Glúten ataca o cérebro e danifica o sistema nervoso


Algumas pessoas sentem-se mal e desconhecem que a culpa pode ser do glúten. 
safe imageAntes de sintomas gastrointestinais, como a dor de estômago, aparecer já podem existir danos neurológicos. O glúten pode causar desde tonturas inexplicáveis a dormência nas mãos e nos pés.
Aproximadamente 10 por cento das pessoas com doença celíaca desenvolvem sintomas neurológicos,  cuja variedade inclui:
• Dificuldade de concentração;
• Perda de equilíbrio;
• Quedas frequentes;
• Distúrbios visuais;
• Dificuldade em andar; e,
• Tremores.
As pessoas com sensibilidade ao glúten, quando comem alimentos com a proteína glúten desencadeiam uma reacção auto-imune. O corpo ataca o glúten com anticorpos da mesma forma que os vírus de anticorpos de ataque. Isso danifica o intestino. O dano intestinal inibe a absorção de nutrientes, muitas vezes levando a deficiências nutricionais. A deficiência em vitaminas, pode ter na sua origem o glúten.
Tratamento
As pessoas que têm intolerância ao glúten não respondem a testes de alergia simples da mesma forma que os que têm uma alergia ao leite. 
A forma mais simples para descobrir se alguém é sensível ao glúten é a terapia dietética. Evitar o glúten por várias semanas, reintroduzi-lo depois e observar as reacções.
Uma vez conhecido a existência de um problema com o glúten, existe apenas uma forma de tratamento: a abstinência.
Isto, significa que devem evitar alimentos óbvios, como pão e massas, mas também alimentos como, por exemplo, o molho de soja e alcaçuz, que contêm pequenas quantidades de trigo.
Felizmente que existem muitas alternativas para uma boa alimentação. Massas feitas com farinha de arroz ou quinoa estão isentas de glúten. Pão de centeio ou de arroz, pode substituir o pão feito a partir de grãos que contêm glúten. O kamut, trigo sarraceno e, de certa forma, a espelta, são também alternativas, ao trigo com glúten. 
Recorde-se que existem algumas empresas do ramo alimentar que comercializam alimentos totalmente isentos de glúten.