Depressão e Doença Celíaca


A depressão é realmente um desequilíbrio químico ou o Glúten pode ser o responsável?

22/10/2013

Dra Vikki Petersen


É  dito que pacientes com depressão têm um desequilíbrio químico.  Se alguém na sua família também está deprimido, o "cartão do gene" é mostrado.   "Sua depressão é genética", eles dizem.

Na minha prática clínica há mais de 20 anos, eu encontrei os dados de que essa afirmação é falsa. Consistentemente, encontramos pacientes que sofrem de depressão e ansiedade e que tem sensibilidade ao glúten (e ao leite).

Como poderia a causa depressão ser a comida ? 
 Vamos dar uma olhada:

Depois do aparelho digestivo, o sistema mais comum de ser afetado pelo glúten é o sistema nervoso. Pensa-se que a depressão pode ser causada pelo glúten de duas maneiras.

Em primeiro lugar, o glúten provoca alterações inflamatórias. O sistema imunológico de um indivíduo com doença celíaca ou sensibilidade ao glúten responde de  forma negativa, inflamatória à proteína gliadina.   Infelizmente essa proteína  é semelhante em estrutura a outras proteínas presentes no corpo, incluindo as das células do cérebro e do nervo. A reatividade cruzada pode ocorrer, sendo através dela que o sistema imunitário "confunde" proteínas no corpo com a  proteína gliadina.   Isto é chamado de mimetismo celular e o resultado dessa confusão é o corpo literalmente atacando os próprios tecidos. Quando a inflamação ocorre no cérebro e no sistema nervoso, uma variedade de sintomas pode seguir-se, incluindo a depressão.

Pesquisas mostram que pacientes com sintomas que envolvem o sistema nervoso sofrem de problemas digestivos apenas 13% do tempo.   Isto é importante porque a medicina convencional identifica sensibilidade ao glúten quase que exclusivamente apenas com queixas digestivas, um erro que faz com que milhões de pessoas continuem a sofrer desnecessariamente, sem diagnóstico correto.

Em um estudo sobre o fluxo de sangue para o cérebro, 15 pacientes com doença celíaca não tratada foram comparados com 15 pacientes tratados com uma dieta livre de glúten por um ano.   Os resultados foram surpreendentes. No grupo sem tratamento, 73% tinha anormalidades na circulação cerebral, enquanto apenas 7% no grupo tratado mostrou qualquer anormalidade. Os pacientes com problemas circulatórios cerebrais  frequentemente sofrem de sintomas como ansiedade e depressão.

Em segundo lugar, além de problemas de circulação, criando sintomas de depressão, outra pesquisa analisou a associação entre a sensibilidade ao glúten e sua interferência com a absorção de proteínas.   Especificamente, o aminoácido triptofano pode ser deficiente. O triptofano é uma proteína no cérebro responsável pela sensação de bem-estar e relaxamento. A deficiência pode ser correlacionada com os sentimentos de depressão e ansiedade.

Vale a pena descobrir se a sua depressão pode ser causada por algo em sua dieta? 
Com certeza, na minha opinião.

Nossa sociedade é muito disposta a aceitar um "desequilíbrio químico" como uma explicação para os sintomas e, em vez de chegar à causa raiz da condição, simplesmente optar por engolir uma pílula - uma pílula que, no caso de antidepressivos, pode ser muito perigoso e, por vezes, tem efeitos colaterais letais.

A freqüência com que somos capazes de ter sucesso com pacientes que deixam de usar seus antidepressivos é considerada "inacreditável" para muitos médicos tradicionais, mas fazemo-lo regularmente. Como isso é possível?   Nós realmente diagnosticamos a causa raiz da depressão.   Frequentemente o culpado é o glúten.

http://glutendoctors.blogspot.com.br/2013/10/is-depression-really-chemical-imbalance_22.html

Dr Vikki Petersen, DC, CCN
Founder of HealthNOW Medical Center
Co- author of TheGluten Effect
Author of the e-book: Gluten Sensitivity: What you don’t know may be killing you!