrigatoriamente envolverá uma reação inflamatória, mediada por imunoglobulinas, ou seja, seu corpo  produz anticorpos contra um determinado antígeno, nesse caso o alérgeno (antígeno) seria as proteínas do leite de vaca. O paciente poderá até apresentar sintomas locais (intestinais = diarréia, distensão abdominal, flatulência) e ainda sintomas sistêmicos = depressão, autismo, hiperatividade, lesões na pele, como urticária e coceira, sintomas respiratórios (infecções de vias áreas de repitação), inflamação da mucosa intestinal e até pequenos sangramentos intestinais.

No caso da Intolerância, ela acontece porque o organismo não produz ou passa, por algum motivo, a produzir pouca a enzima lactase, responsável pela digestão da lactose (o açúcar do leite). Em conseqüência, a lactose se acumula no intestino, para onde atrairá água, será fermentada pelas bactérias, com formação de gases, provocando diarréia, cólicas, distensão abdominal, e desconforto. Estudos epidemiológicos no Brasil mostram que até 87,7% da população apresenta um grau de intolerância à lactose, pois a medida que crescemos o nosso intestino deixa de produzir lactase.

Mas por que retirar lácteos e glúten da dieta?

Antes devemos frizar que tal medida só deve ser feita sob supervisão de médico ou nutricionista funcional, após minuciosa investigação clínica e laboratorial. Como a maioria dos meus pacientes apresentam sintomas digestivos, proponho por 3 meses a suspensão de tais alimentos. Mas antes solicito uma série de exames para investigação. E muitas vezes os exames não apresentam qualquer alteração, mas o paciente relata melhora significativa dos sinais e sintomas (e isso é muito frequente na clínica nossa).

Como eu disse, a lactose é o de menos, pois já há no mercado a lactase sintética, a qual o paciente pode ingerir antes de consumir o alimento que possui o açúcar (lactose). A questão crucial é a reação inflamatória na mucosa intestinal ocasionada pelo glúten e proteínas do leite. A grande maioria dos pacientes, em decorrência dos hábitos de vida errôneos apresentam uma condição denominada Disbiose intestinal e com isso ocorre uma alteração na flora bacteriana do intestino, o que ocasiona alteração na absorção de nutrientes, produção de determinadas vitaminas e exacerba um processo inflamatório prévio.

Se queremos tratar essa disbiose, nada melhor que a suspensão de alimentos alergênicos e aí entraria: glúten (trigo, centeio, cevada, malte e algumas espécies de aveia), lácteos (leite, queijo, iogurte, sorvete, chocolate, manteiga, ou alimentos que possuem na sua composição: Lactoalbumina; Lactoglobulina; Fosfato de lactoalbumina; Lactoferrina; Lactulose; Caseína; Caseína Hidrolisada; Caseinato de cálcio; Caseinato de potássio; Caseinato de amônia; Caseinato de magnésio; Caseinato de sódio; Leite (integral, semi-desnatado, desnatado, em pó, condensado, evaporado); Leitelho; Nata / creme de leite; Soro de leite; Soro de leite deslactosado / desmineralizado; Gordura de leite; coalhada; Proteína de leite hidrolisada; lactose).

Além da retirada do alérgeno, procuramos no tratamento da disbiose alimentar as células intestinais responsáveis pela absorção dos nutrientes (os enterócitos) utilizando alguns aminoácidos, trocarmos a flora ruim por uma flora boa (utilizando lactobacilos, sendo que cada cepa tem indicação pra determinado sintoma), estimular no paciente hábitos saudáveis de vida, a fim de que o processo inflamatório diminua (isso inclui evitar uso irracional de antibióticos, uso de corticóides e antiinflamatórios, evitar alimentos que favoreçam a fermentação, crescimento de fungos, evitar uso de bebidas gaseificadas e álcool).

Após 1 hora e meia de consulta chega a parte de explicar pro paciente o que proponho de terapêutica. Explico que glúten e lácteos serão retirados por 90 dias e depois reintroduzidos a cada 5 dias. Aí vem a famosa pergunta: Mas doutor, o que que eu vou comer ? Oriento que o paciente procure o auxílio de uma nutricionista Funcional. Mas já dou algumas orientações sobre o que pode e o que não pode no processo.

Vamos lá...

Alimentos permitidos:

FARINHA dos seguintes alimentos: Arroz, Batata, Milho e Mandioca.
Arroz = farinha de arroz, creme de arroz, arrozina,  arroz integral em pó e seus derivados. O creme de arroz não é um creme ou pasta, e sim um pó.
Milho = fubá, farinha, amido de milho ( maisena ), flocos, canjica e pipoca.
Batata = fécula ou farinha.
Mandioca ou Aipim =  fécula ou farinha, como a tapioca,  polvilho doce ou azedo.
Macarrão de cereais = arroz,  milho, quinua e mandioca.
CEREAIS, PSEUDO-CEREAIS E GRÃOS: Cará,  Inhame,  Araruta, Sagú, Trigo sarraceno, Quinua, Amaranto, Chia.
GORDURAS: Banha de porco, Óleos vegetais (soja, girassol, milho, coco, azeite, linhaça, semente de abóbora, gergelim, amêndoas),  Margarinas (mas geralmente retiro e deixo o Ghee que é uma manteiga clarificada, que os indianos utilizam, ela quase não possui lactose, apenas gordura).
CARNES e OVOS: Aves, Suínos, Bovinos, Caprinos, Miúdos, Peixes, Frutos do Mar (se o paciente apresenta história de alergia a frutos do mar, retiro).
HORTALIÇAS: Todas.
TUBÉRCULOS e LEGUMINOSAS: Tubérculos (Feijão, Broto de feijão, Inhame, Soja (tofu, shoyo, tempeh apenas, as outras formas que não são fermentadas, tais como grãos, proteína texturizada e leite de soja, retiro), Grão de Bico, Ervilha, Lentilha, Batata, Mandioca.
AÇÚCARES: Açúcar de cana, mel, melado, rapadura, Geléias de fruta e de mocotó, doces e sorvetes caseiros preparados sem lácteos e/ou glúten   Achocolatados de cacau em pó (desde que sem lácteos), balas (Obs: geralmente nos 90 dias inicias retiro os açúcares pois tendem a piorar a disbiose por aumentar a fermentação dos alimentos).
FRUTAS: Todas, ao natural e sucos.
CHÁS: Todos.
BEBIDAS: Destilados e fermentados sem glúten, café, saquê, sucos naturais.
CONDIMENTOS E TEMPEROS: Sal, pimenta, cheiro-verde, erva, temperos caseiros, maionese caseira, vinagre fermentado de vinhos tinto e de arroz.
ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS: Lei 10.674 de 16/05/2003 sancionada pelo Presidente Luíz Inácio Lula da Silva, em vigor desde 16/05/2004 institui: Art. 1º Todos os alimentos industrializados deverão conter em seu rótulo e bula, obrigatoriamente, as inscrições "Contém Glúten" ou "Não Contém Glúten", conforme o caso. § 1º A advertência deve ser impressa nos rótulos e embalagens dos produtos respectivos assim como em cartazes e materiais de divulgação em caracteres com destaque, nítidos e de fácil leitura. § 2º As indústrias alimentícias ligadas ao setor terão o prazo de um ano, a contar da publicação desta Lei, para tomar as medidas necessárias ao seu cumprimento.
Dentre as substâncias permitidas e que geralmente a indústria de alimentos utiliza temos: Lactato de cálcio; Lactato de sódio; Estearoil Lactilato de Sódio; Estearoil Lactilato de Cálcio; Cremor de Tártaro; Manteiga de cacau; Leite de coco. Todos elesnão possuem proteínas do leite de vaca. 

Alimentos proibidos

É importantíssimo verificar o rótulo dos alimentos, pois muitos produtos alimentícios levam lácteos na composição. No caso do glúten a legislação auxilia, o que não ocorre na questão da lactose ou proteínas do leite.

GLÚTEN: Trigo, aveia, centeio, cevada, malte.
FARINHAS E FÉCULAS (Cereais, Tubérculos e seus sub-produtos, que encontramos em forma de pó): TRIGO (farinha,  semolina, germe e  farelo); AVEIA (flocos e  farinha); CENTEIO; CEVADA (farinha); MALTE.Todos os produtos elaborados com os cereais citados.
BEBIDAS: Leites achocolatados que contenham cevada, malte ou extrato de malte (cerveja), queijos fundidos, queijos preparados com cereais proibidos. Na dúvida ou ausência das informações corretas nas embalagens, não adquira o produto. 

CARNES: Todas são permitidas desde que não seja embutidos ou enlatados, pois em sua maioria apresentam glúten.
GORDURAS E ÓLEOS: Todas são permitidas exceto manteiga de leite pura. 
GRÃOS: Todas são permitidos exceto proteína vegetal hidrolisada
CONDIMENTOS: Maionese, catchup e mostarda podem apresentar glúten e lácteos na composição, portanto leia o rótulo.
LÁCTEOS:
Iogurte;
Manteiga (exceto ghee),
Maionese industrialisada (Maionese industrializada – a maioria não é feita com leite, mas alguns produtos contêm leite em pó);
Margarina (pode conter leite em pó ou outro derivado de leite);
Biscoitos recheados;
Creme para café (coffe-creamer);
Queijos;
Kefir de leite (não tem lactose mas contém as proteínas do leite);
Nata / creme de leite;
Requeijão;
Coalhada;
Pudim / Manjar;
Sorvete e alguns sorbets;
Sopas instantâneas cremosas;
Molhos cremosos para salada;
Purê de batatas / aipim / batata soutê;
Empanados (alguns são empanados em farinha de mandioca ou de milho, o que é permitido);
Achocolatados (o Nescau, apesar de não conter leite ou derivados em sua composição, hoje já está sendo rotulado como “contém traços de leite”).

Para os que acham que vão passar fome, abaixo segue algumas receitas

MEDIDAS:
1 cc (colher de chá)
1 CS (colher de sopa)
1 Xíc (xícara de chá = 200 ml)

PRINCIPAIS INGREDIENTES:
  • Creme de arroz ou farinha de arroz (encontrado na seção de mingaus para bebês)
  • Polvilho doce
  • Polvilho azedo
  • Fécula de batata
  • Amido de milho ou Maisena
  • Emustab (emulsificante para sorvetes encontrada na seção de produtos para sorvetes,serve para dar liga na massa de bolos ,pães e biscoitos).
  • Quinoa
  • Amaranto
  • Semente de chia
RECEITAS DE FARINHA PREPARADA SEM GLÚTEN
  •  FARINHA PREPARADA I: 1 kg de creme de arroz, 330g de fécula de batata, 165 g de araruta
  • FARINHA PREPARADA II: 3 xíc de creme de arroz,1 xíc de fécula de batata,1/2 xíc de polvilho doce,
  • FARINHA PREPARADA III: 2 xíc de creme de arroz,3/4 xíc de fécula de batata,1/4 xíc de polvilho doce,


Suco base matinal

A primeira coisa que os pacientes perguntam é como será o café da manhã. Parece que existe uma ordem que gera uma obrigatoriedade no consumo de Pão e Leite. Então aqui vai um suco hiper-mega-nutritivo para você usar no seu café da manhã.


Ingredientes:
1 – Germinar em água de 12 horas 1 CS de linhaça, 1 CS de Kinua, 1 CS de Amaranto (Kinua e amaranto devem ser em grão) e 1 CS de semente de Chia.
3 – 1 maçã ou 1 banana média
4 – ½ cenoura ou ½ beterraba
5 – 1 folha de couve (sem talo)
6 – 1 ramo de hortelã (só as folhas, aproximadamente 10)
7 – 1 ramo de agrião ou de Alecrim (sem talo)
8 – 1 colher de café de gengibre em pó
10 – Adoçar com Adoçante (Stevita Plus 100% natural) a gosto
MODO DE FAZER: Bater tudo em 250 ml de água e tomar no café da manhã

Pão da Isabela Nagy


Ingredientes:
1/2 copo de água
1/2 copo de leite ou leite de soja
1 colher (de chá) de sal
1 colher (de sopa) de açúcar
2 ovos
3/4 de copo de polvilho doce
1/4 de fécula de batata
1 e 1/2 copo de farinha de arroz
2 ou 3 colheres (de sopa) de óleo
2 ou 3 colheres (de sopa) de linhaça – triturada ou hidratada por 6 horas em água filtrada
1 colher (de sopa) de fermento biológico seco
Goma:
100 ml de água e 1 colher (de sopa) de polvilho doce
MODO DE FAZER: Leve ao fogo a água e o polvilho e mexa até que ele cozinhe e fique transparente.
Coloque a goma numa vasilha e misture junto com todos os ingredientes. Despeje a massa em forma untada para pão e deixe crescer por 40 ou 50 minutos num local mais quente (pode ser no forno ). Em dias frios aqueça um pouco o forno e depois deixe o pão crescer. Asse em forno médio por 40 minutos aproximadamente.

Massa básica para pizza, baguete recheada ou esfiha
MASSA
1/4 xícara de farinha de milho ( sem glúten - escolha a marca com cuidado )
3/4 xícara farinha de arroz
1/4 xícara farinha Moti ( BIFUM )
1/4 xícara de fécula de mandioca (polvilho)
1/2 xícara de farinha de tapioca
2 colheres de chá de goma Xantana
3/4 colher de chá de sal
2 ovos
1 1/2 colher de sopa de açúcar
1 colher de chá de açúcar para levedura
2 1/2 colheres de chá de fermento biológico seco
2/4 xícara de água morna
2 colheres de sopa de tofu
2 1/2 colheres de sopa de azeite
1/2 colher chá de vinagre ou vinho de maçã
1 colher de sopa de mel
MODO DE FAZER:
Misture todos os ingredientes secos e reserve.
Faça levedura com 1 colher de chá de açúcar, 1/4 xic.de água morna e o fermento biológico. Deixe fermentar.
Amasse a ricota, o mel, o azeite e o vinagre e separe (estes tem que estar em temperatura ambiente).
Aí fica a gosto: ou amassa tudo com a mão ou na batedeira.
1.Coloque os 2 ovos e amasse com os ingredientes secos.
2.Depois coloque a mistura do tofu, azeite, mel e vinagre.
3.Depois coloque a levedura.
4. Depois acrescente o restante da água.
A massa fica parecida com a massa de um pão convencional, só que pegajosa. Para facilitar coloque azeite das mãos da hora de espalhar na massa de pizza.
Já deixe o forno pre aquecido e coloque em fogo alto e depois abaixe para cozinhar bem a massa.

Pastel sem glúten


INGREDIENTES:
2 xícaras das de chá de farinha de arroz ou creme de arroz (ou uma xícara de creme e uma de farinha de arroz);
2 colheres das de sopa de amido de milho;
1 colher das de chá de CMC ou 1/2 colher de chá de GOMA XANTANA;
1/2 colher das de chá de sal;
2 ovos;
3 colheres das de sopa de óleo vegetal;
1 colher das de sopa de álcool ou cachaça;
10 a 20 colheres das de sopa de água morna (ir adicionando até encontrar o ponto).
MODO DE FAZER:
Misture os ingredientes secos em uma vasilha.
Adicione o restante dos ingredientes e amasse até formar uma massa homogênea.
Cubra e deixe descansar.
Prepare o recheio que desejar, estique filme plástico em uma bancada, abra a massa com um rolo na espessura de pastel (fino), recheie, dobre a massa.
Dobre e corte com um copo, ou faca se preferir outro formato. Com a ponta do garfo reforce as bordas para não abrir durante a fritura. Frite em óleo quente.

Bolo da Beatriz (sem glúten e sem lactose)
INGREDIENTES:
3 ovos
1 e 1/2 xícara de açúcar
2 xícaras de Farinha de arroz Urbano
1/2 xícara de óleo
1 xícara de leite de soja
1 pitada de sal
1 caixinha de pó para pudim sabor baunilha
1 colher de sopa cheia de fermento em pó (Pó Royal)
MODO DE FAZER:
Bater os ovos na batedeira ( juntar claras e gemas) até dobrar de volume, ficando um creme fofo e claro. Continuar batendo e ir acrescentando os outros ingredientes. Por último coloque o fermento. Unte uma forma e coloque a massa. Polvilhe canela. Asse em forno pré-aquecido por 40 minutos.

Bolo verde sem glúten
INGREDIENTES:
1 caixinha de creme de arroz - 200 g
1/2 xícara de maizena
1 caixinha de gelatina sabor limão
1 colher (sopa) de fermento em pó
3 ovos grandes (ou 4 pequenos)
2 xícaras de açúcar
1 colher (café) de essência de baunilha
1 pacote de maionese - 200 g
1 xícara e meia de água
MODO DE FAZER:
Numa tigela misture o creme de arroz, a maizena, a gelatina e o fermento. Reserve.Bata na batedeira, o açúcar, a essência de baunilha e os ovos até dobrar de volume.Acrescente a maionese. Bata. Acrescente a água e a mistura das farinhas, alternando e sempre batendo.

Biscoito de polvilho doce
INGREDIENTES:
500g de polvilho doce
1 copo (americano) de água fervente;
1 copo (americano) de óleo
1 colher de sal
4 ovos.
MODO DE FAZER:
Coloque o polvilho em uma vasilha, escalde com água fervente, acrescente o óleo e o sal, amasse um pouco e acrescente os ovos e amasse bem com as mãos (até ficar pastoso).
Para colocar na forma, fure uma embalagem de plástico vazia (furo pequeno), coloque a massa dentro e esprema na forma ou pingue pequenas bolinhas com a colher.
Asse em forno bem quente.

Waffles sem glúten e sem lácteos - para Máquina de Waffle Britânia ou Cadence
INGREDIENTES:
2 ovos ( tirar a pele da gema )
1 xícara de polvilho azedo Yoki
1/3 xícara de óleo
1/3 de xícara de açúcar
1/2 colherzinha de café de sal
1 colher de sopa rasa de Pó Royal
2 a 3 colheres de sopa de água ( vá colocando aos poucos até sentir que a massa ficou mais líquida )
MODO DE FAZER:
Misture todos os ingredientes. Ligue a máquina e espere aquecer ( essa máquina não tem controle de temperatura ) . Quando a luz verde aparecer, coloque 2 colheres de sopa da massa e ajude a espalhar entre os "favos" da máquina, o suficiente apenas para fazer uma camada fina na parte mais alta dos favos, evitando assim que a massa entorne ao aquecer. Tampe a máquina - cuide para que a trava fique solta pois o ar produzido pelo polvilho quando aquecido pode quebrar a trava ou fazer a máquina de waffle "pular" ou "virar". O waffle fica pronto entre 3 a 5 minutos. Deixe apenas começar a dourar e retire com a ajuda de uma espátula de madeira ( para não ferir a cobertura anti-aderente ). Dessa forma ele terá uma crosta crocante, mas ficará macio.
Geralmente é preciso untar só na primeira fornada de waffle.
Sirva quente, com mel, geléia. A receita rende de 6 a 8 waffles quadrados.

Tabule de Quinoa

Ingredientes
1/2 xicara de quinoa em grão
1 xicara de água
Sal a gosto
1/2 xicara de pepino japonês em cubos
1/2 xicara de tomates sem pele e sem sementes em cubinhos
1/2 xicara de cebola picada em cubinhos
1 pitada de zaatar ( tempero árabe, que pode ser substituído por mistura de ervas)
2 colheres de sopa de hortelã picada
3 colheres de salsinha picada
3 colheres de azeite de oliva
½ xícara de Suco de limão tahiti
MODO DE FAZER:
Numa panela, coloque a quinoa, a água e sal a gosto. Ferva por 10 minutos. Escorra e lave em água corrente. Deixe esfriar. Coloque numa travessa funda e misture os demais ingredientes.
A quinoa pode ser cozida como o arroz: use 2 medidas de água para 1 medida de quinoa. Adicione sal e leve ao fogo por 10 a 15 minutos, até secar a água. O grão substitui o arroz e o feijão. Pode ser preparado também como cuscuz ou quibe.


Almôndega de carne bovina com quinoa


Ingredientes
Meia xícara (chá) de quinua em grãos (75 g)
1 xícara (chá) de água (200 ml)
200 g de carne bovina moída
Tempero de ervas
½ colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de manteiga indiana (ghee) sem sal
1 dente de alho
½ cebola pequena picada
2 tomates maduros picados
3 colheres (sopa) de folhas de manjericão
2 colheres (sopa) de óleo de coco
2 colheres (sopa) de extrato de tomate
MODO DE FAZER:
Em uma panela pequena, coloque a quinoa e a água, e cozinhe em fogo médio por 5 minutos, ou até a água secar. Transfira para uma tigela, junte a carne moída, o tempero de ervas, o sal e a manteiga, e misture bem até ficar homogêneo. Modele esferas pequenas (3 cm de diâmetro) e reserve.
No copo do liquidificador, coloque o alho, a cebola, o tomate, o manjericão e 1 colher (sopa) de óleo de coco, e bata em velocidade média, por 3 minutos, ou até ficar homogêneo. Em uma panela pequena, coloque o óleo de coco restante e leve ao fogo médio para aquecer. Junte as almôndegas reservadas e frite por 5 minutos, ou até mudarem completamente de cor. Adicione o molho batido e o extrato de tomate, e cozinhe em fogo médio por 3 minutos, ou até aquecer bem.
Retire do fogo e sirva em seguida.


Produtos usados para melhorar a elasticidade e textura das receitas sem glúten:


  • CMC - carboxi metil celulose - http://www.arcolor.com.br/
  • ou nas Casas Pedro (RJ) - artigos para doceria (a granel) - www.casaspedro.com.br
  • Goma Xantana + Goma Guar - www.saboralternativo.com.br


Dica de Blog e livro: 
  • http://dietasgsc.blogspot.com/ A autora (Claudia Marcelino) resolveu estudar dietas sem glúten e sem lactose e preparou um material muito bom. Diversas receitas estão no livro: Autismo - esperança pela nutrição.




  • Livro: Vivendo sem glúten para leigos.                                                                                             www.riosemgluten.com
 Bibliografia:
  1. http://www.semlactose.com/
  2. http://www.pheventosbr.com.br/ph-eventos-noticias-texto.asp?Noticia=270
  3. http://www.consulfarma.com/detalhes_noticias.php?id=127739
  4. http://www.ecologiamedica.net/2010/09/gluten-e-obesidade.html
  5. http://www.ecologiamedica.net/2010/12/onde-encontrar-produtos-organicos-sem.html
  6. http://www.ecologiamedica.net/2010/12/sindrome-do-gluten-e-alteracoes.html
  7. http://www.ecologiamedica.net/2011/03/alimentos-que-nao-podem-faltar-na-mesa.html
  8. http://www.ecologiamedica.net/2011/03/gluten-e-enxaqueca.html
  9. http://www.ecologiamedica.net/2011/04/intolerancia-ao-gluten-pode-ser-mais.html
  10. http://www.ecologiamedica.net/2011/05/transtorno-do-deficit-de-atencao-com.html
  11. http://www.ecologiamedica.net/2011/06/gluten-o-novo-vilao.html
  12. http://www.ecologiamedica.net/2011/06/menopausa-precoce-ligada-alergia-ao.html
  13. http://www.ecologiamedica.net/2011/07/da-serie-sem-gluten-e-sem-lactose.html
  14. http://www.ecologiamedica.net/2011/12/sugestao-de-farinhas-sem-gluten.html
  15. http://www.ecologiamedica.net/2011/12/o-gluten-pode-estar-te-matando.html
  16. http://www.ecologiamedica.net/2011/01/querfir-kefir-e-saude-intestinal.html
  17. http://www.ecologiamedica.net/2011/07/intolerancia-alimentar-voce-tem-alguma.html
  18. http://www.ecologiamedica.net/2011/10/pao-branco-o-assassino-silencioso.html
  19. BARBIERI, D; et al. Gastroenterologia e Nutrição. São Paulo: Editora Atheneu, 2001.
  20. HEYMAN, MB. Lactose Intolerance in Infants, Children, and Adolescents. Pediatrics. Vol. 118; p.1279-1286. 2006 Disponível em: http://www.pediatrics.org/
  21. CRITTENDERN, RG; et al. Cow’s Milk Allergy: A Complex Disorder. Journal of the American College of Nutrition. Vol. 24, Nº 6, p.582-591; 2008.
  22. HUMBERT, P;  et al. Gluten intolerance and skin diseases. Eur J Dermatol; Vol.16, Nº.04, 2006.
  23. WAHNSCHAFFE, U; et al. Predictors of clinical response to gluten-free diet in patients diagnosed with diarrhea-predominant irritable bowel syndrome. Clin Gastroenterol Hepatol. Vol.05, p.844–850, 2007.
  24. http://www.ecologiamedica.net/