Reintrodução do glúten


Palestrante do 2º Gluten Free SP - 2011

Devo reintroduzir o glúten na minha
 alimentação pra ter certeza do diagnóstico?

Dr Tom O´bryan

Pergunta: Devo reintroduzir o glúten pra ter certeza do diagnóstico?
Resposta: Sim e não

Se uma pessoa sabe que é sensível ao glúten, tem seguido a dieta sem glúten, e quer saber se pode voltar a ingeri-lo, então volta a consumir alimentos contendo glúten. Isto é FORTEMENTE CONTRA-INDICADO. Existem vários relatos de casos de pessoas que sofreram danos (alguns permanentes) provocados pela reintrodução do glúten (segundo o artigo Even Small Amounts of Gluten Cause Relapse in Children With Celiac Disease, publicado no Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition 34:26­30), e a reintrodução do glúten não é mais um requisito para o diagnóstico de doença celíaca (Am J Clin Nut 1999;69:354-65).
De 374 crianças diagnosticadas com DC antes dos 2 anos de idade, 5% desenvolveram alguma desordem auto-imune enquanto seguiam a dieta isenta de glúten. Dentre os que mantiveram a dieta (durante anos não apresentaram sintomas) e entre os que voltaram a consumir glúten, 3,65% apresentaram uma prevalência de doenças auto-imune sistêmicas com menos de 12 meses do início da reintrodução do glúten na dieta; 9,1% entre 13-36 meses e 26,3% por mais de 36 meses desta reintrodução. Isso significa que 1 em cada 4 pessoas sensíveis ao glúten, que o excluíram da dieta, eliminaram todos os sintomas, porém, desenvolveram doenças auto-imunes num prazo de 3 anos a partir da reintrodução do glúten (Gastroenterology 1999;117:297-303).
Se você sabe que é sensível ao glúten, já fez uma dieta sem glúten, e quer saber se está melhor, então o teste vai confirmar o sucesso em acalmar a cascata inflamatória decorrente da intolerância ao glúten, e que serve de gatilho para o início de doenças auto-imunes.
E se você quiser apostar que não desenvolverá uma doença auto-imune, então você poderia primeiro verificar e certificar-se que os seus exames apresentam resultados negativos enquanto estiver em uma dieta livre de glúten. Posteriormente você poderia iniciar uma dieta com glúten e realizar exames novamente 1-2 meses mais tarde. Mais uma vez, insistimos que não é recomendado fazer isso!
Muitas pessoas não desenvolvem a doença celíaca, até mais tarde na vida. Assim, mesmo que um teste dê resultado negativo num dado momento, se eles são geneticamente mais vulneráveis, a doença celíaca pode se desenvolver em qualquer tempo, como resultado da falha do organismo em lidar com o estresse da vida. Alguma coisa será o gatilho e uma pessoa que teve teste negativo no passado começará a produzir os anticorpos e começar a destruição do tecido que acabará por se manifestar como sensibilidade ao glúten e/ou doença celíaca. Assim, neste cenário, essas pessoas querem saber se eles são geneticamente vulneráveis.
A questão é: “eu sou sensível ao trigo”? Quando um teste para detectar sensibilidade ao glúten apresenta resultado positivo, significa que o sistema imune está reagindo a uma exposição ao glúten. E se você não estiver ingerindo glúten, é provável que esteja ocorrendo um dos seguintes problemas:
• A exposição ao glúten oculto
• Reação cruzada a outro alimento
• Reação cruzada com vírus ou bactérias
• Um mau funcionamento do trato gastrointestinal (considere o teste de permeabilidade intestinal antigênica)
• Uma causa desconhecida (potencialmente Sprue refratário).
Tradução: Juliana Crucinsky, Nutricionista, Consultora do site www.semlactose.com
Revisão: Luciane Baldo de Oliveira, Editora do site www.semlactose.com


Dr. Tom O'Bryan é palestrante nacionalmente reconhecido, líder de oficinas especializadas em doença celíaca e intolerância ao glúten, e um excelente especialista na área de doenças crônicas e distúrbios metabólicos a partir de uma perspectiva de Medicina Funcional. Formado pela Universidade de Michigan e pelo Colégio Nacional de Quiropraxia, Dr. O'Bryan é diplomado pelo Conselho Nacional de Examinadores em Quiropraxia, pelo Conselho Americano de Nutrição Clínica e Nutricionista Clínico certificado pela Associação Americana de Nutrição Clínica. Possui certificação do Instituto de Biomecânica Funcional da Palpação do Movimento. Ele é membro do Instituto de Medicina Funcional e de inúmeras outras organizações profissionais. Dr. O'Bryan foi professor visitante na Northeastern Illinois University onde lecionou Nutrição Aplicada para Saúde e Desempenho e hoje é professor visitante da Universidade Nacional de Ciências da Vida. Ele também é Vice-Presidente do Capítulo Illinois da Associação Internacional e Americana de Nutricionistas Clínicos.
http://www.riosemgluten.com/tom_obryan.htm